Como acalmar um cão irritado?

· janeiro 1, 2018

O temperamento dos cães varia de acordo com sua personalidade, pois existem cães mais propensos a serem agressivos do que outros. De que forma acalmamos um cão irritado? Nesse caso, existem várias técnicas que colocamos em prática para acalmar nosso amigo peludo.

Embora seja preciso dizer que a genética anda de mãos dadas com o mau humor dos cães, também podemos dizer que o comportamento do seu dono exerce influência sobre o comportamento do seu bicho de estimação. Os cães que apresentam uma tendência a serem agressivos exigem do seu dono que ele demonstre grande poder e inspire respeito, quer dizer, o dono tem que ser uma figura dominante que seja capaz de lidar com a situação.

Do jeito que for tratado o cão por natureza agressivo, esse comportamento vai acabar sendo reforçado ou desestimulado. Por um lado, se o animal sofre maus-tratos ou sua educação é muito rígida, possivelmente, ele vai manter seu comportamento agressivo. Por outro, se ele for tratado com afeto e respeito, é provável que seu temperamento seja suavizado.

Conselhos de como acalmar um cão irritado

1. Manter a calma. A primeira coisa para acalmar um cão irritado é manter a calma, pois se o animal percebe a angústia, o estresse ou o medo sinalizado pela pessoa, seu comportamento piora.

Quando o dono se encarrega de acalmar o cão, ele deve falar com calma e de forma pausada. Sua postura corporal não deve mostrar que o dono perdeu o controle da situação, e é importante fazer com que o cão saiba que, apesar do seu comportamento, o dono é quem continua mandando.

dono segurando o cão pela coleira

2. Não demonstrar uma postura de desafio ou ameaça. Quando os cães ficam irritados, são capazes de saltar ou de andar de um lado para o outro de forma errática.

Querer ir atrás dele ou agarrá-lo pode piorar a situação. Assim, o melhor a se fazer é ficar no mesmo lugar. No caso de ser preciso se mexer, os passos devem ser lentos e leves.

Além disso, não é recomendável se colocar na frente do cão e ficar olhando-o fixamente. O animal vai considerar ambas as posturas como uma ameaça, e, quando se trata do cão de outra pessoa, o melhor é se afastar pouco a pouco. Não se deve correr, porque isso pode assustar o cão e fazer com que ele ataque.

Clareza e reforços positivos

3. Dar ordens claras. Para acalmar um cão irritado, as ordens dadas devem ser claras e consistentes.

Cabe assinalar que um erro comum cometido pelos donos é começar a dar várias ordens de uma vez só: “Calma, silêncio, senta, calado”. Todas essas ordens dadas ao mesmo tempo aumentam o nível de ansiedade do animal.

Deve-se dar uma ordem clara e manter-se firme, como chamar o cão pelo nome, pois ajuda a chamar sua atenção. Por exemplo: “Bobby, calado”, e repetir a ordem até que o cão atenda.

4. Não repreender. Quando já tiver passado o momento de irritação, não se deve repreender o animal, pelo contrário. É preciso entender o que provocou essa situação. Dessa forma, no que se refere ao adestramento dos nossos cães, precisamos entender que temos que dar preferência ao reforço positivo.

Se a agressividade for produto da presença de outro cão, é possível que se trate de uma disputa de poder. Então, ambos os cães estão tratando de avaliar quem domina o território.

É por isso que, nesse caso, no momento que você repreende o cão, ele não vai saber como deve se comportar diante de outros animais e em situações semelhantes.

Como controlar a agressividade em um cão

A agressividade traz consigo uma alta carga genética que se expressa na personalidade dos cães, já que existem raças que, por natureza, são bravas e impulsivas. Esse é o caso dos Rottweiller, Dobermann e do pastor-alemão. No entanto, existem algumas considerações que você pode seguir para amansar sua personalidade:

1. Manter uma rotina. As rotinas são importantes para todos os cães.

No caso dos cães agressivos, a rotina lhes dá uma ideia de limites e do que é permitido. Além disso, é através dela que eles desenvolvem seu autocontrole.

cão deitado no gramado

2. Demonstrar quem manda. O cão com problemas de comportamento precisa saber quem é o dono.

Esse tipo de animal exige diretrizes claras e consistentes. Assim, a linguagem corporal deve ser coerente com as ordens dadas.

Nesse sentido, estabelecer uma relação baseada na confiança ajuda a amansar a personalidade dos cães. Isso porque gerar uma empatia dono-cão faz com que os últimos se sintam mais confiantes e menos inseguros.

3. Exercício físico diariamente. Os cães com personalidade forte costumam ter muita energia, por isso, precisam se exercitar regularmente.

Assim funciona as coisas, podemos optar por fazer longas caminhadas ou corridas no parque, mas o que é realmente importante é que ele faça um exercício físico diário, de maneira regular.

4. Controlar a alimentação. Tanto passar fome quanto se alimentar em excesso pode gerar mau-humor nos cães. Dessa maneira, é recomendável que o dono tome cuidado com a quantidade e o tipo de comida que o seu animal consome.

Fazer um registro da linguagem corporal do seu cão ajuda a avaliar padrões de conduta e comportamento.