Cães ou gatos: quem ganha?

junho 5, 2017

Os seres humanos costumam ver as coisas de forma antagônica, como se constantemente tivéssemos que escolher e tomar partido. Isso acontece na política, no esporte, na arte… Em praticamente todos os lugares, surgem as perguntas “tal coisa ou tal coisa?”, “vinho ou cerveja?”, “mar ou montanha?”, “cinema ou teatro?” E, é claro, fazemo-nos a bendita perguntinha também com relação aos animais de estimação: cães ou gatos?

Cães, gatos e humanos, uma relação com muita história

Apesar de não ter problema ficar em cima do muro em muitas circunstâncias, também não é preciso exagerar. Por que não podemos gostar tanto do mar como da montanha? Tanto da cerveja como do vinho? Tanto dos cães como dos gatos?

A rivalidade entre essas duas espécies existe desde que eles habitam o nosso mundo. Supõe-se que nasceu, assim como em todos os casos, devido a uma disputa por comida.

Depois, os homens começaram a fazer parte de suas histórias e, com o passar do tempo, devido a uma relação mútua de conveniência, foram surgindo laços de afeto e carinho e, pouco a pouco, eles se tornaram os nossos animais de estimação.

Foi através da observação, ou porque estabelecemos assim no princípio, que as coisas se tornaram antagônicas, um exemplo é o famoso ditado “vivem como cão e gato”.

Estabelecer as coisas de forma antagônica em relação aos animais de estimação, pensando em quem ganha – se os cães ou os gatos – talvez não nos leve a lugar algum.

A palavra competência não deveria existir entre animais de estimação, como cães e gatos

Está bem claro que a realidade indica que muitos cães insistem em perseguir os felinos. E também há gatinhos que zombam dos cães quando estão em locais altos.

Mas também é verdade que, no decorrer dos anos, as duas espécies aprenderam a conviver pacificamente em uma casa junto, com a sua família humana. E que, em muitos casos, forjaram uma verdadeira relação de amizade.

Depois, dependerá dos gostos e da forma de ser da pessoa para que se incline por um amigo que mia ou que ladre. Ou talvez pelos dois. Ou, até mesmo, por outra espécie de animal doméstico.

De todas as formas, o pior que podemos fazer com relação aos nossos animais de estimação é levá-los a competir entre si. Vocês não concordam?

Ter um animal de estimação, uma decisão responsável

Na hora de decidir ter um cãozinho, temos que levar muitas questões em consideração. E, logicamente, o gosto pessoal será importante na hora de optar entre cães e gatos. 

Mas também temos que pensar sempre em termos de responsabilidade com relação ao animal de estimação que iremos adotar ou que iremos comprar.

Por exemplo:

  • O espaço que dispomos na nossa casa
  • As horas que o animal deverá passar sozinho
  • A capacidade financeira para arcar com a alimentação, veterinário, acessórios, etc
  • O tempo que podemos dedicar para brincadeiras, passeios, higiene, etc
  • Como é composto o nosso grupo familiar

Escolha cães ou gatos, ou, até mesmo, ambos, mas sempre trate-os com amor

Por isso, além de uma questão de gosto, escolher um animal de companhia também é uma decisão que deve ser tomada em função da nossa realidade cotidiana. 

Mas, sobretudo, é uma escolha que deve vir do nosso coração. Não adianta nada ter um animal de estimação porque está na moda ou para querer mostrar um determinado status social.

Preferir um gato a um cão, ou vice-versa, não tem nenhum problema. O problema, na verdade, é não amar o seu bichinho ou submetê-lo a diferentes tipos de maus-tratos. Isso inclui, entre outras coisas, tanto a humanização como a irresponsabilidade de não garantir as suas necessidades mínimas de comida e atenção.

Também é bom que um bichinho de estimação escolha você

Portanto, voltamos ao que dissemos no início. O bom da vida é que temos o poder de escolha. 

Uma música do cantor espanhol Serrat descreve perfeitamente as suas preferências. O catalão diz, entre outras coisas:

  • Os caminhos levam às fronteiras
  • A vida ao sonho
  • O tempo ao ouro
  • As vozes das ruas às do dicionário
  • Os bairros ao centro da cidade

E, como diz o ditado, “cada cabeça é um mundo”, e é importante sempre decidirmos com total liberdade. 

Mas é também maravilhoso que um animalzinho, seja ele um cãozinho ou um gatinho, te escolha para você poder cuidar e oferecer todo o seu amor a ele.