Depois de ficar preso dentro do elevador, um cachorro fez isto...

Depois de ficar preso dentro do elevador, um cachorro fez isto...

Última atualização: 19 julho, 2017

Ninguém gosta de ficar sozinho e preso dentro de um elevador, muito menos se você for um bichinho e estiver  perdido. Por isso, um cão fez o que um humano teria feito nessa situação. Apertou os botões, inclusive, o de emergência. Parece algo surpreendente para você? Talvez não seja mais do que outro exemplo da inteligência dos animais.

Conheça a história do cão que ficou preso dentro de um elevador no metrô de Barcelona

O incidente ocorreu na estação Torre Baró/Vallbona, da linha 11 do metrô barcelonês. O Centro de Segurança e Proteção Civil do Metrô recebeu uma ligação pedindo auxílio e essa chamada vinha de um elevador que conecta a rua à entrada da estação de metrô.

Mas quando ligaram a câmera para verificar o que acontecia, perceberam que uma chamada de SOS havia sido feita por um cachorro.

O bichinho, que estava com coleira, aparentemente se encontrava perdido, e pareceu desorientado ao ser libertado de sua prisão temporária. Sabe-se que, por fim, a guarda civil se encarregou de tomar conta dele e supomos que, em seguida, tenha sido devolvido aos seus donos.

Conheça a notícia do bichinho que ficou preso em um elevador do metrô barcelonês. Para tentar sair, o cachorro fez o que  qualquer ser humano  faria: apertou todos os botões ao seu alcance.

O cão fez o que com certeza sempre vê o dono dele fazer

A verdade é que o cachorro fez o que, com certeza, viu seus donos fazerem infinitas vezes. Ele apertou os botões do elevador para que as portas fossem abertas. Se as pessoas agem dessa maneira, por que ele não agiria assim também?

O fato é que nossos amigos de quatro patas são grandes observadores, e se resta alguma dúvida, também são muito inteligentes. Até os estudos científicos comprovam cada vez mais o que qualquer dono atento sabe sobre seu animal de estimação.

O dicionário define a palavra inteligência como sendo a capacidade de entender ou compreender, e também a de resolver problemas. Ainda resta para você alguma dúvida de que nessa descrição cabe perfeitamente um cachorro?

A inteligência de nossos amigos de quatro patas

Pesquisas recentes afirmam que as capacidades cognitivas dos cães são muito semelhantes às de uma criança pequena. Por exemplo, da mesma forma que as crianças, os bichinhos conseguem assimilar vocabulário por meio da dedução e da exclusão. Alguns cães são capazes até de relacionar rótulos abstratos com objetos concretos.

Mas além de terem sua inteligência natural, os cães convivem com os homens há mais de 40 mil anos . É normal que eles, tendo nos observado por tantos séculos, conheçam todas as nossas artimanhas e saibam tudo o que fazemos e como fazemos, inclusive, pressionar o botão do elevador para abrir a porta.

E assim, eles têm a capacidade de nos copiar e de nos imitar. Em um dos diversos estudos já realizados, os cães participantes tinham que abrir uma porta empurrando-a. Esses animais foram divididos em dois grupos, um devia imitar os humanos, o outro devia conseguir abri-la usando seus próprios meios.

Os bichinhos que tinham que agir por imitação aprenderam muito mais rápido. A conclusão foi que os cães, ao invés de preferir o método “tentativa e erro”, costumam resolver melhor as coisas se virem como um outro as faz primeiro.

Esses adoráveis manipuladores que até apertam os botões de um elevador

Como se tudo isso fosse pouco, nossos queridos amigos de quatro patas também sabem como nos manipular. Já tínhamos advertido você sobre isso ou, pelo menos, suspeitava disso?

Uma pesquisa feita há pouco tempo demonstrou que os cães nos enganam e adaptam seus comportamentos conforme o que é conveniente para eles. E empregam o sigilo e a dissimulação para conseguir o que procuram. Além disso, compreendem muito bem o que lhes dizemos. Mas, sobretudo, como lhes dizemos algo.

E sim, alguns dizem, desde um ponto de vista etnocêntrico, que a única coisa que lhes falta é falar. No entanto, eles têm sua própria linguagem. Apenas é preciso aprender a interpretá-la, assim como eles aprendem a interpretar a nossa linguagem, tendo como exemplo: como abrir a porta de um elevador.


Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.