Conselhos para socializar o seu animal de estimação

dezembro 30, 2017

Decidimos ter um animal de estimação com a esperança de encher de alegria a nossa casa. Mas é necessário ter cuidado, porque a fidelidade dos animais não deve ser transformada em posse. Por isso, socializar o seu animal de estimação é condição fundamental para uma convivência saudável.

Cães e gatos têm sua origem em lobos e felinos. Para esses animais, tomar posse de um território e da comida disponível ao redor é garantia de sobrevivência para si mesmos e para seu grupo. Por isso, um pouco de agressividade é vital para o seu animal de estimação. E o processo de socialização não irá eliminar completamente tal instinto.

É importante contar com a ajuda de um profissional veterinário e de um adestrador para socializar cães com dificuldades para isso.

O que é o processo de socialização?

Assim como os humanos, os animais também precisam aprender a viver em sociedade.

Socializar o seu animal de estimação é um processo que não ocorre da noite para o dia. As práticas de socialização ensinam um animal a se relacionar de forma mais amena com humanos e com outros animais. Reduz-se consideravelmente a probabilidade de uma conduta agressiva.

Cachorro tímido

O processo também inclui a perda parcial da sensibilidade aos estímulos diversos do ambiente externo.

Por que socializar o seu animal de estimação?

O processo de socialização protege o animal, o dono, e a todos os demais. Entre outras coisas, porque um animal pode reagir violentamente ante certas pessoas e outros animais que invadem seu território.

É um mito que algumas raças estejam condenadas a serem agressivas, enquanto outras jamais são violentas. Todo animal possui seu instinto de autoproteção. Quando se sentem ameaçados, eles podem reagir de forma inesperada.

Cada animal reage de maneira diferente de acordo com o contexto. Não há uma raça violenta por natureza. O que sim há é um animal submetido a condutas violentas, ou que não foi corretamente socializado.

Por isso, a melhor forma de proteger o seu animal de estimação é educá-lo para ter um comportamento socialmente aceitável.

Regra geral: socializar desde a primeira etapa de vida

É importantíssimo começar a socialização na primeira etapa da vida de seu pet. Assim como os bebês humanos, os filhotes são como esponjas. Absorvem mais facilmente o aprendizado oferecido.

Os filhotes ainda não possuem maus hábitos e é mais fácil moldar a personalidade deles.

O período ótimo para começar a socializar o seu animal de estimação é entre a quarta e a vigésima semana de vida. É nesse momento que o animal desenvolve suas primeiras habilidades de convivência com o meio externo.

Os estímulos sociais devem ser propostos gradualmente. Começaremos apresentando os filhotes a outras pessoas e a outros animais em nosso meio. Também funciona convidar amigos e familiares para que tragam seus animais de estimação à sua casa. Assim, o nosso filhote entenderá que deve compartilhar amigavelmente seu território.

Depois de completar as primeiras vacinas, é bom incorporar passeios a ambientes diversos. Comece por diversificar os caminhos nos passeios recorrentes. Vá por ruas diferentes, com uma comunidade diferente e com outros animais. Se possível, leve seu animal de estimação para conhecer parques, a praia, lugares diferentes do da cidade à qual ele está acostumado.

Socializando um cão adulto

Nem sempre é possível socializar o seu animal de estimação desde a primeira etapa de sua vida. Se você quiser introduzir um novo integrante à família, ou adotar um animal adulto, é importante aprender a socializá-los.

Começar a socializar um cão adulto é bem mais difícil do que a um filhote. Principalmente porque o animal pode ter desenvolvido maus hábitos e ser muito possesivo com seu território.

Socializando um gato adulto

Os felinos são extremamente territoriais. Por isso, os amigos felinos merecem uma atenção especial no momento de se socializarem.

O primeiro passo é não achar que os gatos não precisam se socializar porque já são independentes. Os felinos também apresentam comportamentos agressivos por posse sobre seu território e seu dono.

Conselhos práticos para socializar um gato adulto

Não o obrigar

Os gatos são mais reservados que os cães. Por isso, o processo de interação com pessoas e outros animais é mais lento e gradual.

Gato recebendo carinho

É necessário ter paciência e não obrigar o gato a realizar nada contra sua vontade.

Brincadeiras físicas e mentais

Não é muito comum levar um gato para passear ou para se exercitar na rua. Isso poderia causar terror em seu bichano. Mas também é necessário e possível oferecer uma vida ativa a um felino doméstico.

Podemos fazer brincadeiras para desenvolver física e mentalmente o gato. Aproveite que os felinos são muito inteligentes.

Apresentar a outros gatos

Começaremos por trazer um gato de confiança para nossa casa. Mas somente por 1 ou 2 horas. E não obrigaremos que os dois felinos interajam diretamente. Com o tempo, eles mesmos terão curiosidade por interagir entre eles.

Fonte da imagem principal: whiz-ka