Assim suam os cães

· março 14, 2017

Nossos animais de estimação possuem glândulas. É assim que os cães suam, por todo seu corpo. Diz-se que a origem do suor está nas almofadinhas das patas. Mas também há que levar em consideração que expulsam calor através da boca.

Entre os mecanismos que os cães usam para expulsar o suor e o calor eliminado, está a ofegação com a boca e a eliminação de vapor através da língua.

Os cães suam através das almofadinhas

Nossos animais de estimação possuem pequenas glândulas sudoríparas nas almofadinhas das patas. Aí também há células que ajudam os cães a se refrescarem. Existe um capa de gordura que funciona como isolante de altas temperaturas, e que contém um mecanismo de sudorese.

A maneira de se refrescar dos cães é realizada mediante um mecanismo natural que ordena as veias dessas regiões a dilatar-se ou expandir-se. Se o calor ambiente não é excessivo, isso ajuda a rebaixar a temperatura do sangue do cão.

Outra parte que ajuda na adequação da temperatura corporal dos cães são as orelhas, que podem dilatar-se ou expandir-se, segundo seja necessário.

Como vemos na análise de como os cães suam, não o fazem da mesma maneira que os seres humanos. No entanto, dispõe de outras ferramentas para se refrescar e medir a temperatura do corpo.

Como suam os cães: Temperatura e hidratação

Ainda que os cães tenham seus próprios mecanismos de sudorese, não podemos esquecer de hidratá-los com frequência. Fazemos isso para que não tenham problemas de saúde. Além disso, dessa forma melhorarão seu estado de ânimo.

O corpo dos cães funciona como um refrigerador. Seu temperatura normal oscila entre 38ºC e 39ºC. O animal detecta quando existe um excesso de calor e bombeia sangue quente para a língua, que está armada com eficientes glândulas salivares, que eliminam o excesso de temperatura na forma de umidade. Com isso, o cão expulsa o calor através da evaporação que é produzida em sua boca.

Ao colocar a língua para fora, o vapor de água quente que chega dos pulmões se condensa ao tocar nas mucosas da boca e da língua, mais frias. Dessa forma, o vapor que se condensa em forma de água líquida, cai da língua e goteja no chão.

O tamanho dos cães

Os cães de grande porte se refrigeram pior que os pequenos, entre outras coisas porque suam menos. Seu grande tamanho às vezes faz com que gerem mais calor do que são capazes de expulsar,

Por outro lado, os cães pequenos são mais sensíveis as altas temperaturas ambientais. As altas temperaturas são muito perigosas para eles devido a sua dificuldade para suar, o que os transforma em alvo fácil para sofrer da mortal insolação.

A insolação

A temperatura interna do cão pode subir para além dos 42 graus e então sofrer uma insolação, que o coloca em sério risco de vida. A gravidade das consequência dependerá da temperatura corporal atingida e do tempo que esta se manteve.

A insolação normalmente acontece nos carros. Para evitá-la, é preciso ligar o ar condicionado e abrir as janelas. Também funciona colocar no transporte do animal bolsas com gelo para evitar que sua temperatura corporal se eleve.

Não devemos deixar, em nenhuma circunstância, o cão sozinho no carro. Em poucos minutos, o veículo alcança temperaturas altíssimas, mesmo que esteja estacionado na sombra e com as janelas entreabertas. Sem que sejamos conscientes, será uma armadilha mortal para o animal de estimação.

Sintomas da insolação

Os cães que sofrem uma insolação apresentam sintomas como ofegação, taquicardia, temperatura corporal elevada, mucosas congestionadas, vômitos, diarreias e, em algumas ocasiões, choque ou perda de consciência. 

Se observamos esses sinais, devemos levá-lo o quanto antes para uma clínica veterinária. As primeiras medidas que podemos realizar são colocá-lo em um lugar fresco e arejado, molhá-lo com água fria e, se estiver consciente, dar para ele beber pequenas quantidades de água fresca.

Como suam os cães, o processo de refrigeração

Depois de alguns anos, os cientistas descobriram que o termostato interno dos cães, o sistema termorregulatório, é ativado ao bombear sangue quente para a língua. Além disso, as glândulas salivares são abertas, causando uma respiração rápida e pouco profunda.

A medida que o ar quente flui pela tráquea e pela língua, ajuda a evaporar a umidade, o que elimina o calor do sangue do cão. Esse processo reduz a temperatura corporal e ajuda na refrigeração do cérebro.