O que devemos fazer para não desequilibrar um cão ou um gato

O que devemos fazer para não desequilibrar um cão ou um gato

Última atualização: 18 Junho, 2017

Por mais que tenhamos muita conexão com os nossos animais de estimação, não somos da mesma espécie. Por isso, as diferenças ou os desentendimentos de conduta podem surgir. É importante não só conhecer do que o nosso animal de estimação gosta, mas também o que pode desequilibrá-lo. Dizem que a convivência é difícil, e isso é verdade. Por mais apaixonados que estejamos pelo nosso cão ou nosso gato, até conseguirmos nos adaptar ao seu caráter e aos seus comportamentos, as coisas são um pouco complicadas.

E não somos só nós que sentimos isso, os animais também sentem. Para entender o seu animal de estimação e não fazer nada que possa desequilibrá-lo, vamos descobrir quais podem ser as causas e o que fazer.

O que pode desequilibrar os nossos animais de estimação

Cães e gatos são diferentes, por isso, os motivos que podem fazer com que eles se desequilibrem não são os mesmos. Vamos começar analisando os gatos.

O que desequilibra os gatos

O gato é um animal que gosta de rotina, independente e pouco expressivo. Isso faz que com que, toda vez que acontece alguma coisa à sua volta que o desequilibra, seja mais fácil de reconhecer os motivos, ao contrário de um cão.

As causas do desequilíbrio felino podem ser:

  • Mudanças de rotina. Até quando você muda os móveis dentro de casa, isso pode desequilibrá-lo.
  • Maus-tratos. Os animais não são feitos para serem maltratados, e o caráter tranquilo dos gatos faz com que estejam ainda menos preparados para isso. Sejam físicos ou verbais, os maus-tratos os afetam muito.
  • Os ciúmes. Os gatos são muito territoriais, e, nesse caso, aceitar um novo animal de estimação em casa com o qual terá que compartilhar o seu território e o amor de seus donos pode ser complicado.
  • Estresse. As causas anteriores e, com certeza, outras ainda desconhecidas são motivos de estresse para os gatos. Isso é algo que pode desequilibrá-los e fazer com que tenham comportamentos inadequados.

Consequências do desequilíbrio nos gatos

As mudanças de comportamento de um gato que está desequilibrado são visíveis. Por exemplo, ele pode começar a jogar para fora a areia da sua caixa de areia, perder o apetite ou espalhar a comida por todos os lados, urinar e defecar pela casa, lamber-se com força até fazer feridas ou usar o arranhador mais do que o habitual.

Além disso, é fácil encontrar irritações na sua pele, um sinal de estresse. Mas o que fazer para ajudar o seu gato?

  1. Espalhar aromas que o deixem à vontade pela casa (existem produtos do tipo à venda em pet shops)
  2. Ter muita paciência quando ele sentir ciúmes
  3. Adotar outro felino (aceitando que haverá um processo de adaptação)

O que pode desequilibrar um cão

Os cães são diferentes dos gatos, pois a atitudes que têm diante da vida é muito diferente, mais positiva. Para eles, talvez seja mais difícil se desequilibrarem, mas também acontece por essas causas:

  • Traumas. Se você adotou um cão idoso e notar comportamentos estranhos, é possível que ele tenha sido abandonado ou maltratado.
  • Humanizá-los. O cachorro é um animal, não uma pessoa. Você precisa demonstrar o seu carinho e atender às suas necessidades, mas sem ultrapassar os limites, a ponto de tratá-lo como um ser humano. Na verdade, isso é uma forma de maus-tratos.
  • Superprotegê-los ou afastá-los. Nenhum dos dois extremos são bons.
  • O ciúme diante de outro animal de estimação pode desequilibrar o seu cão.

Se o seu cão está sofrendo com alguma dessas causas, ele terá comportamentos problemáticos, como agressividade, latidos compulsivos e movimentos repetitivos, como tentar morder o rabo ou ficar dando voltas ao redor de si mesmo.

Como ajudar o seu cão

O ideal é:

  • Demarcar os limites na forma como você o trata, para que o amor e o carinho reinem, mas que deixe claro qual é o lugar de cada um.
  • Exercício físico. O exercício ajuda a eliminar as toxinas e relaxa.
  • Evite os castigos. O reforço positivo sempre é o mais adequado, como já foi demonstrado várias vezes. Portanto, os castigos só irão piorar a situação.

A adaptação com o novo animal de estimação pode ser complicada a princípio, mas siga esses conselhos e tudo dará certo.