Barbet: um “poodle” muito especial

· abril 6, 2018

Hoje, vamos falar sobre uma raça de cão de água muito peculiar: o Barbet. Talvez você já tenha visto algum, mas não o tenha reconhecido. Assim, vamos falar detalhadamente sobre ele, talvez você até queira escolher essa raça como seu próximo bicho de estimação.

Tudo o que você precisa saber sobre a raça Barbet

História e origem

Barbet

Dizem que essa raça é a mais antiga da Europa e que provavelmente fosse o antepassado mais longínquo do poodle. Ele foi empregado no começo como cão de caça para capturar não só aves aquáticas, como também flechas caídas.

Sua origem é algo que ainda continua em debate, isso porque existem várias hipóteses que apontam para: Polônia, Espanha ou América. Além disso, há quem diga que provém do Norte da África e que, durante as Invasões Árabes, há milhares de anos, teriam chegado à Espanha e África para se espalhar mais tarde por toda a Europa.

Embora isso tenha acontecido por volta do século 14, essa raça de cachorro não foi batizada de Barbet até o século 16. Infelizmente, quando foi sendo abandonada a prática da caça aquática, os Barbet de maior porte foram desaparecendo.

Características dos Barbet

Esse tipo de cão de água se caracteriza por ter pelo abundante, longo, espesso e crespo. Sua pelagem, além disso, fica agrupada em diversas mechas presas ao corpo que o ajudam a se proteger da água, assim como das altas e baixas temperaturas, caso seja necessário.

Cabeça

Sua cabeça é arredondada e larga, a sua testa é muito protuberante, assim como seu rosto, embora ele seja pequeno e com tufos negros ou cor de chocolate. Seus lábios são grossos e seu focinho muito curto e quadrado, enquanto que seus olhos são arredondados, com sobrancelhas muito espessas e com pelo longo. Suas orelhas são mais baixas que as de outros cães e são caídas e planas, além de ficarem cobertas por mechas para se protegerem das adversidades.

Corpo

Seu corpo é longo com pescoço curto, peito amplo e muito desenvolvido e robusto. Suas extremidades são retas e musculosas, com ossos fortes e sempre cobertos por uma grande quantidade de pelo. Suas costas têm uma forma de certa forma convexa, e a parte dos rins é arqueada e muito forte. Mesmo assim, seu rabo fica projetado para baixo, embora seja apontado um pouco para cima, assumindo a forma de um gancho.

Barbet

Fonte: Corinne Benavides

Pelo

Seu pelo é muito espesso, longo, lanoso, crespo ou ondulado. É difícil de escovar, pois sempre fica grudado em mechas grossas. As cores que existem são cinza, preto, bege, branco e marrom e preto.

Comportamento e personalidade do Barbet

O Barbet é um cão muito ativo e vivaz, apesar de dócil. Como um bom cão d’água, o esporte e o exercício na água têm tudo a ver com ele. Isso porque ele adora a nadar e banhar-se repetidas vezes. Além disso, nunca vai fugir quando você chamá-lo para o seu banho mensal.

Ele é equilibrado e tranquilo, muito familiar e capaz de criar um laço muito forte com os seus donos. Com as crianças, demonstra-se paciente e amoroso, porque ele adora ficar em família e nunca se soube de algum caso de um Barbet que tenha apresentado alguma tendência agressiva. Como cão de guarda, ele vai cumprir seu papel simplesmente avisando quando observar algo estranho.

Cuidados

Desde pequeno, é preciso socializá-lo e adestrá-lo com carinho, mas com firmeza, porque ao crescer pode apresentar uma tendência a ser dominante. Ele vai precisar de grandes doses de exercício físico, principalmente se vive em um espaço pequeno na cidade: será ainda melhor se ele puder correr em uma praia onde possa dar asas aos seus instintos de mergulhador.

Com relação ao seu pelo, é preciso desembaraçá-lo diariamente, caso contrário, é provável que forme placas de pelos e logo seja preciso cortá-los.

Pelo fato de apreciar a água, esse tipo de cão pode sofrer de doenças respiratórias, como traqueíte e broncopneumonia. Por isso, recomenda-se que, depois de cada banho, seque-se ele com uma toalha.

Isso é tudo o que sabemos sobre o Barbet e que queríamos compartilhar com você. O que você acha de ter um como bicho de estimação?

Fonte das imagens: Corine Benavides