Brucelose canina: saiba mais sobre essa doença

· outubro 6, 2018
Essa patologia, embora tenha tratamento, é um assunto muito sério. Afinal, ela pode causar infertilidade, o nascimento de filhotes fracos e até mesmo abortos.

Ter um animal de estimação é uma experiência gratificante. A única maneira de retribuir todo esse amor e companhia incondicional é, no mínimo, cuidar da saúde do animal. Ao adquirir um pet, é necessário se informar sobre as patologias mais comuns que podem afetar o cão. Uma dessas doenças é a brucelose canina.

Brucelose canina

É uma infecção produzida por uma bactéria chamada Brucella canis, que afeta cães, mas também seres humanos. Ela causa atrofia dos testículos nos cães machos.

Além disso,  também causa epididimite, uma inflamação nos tubos dos testículos, onde os espermatozoides ficam até amadurecerem.

Outra patologia derivada dessa doença é a orquite, um tipo de inflamação dos testículos. Essas infecções geram esterilidade no cão. Além disso, também pode causar abortos, morte fetal ou nascimento de filhotes muito fracos.

A brucelose canina afeta o sistema reprodutivo de machos e fêmeas. Os cães que contraem essa doença têm alto risco de esterilidade.

Como a brucelose canina é contraída

As fêmeas transmitem a brucelose canina através de secreções vaginais, líquido fetal, fetos abortados ou placenta. Por sua vez, os machos transmitem a doença através do sêmen. Ambos podem transmitir as bactérias também através da urina, excrementos, saliva, secreções nasais e fluido ocular.

As rotas de contágio são o sistema digestivo, membranas mucosas, escoriações na pele e durante os acasalamentos. A doença pode ser contraída por cães de qualquer raça, sexo ou idade.

Sintomas da brucelose canina

É uma doença difícil de detectar em seu estágio inicial porque pode ser confundida com qualquer outra infecção. Afinal, seu sintoma inicial costuma ser febre, da mesma forma que se nota em muitos outros problemas de saúde.

Suspeita-se, geralmente, da existência de brucelose canina quando a fêmea sofre abortos. Além disso, também acende o alerta quando os testículos dos machos ficam inchados.

Existem alguns outros sintomas que você pode observar:

  • Olhos inchados
  • Dor nas costas, pernas e patas
  • Fraqueza
  • Inflamação dos gânglios
  • Perda no controle de movimentos
  • Desorientação

O aborto dos filhotes em uma cadela com brucelose canina ocorre em 75% dos casos. Normalmente, entre os 45 e os 55 dias do período de gestação.

Cadela amamentando filhotes

Se o dono do animal de estimação não conhece esses dados, ele provavelmente não percebe a doença. Como sempre, é melhor sempre buscar o veterinário ao notar algo estranho no animal.

Os humanos podem contrair a brucelose

As pessoas que têm contato com secreções de um cão infectado podem contrair brucelose canina. Entre as situações de risco, estão: a realização de um parto, coleta de excrementos ou qualquer outro tipo de contato.

Os primeiros sintomas podem variar bastante. O mais comum é que ocorra um estado febril. Depois disso, outros sintomas aparecem, como fadiga e constipação.

No caso dos homens, pode haver uma inflamação dos testículos. Em ambos os sexos, as articulações podem ficar inflamadas. Além disso, pode ocorrer dor lombar ou bursite. As complicações mais graves podem ser a inflamação das paredes internas do coração ou danos no fígado.

O diagnóstico em humanos

A brucelose não é uma doença comum e não é fácil de detectar. Por issoé tão importante analisar com calma as condições de vida do paciente.

Mulher abraçando cachorro

Por exemplo, se o paciente tem animais de estimação ou atuar numa profissão relacionada a cães. Testes laboratoriais são necessários para realizar um diagnóstico final.

Tratamento da brucelose canina

Como todas as infecções bacterianas, a brucelose canina é tratada com antibióticos. O veterinário deve encontrar a combinação adequada deles.

Na maioria dos casos, pode ser difícil erradicar completamente as bactérias. Há também o risco de que a infecção deixe sérias consequências no sistema reprodutivo do animal.

Quando se toma a decisão de submeter o cão ao tratamento por causa dessa bactéria, é necessário levar em conta algumas coisas. Primeiro, deve haver um controle dos sintomas até a realização de novos testes.

É sempre recomendável esterilizar um cão que foi infectado com a bactéria da brucelose. Dessa forma, as possibilidades de contágio são evitadas. Não se esqueça de que existe o risco de que a infecção tenha deixado sérias consequências no sistema reprodutivo do animal.

Prevenção

Não há vacinas contra essa doença. Se algum sintoma for observado, o dono do animal deve procurar o veterinário. No caso de seres humanos com doenças que afetam o sistema imunológico, recomenda-se não ter cães que sofrem de brucelose.

Cães reprodutores devem passar por uma triagem para descartar a doença. Nos canis e abrigos de animais, é necessário realizar testes várias vezes durante o ano. Recomenda-se isolar os animais infectados para evitar o contágio de animais sadios.