A convivência entre um gato e um hamster é possível?

A convivência entre um gato e um hamster é possível desde que sejam seguidos alguns passos específicos. Aqui você vai descobrir quais são.
A convivência entre um gato e um hamster é possível?

Última atualização: 03 Dezembro, 2021

O amor professado pelos animais da casa não depende das espécies. No entanto, também é necessário avaliar a compatibilidade entre os animais de estimação, pois alguns podem não se dar tão bem quanto se poderia pensar. Esse é o caso da convivência entre um gato e um hamster, embora seja perfeitamente possível em certas circunstâncias.

É importante não esquecer a natureza das duas espécies, pois o gato tem instinto de caça e o hamster é uma presa. Aqui vamos contar os segredos para que esses animais possam ter uma convivência tranquila e sem estresse. Não perca.

Os hamsters e os gatos se dão bem?

A resposta mais óbvia é não. Porém, não é um antagonismo como no caso de um gato e um cão, já que ambos são competidores por natureza: carnívoros, caçadores, presas semelhantes e uma territorialidade marcada.

No caso de gatos e hamsters, a relação é diferente, pois o felino verá o roedor como presa. Pode ser que eles não se deem bem porque os gatos vão querer comer os hamsters, que obviamente não querem ser comidos. Com base nisso, a convivência entre um gato e em hamster não é possível de forma natural.

Um hamster nas mãos de seu tutor.

Meu gato brinca com os roedores, mas não os mata

Para os felinos, a caça e a brincadeira estão intimamente relacionados. Desde que são capazes de se mover por conta própria, a mãe treina os filhotes para caçar, mostrando-lhes como capturar presas vivas. Portanto, mesmo que um gato doméstico não tenha a intenção de matar um roedor, as brincadeiras que ele faz podem ser perigosos.

Um gato que tem acesso ao ar livre terá mais probabilidade de ver o hamster como presa, pois, enquanto estiver do lado de fora sem supervisão, poderá dar rédea solta ao seu instinto de caça. Um exemplo ilustrativo de tudo isso é relatado em um estudo realizado em 2013 : gatos domésticos na selva matam 1,3 a 4 bilhões de pássaros e 6,3 a 22,3 bilhões de mamíferos por ano nos Estados Unidos.

É possível conseguir uma boa convivência entre um gato e um hamster?

Embora seja altamente improvável que ambos os animais sejam melhores amigos, é possível fazer com que eles vivam juntos pacificamente em um lar. Para fazer isso, você tem que trabalhar com os dois animais: com o gato para que não veja o hamster como presa e com o roedor para que consiga ficar perto do felino sem estresse. Aqui estão algumas dicas úteis para fazer isso.

Mantenha seu hamster seguro

Especialmente no início do relacionamento, o ambiente do seu hamster deve ser seguro para ele. Se possível, o gato não deve ter acesso ao cômodo e o roedor não pode escapar desse espaço.

Pense que, mesmo que o gato não consiga tirar o hamster da gaiola, apenas ao ficar por perto vai causar muito estresse no roedor.

Depois que o hamster se acostumar com a presença do gato (o que você poderá conseguir com as instruções na próxima seção), você só terá que supervisionar suas interações e manter a gaiola do hamster em um lugar onde o gato não possa derrubá-la. Uma boa opção é colocá-la alto e encostada em um canto.

Faça uma boa apresentação

Apresentar os dois animais corretamente é o segredo para ajudar a tornar a convivência mais fácil. Para isso:

  1. Deixe o gato se aproximar da gaiola: sempre sob supervisão, deixe os dois animais se verem através das grades. Dessa forma, eles serão capazes de se cheirar e gradualmente se acostumar com a presença um do outro.
  2. Apresente o hamster: pegue o hamster em suas mãos e apresente-o ao gato. Você deve pedir a outra pessoa para ajudá-lo a segurar o gato no caso de ele atacar o roedor. Use um tom suave, acaricie o hamster para tranquilizá-lo e nunca force os tempos de exposição.
  3. Treine seu gato: durante as 2 etapas anteriores, sempre que o gato tenta tratar o hamster como uma presa, responda com um firme não e termine a interação. Por outro lado, desde que ele aja pacificamente (cheirando ou ignorando o hamster), recompense-o.
  4. Repita essas etapas quantas vezes forem necessárias: as personalidades de ambos os animais podem deixar o processo mais curto ou mais longo, mas isso não significa que seja impossível.

Sempre monitore o tempo que eles passam no mesmo ambiente

A convivência entre um gato e um hamster, mesmo com uma boa apresentação, nunca é isenta de riscos. Portanto, quando os dois animais estiverem no mesmo espaço, você precisa estar presente e prestando atenção. Caso contrário, pode ocorrer um acidente (mesmo que o gato não tenha intenção de caçar o hamster) e você pode chegar tarde demais.

E se eu não conseguir uma boa convivência entre um gato e um hamster?

Nesse caso, você não terá escolha a não ser mantê-los em cômodos separados e, idealmente, o gato não pode ter acesso ao cômodo do hamster. Nesse ambiente, você deverá preparar um espaço para que o roedor faça as suas saídas diárias e certifique-se de que o animal não consegue escapar por baixo da porta ou por alguma outra abertura.

Algumas pessoas usam bolas de plástico como um método “seguro” para que o hamster ande pela casa, pois dessa forma os outros animais não têm possibilidade de atacá-lo. No entanto, seu uso é desencorajado, uma vez que é uma grande fonte de estresse para os roedores, bem como pode causar insolação e outros problemas associados.

Um gato e um hamster em um fundo branco.

Em todo caso, se você não conseguir que os dois animais se tolerem, não se desespere: é uma incompatibilidade resultante das tendências naturais de ambas as espécies, não do seu desempenho. O importante é que tanto o gato quanto o hamster vivam felizes e saudáveis compartilhando momentos de qualidade com você (e não um com o outro).

Pode interessar a você...
5 dicas para melhorar a convivência de vários gatos em casa
Meus Animais
Leia em Meus Animais
5 dicas para melhorar a convivência de vários gatos em casa

Melhorar a convivência de vários gatos exige melhorar o espaço, fazer uma boa apresentação e enriquecer a vida e o relacionamento dos animais.



  • McDonald, J. L., Maclean, M., Evans, M. R., & Hodgson, D. J. (2015). Reconciling actual and perceived rates of predation by domestic cats. Ecology and Evolution5(14), 2745-2753.
  • Loss, S. R., Will, T., & Marra, P. P. (2013). The impact of free-ranging domestic cats on wildlife of the United States. Nature communications4(1), 1-8.
  • Langley, W. M. (1985). Relative importance of distance senses in hamster predatory behavior. Behavioural processes10(3), 229-239.