Cães que odeiam seus donos

novembro 3, 2017

Muito tem sido falado sobre a relação estreita e especial entre os seres humanos e os cães. Eles são chamados de “melhor amigo do homem”. No entanto, estudos recentes mostraram que nem tudo o que brilha é ouro. Há sim cães que odeiam seus donos.

Isso parece algo difícil de se acreditar, porque os cães têm mostrado durante a história o amor incondicional e a lealdade que eles sentem para com os seres humanos. Muito também já foi dito sobre os bons sentimentos deles e que nenhum mal pode habitar em seus corações.

Como se pode afirmar então que há cães que odeiam seus donos?

 Há realmente cães que odeiam seus donos?

Nicholas Dodman, da Universidade Tufts, em Massachusetts, acredita que sim. Em seu livro “The Conversation”, ele cita um exemplo real de um homem, Rick, e seu terrier.

Rick ama seu cachorro irlandês, mas parece que esse é um amor platônico. Ruckus, como o cão é chamado, responde de forma agressiva. Ele começou a marcar seu território em todos os lugares e, às vezes, Rick tinha que chamar sua esposa para amarrar o cachorro, porque ele temia ser atacado pelo cão.

Filhote de cão com olhar meigo e mãos segurando flores

Com essa experiência, embora não muito comum, Nicholas queria mostrar que existem alguns donos que estão passando por essa situação com seus animais de estimação. Estas são situações que não podem passar despercebidas, porque, no caso de Ruckus, por exemplo, o assunto não acabou bem.

Um dia, quando Rick estava cortando a grama, Ruckus o atacou e os agentes de controle de animais tiveram que intervir. Triste, mas é a verdade. É importante saber os motivos que podem levar a esse tipo de comportamento.

Razões pelas quais há cães que odeiam seus donos

O caso de Ruckus não é único. Existem alguns cães que podem responder da mesma maneira por vários motivos. Vamos falar sobre algumas dessas razões.

Traumas

Embora Ruckus aparentemente odiasse seu dono por algum motivo desconhecido, outros podem estar em situações diferentes, mas eles foram levados a reagir da mesma maneira. Por exemplo, os cães que foram maltratados simplesmente não querem conviver com seus novos proprietários, porque eles não parecem interessantes ou porque são rígidos.

Devemos lembrar que tanto pessoas quanto cães têm personalidades próprias e nem todos se encaixam bem em tudo. Os animais também têm preferências. Um trauma pode fazê-los ser negativos e acreditarem que eles não estão felizes vivendo com essas pessoas.

Sua reação pode ser agressiva, embora a de outros cães possa ser apática ou indiferente. Tudo dependerá do cão e da gravidade do trauma.

Medo

Dodman conta, em seu livro “O cão que amava demais”, a história real de um pastor alemão que temia seu dono. Quando ele chegava em casa, o cão corria para se esconder.

Seu dono nunca o tinha ferido, mas o cão tinha sido anteriormente maltratado, o que criou uma espécie de aversão a todos os homens. No entanto, essa história teve um final feliz.

Cão marrom olhando para a câmera

A esposa do homem tinha episódios de hipoglicemia e o animal costumava socorrê-la rapidamente. Quando ele percebia que sua ajuda era necessária, alertava seu dono. O dono, por sua vez, aproveitou essas ocasiões para dar carinho e mostrar ao cão o quanto ele o amava. Ao longo do tempo, o relacionamento deles melhorou.

 Coragem não é não ter medo,
mas sim ter a coragem para enfrentá-lo.

– Anônimo –

No caso de você notar atitudes semelhantes em seu cão, nós lhe diremos algo que você precisa: tempo e paciência. Um animal que passou por episódios traumáticos precisará de diversão, passeios e de boas recordações ao seu lado, isso será capaz de apagar seus traumas e eliminar seus medos.

Aposte sempre no reforço positivo e em palavras doces. Como sempre dizemos, com amor, carinho, perseverança e zelo, nada é impossível. Experimente!

Fonte da imagem principal: Tonatiuh Mendez Carrizosa.