Como os grandes felinos caçam?

· março 2, 2018

Quando falamos de grandes felinos, nos vem à cabeça os primos de nossos gatos. Esse grupo de predadores domina grande parte dos ecossistemas do planeta, e possui um grande êxito ecológico.

Isso se deve, em parte, às diferentes técnicas que utilizam para abater suas presas, pois estão entre os melhores caçadores do reino animal.

Devemos lembrar que, quando falamos de grandes felinos, nos referimos estritamente àqueles que rugem. Ou seja, quatro espécies do gênero Panthera.

Apesar disso, há autores que incluem neste grupo outras espécies incapazes de rugir, como o leopardo da neve, o guepardo e o puma.

Esse grupo de predadores domina grande parte do ecossistema do planeta, ocupando o topo da cadeia alimentar.

leopardo

O leão, o melhor estrategista

O leão (Panthera Leo) é um dos poucos felinos que vive em grupos. Isso lhe permitiu desenvolver técnicas de caça diferentes das do restante dos grandes felinos, conseguindo derrubar presas muito maiores.

As protagonistas da caça são as fêmeas. As leoas se organizam em grupos de caça e se aproximam das presas por vários lados.

A presa geralmente é um animal fraco, sobretudo filhotes de mamíferos de tamanho médio. No entanto, às vezes, os leões tentam caçar búfalos, hipopótamos ou até elefantes.

Os leões, diferente de outros grandes felinos, vivem em espaços muito grandes e com pouca vegetação. Isso faz com que a caça em grupo compense a falta de esconderijo vegetal para cercar as presas.

Normalmente, os machos só caçam quando não têm grupo. No entanto, participam da caça a presas maiores.

A presa geralmente é um animal fraco, sobretudo filhotes de mamíferos de tamanho médio. No entanto, às vezes, os leões tentam caçar búfalos, hipopótamos ou até elefantes.

O leopardo, o mais versátil

Os leopardos (Panthera pardus) são uma das espécies de felino mais distribuídas pelo mundo, e vivem em grande parte da África e da Ásia, adaptando-se a muitos habitats. É por isso que é a espécie que tem a maior variedade de presas entre todos os grandes felinos.

Na verdade, os leopardos já foram vistos comendo desde insetos até machos de antílopes de 900 quilos. No entanto, as presas do leopardo geralmente rondam os 80 quilos, um número que não pode ser desdenhado.

Algumas variedades de suas presas são macacos, peixes, serpentes, guepardos, filhotes de urso ou crocodilos. No entanto, o leopardo é um felino que não passa dos 90 quilos, por isso, age com muita cautela.

À estratégia de cercar suas presas pelas vegetação é preciso acrescentar que o leopardo tem uma grande habilidade para o salto e para escalar árvores, e se aproveita disso para caçar espécies que vivem nelas. Essa preferência pelas árvores também lhe permite proteger sua comida, pois hienas e outros grandes felinos, como o leão, podem roubá-la.

O jaguar, o de melhor mordida

Tem uma estratégia muito parecida com a do leopardo. No entanto, o jaguar (Panthera Onca) é mais forte e tem uma das mandíbulas mais poderosas do reino animal.

Isso, junto à sua preferência pela água, faz com que seja um dos poucos felinos que têm por costume comer tartarugas ou crocodilos, pois é capaz de atravessar as proteções dos corpos dessas vítimas.

Além disso, com essa grande força na mandíbula, o jaguar é capaz de matar suas presas rompendo o crânio de suas vítimas, ao invés de asfixiá-las como os outros grandes felinos fazem.

É preciso lembrar que esse felino vive na América do Sul, e que suas presas geralmente são mamíferos grandes, como cervos, capivaras ou antas.

Diferente dos leões, o jaguar não persegue muito suas presas, pois prefere acertar um golpe mortal direto de seu esconderijo.

 tigre siberiano

Fonte: Appaloosa

O tigre, o mais forte

O tigre (Panthera tigres) só é encontrado na Ásia. No entanto, vive em muitos habitats e existem muitas subespécies, de vários tamanhos, sendo o maior felino siberiano.

Os tigres se alimentam de grandes ungulados, ainda que também cacem perus reais, peixes ou lebres. Também comem outros predadores, como cobras píton ou leopardos.

Esse felino usa sua força para abater a presa com um golpe, e ainda que o ato de cerco faça parte da caça, não se incomoda em chegar a 90 km/h para alcançá-la.

Os tigres também asfixiam suas vítimas, mas essa espécie dá muita importância à força e à potência, pois são capazes de dar saltos enormes para derrubar suas vítimas.

Infelizmente, todas essas espécies estão muito ameaçadas pela atividade humana, especialmente pela perda de habitat, que afeta os grandes felinos de todo o planeta.

Imagem principal: cortesia de Victor Bautista.