Cegonha: um pássaro muito maternal

· outubro 24, 2018
Diz a lenda que ela traz as crianças para seus pais. É uma ave monogâmica e "se casa" para a vida toda. Os ovos são incubados pela mãe e pelo pai, e os filhotes são alimentados pelos dois.

Dizemos que alguém está “esperando a cegonha” quando está esperando um bebê. Em alguns países, acredita-se também que a criança, um menino ou uma menina, será trazido por esse grande pássaro diretamente de Paris.

No entanto, não sabemos muito sobre esta espécie de ave, que vive na África, Europa e Ásia… nem de onde surgiu a lenda de levar as crianças daqui para lá. Neste artigo vamos contar tudo a respeito das cegonhas.

Características das cegonhas

Embora seja chamada de cegonha branca, o fato é que esta ave também possui penas negras na parte inferior do corpo.

Além disso, o bico longo e as pernas cor de laranja se destacam, assim como os olhos negros.

É grande – mede cerca de 1,25 metro – e, graças às suas amplas asas, pode planar.

Bate as asas lentamente e, quando voa, estica o pescoço para frente e as pernas para trás. 

Para dormir, ela “esconde” a cabeça entre as penas e, ao caminhar, anda lentamente, olhando para baixo.

Quanto à sua dieta, sendo carnívora, ingere uma grande variedade de pequenos animais: peixes, répteis, insetos, aves ou mamíferos.

Para obter a comida, ela a pega diretamente com o bico ao nível do solo, especialmente em áreas de baixa vegetação ou espelhos de águas rasas.

A cegonha é monogâmica e, uma vez formado o casal, a parceria se mantém para a vida toda. 

Ambos são responsáveis ​​pela construção de um grande ninho, que pode ser usado por várias temporadas.

As fêmeas colocam cerca de quatro ovos, que são incubados pelos pais em turnos e eclodem depois de um mês.

No nascimento, os filhotes são alimentados por seus pais por dois meses.

cegonha com filhotes

Distribuição e migração da cegonha

Um quarto da população mundial de cegonhas vive na Polônia, no entanto, esta ave migratória viaja longas distâncias a cada ano, dependendo da época.

Para passar o inverno e não sofrer o frio típico da Europa Oriental, viaja para a Índia, península arábica e África subsaariana.

Um fato muito curioso sobre o seu voo é que, para chegar às terras africanas, “evita” atravessar o Mar Mediterrâneo.

Então, ela se desvia pelo Estreito de Gibraltar ou pelo Levante mediterrâneo. Desta forma, pode aproveitar melhor as correntes de ar que se formam junto à água.

Quando a primavera começa, retornam à Europa depois de uma viagem que dura aproximadamente 49 dias.

A ‘ida’ dura quase a metade do tempo (26 dias) e isso por causa da direção e velocidade dos ventos, a quantidade de comida que elas encontram, a energia que possuem, etc.

cegonha voando

A cegonha na cultura popular

Esta ave faz parte de muitas lendas e tradições antigas. Por causa de seu comportamento, seu voo, sua permanência perto de assentamentos humanos, seu tamanho ou sua alimentação. No antigo Egito, o hieróglifo que a simboliza significa “alma” e os hebreus a consideram um ser misericordioso.

Os gregos e romanos relacionam esta ave com a paternidade e uma lenda diz que elas não morrem; apenas voam para ilhas distantes e se tornam pessoas.

Ela também é a protagonista de várias fábulas – como a da raposa e da cegonha – e é venerada pelos muçulmanos durante a peregrinação deles a Meca.

Mas, claro, as cegonhas são mundialmente conhecidas por “trazerem” os bebês para seus novos pais.

Esta lenda remonta ao século 19, graças a uma história escrita por Hans Andersen.

No entanto, a história é mais antiga: os alemães disseram que esses pássaros haviam encontrado bebês em uma caverna. As cegonhas então os pegaram com seus bicos e os levaram para suas casas.

Quando um casal queria ter filhos, eles colocavam doces no peitoril da janela para “avisar” à cegonha que ela poderia chegar lá e trazer um bebê para eles. 

Esta tradição se espalhou pelo mundo e hoje é conhecida internacionalmente.