Como adestrar um cachorro potencialmente perigoso?

Há quem diga que qualquer CÃO, não importando a raça nem o tamanho, é potencialmente agressivo e perigoso. Existem veterinários e defensores dos direitos dos animais e dos animais de estimação que explicitamente rejeitam o termo Cão Potencialmente Perigoso (CPP, sigla em tradução livre para o português). Eles argumentam que a classificação adequada é Raças Fortes. Por isso, nos concentraremos, hoje, em explicar como adestrar um cachorro potencialmente perigoso.

No entanto, mesmo que muitos estudos afirmem que, em relação aos níveis de agressividade, os chihuahuas são muito mais agressivos que os pitbull, a mordida de um e do outro, além de acarretar consequências, não podem ser comparadas uma com a outra.

O problema, na maioria dos casos, não está nos animais ou na sua suposta propensão à violência. O ponto-chave da questão do cachorro perigoso, dos cães que se mostram agressivos ou com problemas gerais de comportamento, costuma ser o seu dono; aquele responsável por adestrá-lo.

Um cão, não importa sua raça, que for adestrado de maneira errada ou adestrado por meio do emprego de violência, se torna um cachorro potencialmente perigoso.

As leis a respeito do cão perigoso ou violento

Pode-se concordar ou não com o emprego do termo potencialmente perigoso. Mas é verdade que existem raças que, se não contarem com um adestramento adequado e saírem do controle, se tornam um risco que pode ser mortal.

A legislação de um bom número de países regula a posse desses animais. Trata-se de uma tentativa de minimizar possíveis riscos trazidos por eles.

Lista das raças com maior risco de se tornarem cães potencialmente perigosos

As raças dentro da categoria CPPs são:

  • Pitbull terrier americano
  • Staffordshire bull terrier
  • American Staffordshire Terrier-Amstoff
  • Rotweiller
  • Dogo argentino
  • Fila brasileiro
  • Tosa Inu
  • Akita Inu

Os cidadãos que desejem adotar algum cão dessas raças devem cumprir alguns requisitos. É preciso ser maior de idade, não ter antecedentes criminais e ter comprovada capacidade física e psicológica.

Detalhes que devem ser levados em consideração

É consenso o fato de que os animais que apresentam maior risco para as pessoas são aqueles cujo perímetro torácico varia entre 60 e 80 centímetros. Além disso, sua altura varia de 50 a 70 centímetros, tem uma cabeça volumosa e robusta, além de um crânio largo e grande, bochechas musculosas e abauladas, mandíbula gigante e forte, boca larga e pesam acima de 20 quilos.

Os primeiros meses de vida definem em grande parte a personalidade do cão. Os filhotes devem permanecer sob o cuidado de suas mães até os dois meses e meio de vida. Esse tempo é fundamental para que aprendam tudo o que se refere à linguagem canina, assim como alguns códigos de comportamento típicos desses animais, como, por exemplo, quando e como utilizar a mordida.

Da mesma maneira, durante os primeiros quatro meses, ele deve se socializar com o maior número possível de animais, assim como com pessoas que vão além de seu “núcleo familiar”. Especialistas defendem que os animais que pulam essa fase ou não a aproveitam de forma plena, serão animais que, quando crescerem, apresentarão problemas de comportamento.

Ordens claras

Os cães não entendem ordens ambíguas nem contraditórias ou imprecisas (às vezes sim, às vezes não). Para eles se tornarem animais totalmente equilibrados precisam saber com clareza quais coisas podem fazer e quais coisas não podem.

Além disso, devem aprender a seguir ordens básicas, como sentar, se jogar, caminhar junto ao dono (nem em frente, nem atrás) e atender sempre ao chamado do seu dono.

No caso dos CPPs, a legislação de países como a Espanha também impõe uma série de condições para que esses animais possam sair à rua, como, por exemplo, o uso de correia e focinheira é obrigatório. Desde filhotes, os donos devem acostumar seus animais de estimação a usá-los. Recomenda-se que isso seja feito por meio do uso de brincadeiras e do reforço positivo.

Um cachorro que associa a focinheira com comida ou com sair para passear não costuma ter maiores problemas para usá-la.

Comportamentos que devem ser corrigidos rapidamente

Existem comportamentos de alguns cachorros que nunca devem passar batidos. Se não forem corrigidos rapidamente, podem se tornar irreversíveis:

  • Excessiva proteção dos recursos. Esse são os cães que grunhem quando alguém tira deles um brinquedo, por exemplo.
  • Mostra agressividade quando o acordam ou o mudam de lugar.
  • Persegue outros animais, causando-lhes danos ou até a morte.
  • Não acata ordens.
  • Demonstra medo ou ataca pessoas estranhas.
  • É ansioso

No mesmo sentido, é importante levar em consideração que os comportamentos agressivos podem ter origem em causas orgânicas, como doenças que provocam no animal muita dor.

Recomendados para você