Dicas para a criação do peru doméstico

· dezembro 14, 2018
A alimentação é a chave para garantir uma carne de qualidade. As quantidades e proporção de comida natural, assim como um ambiente adequado, são fatores que precisam ser considerados para ter sucesso nessa atividade comercial.

Muitas pessoas criam peru doméstico para o consumo pessoal ou para vender como alimento. Em muitos países, o peru é uma comida típica do Natal, fazendo dessa uma atividade comercial bastante lucrativa durante as festas de final de ano.

Entretanto, as propriedades nutritivas que a carne de peru possui em relação a outros animais fez com que, nos últimos anos, fosse incluída também nas dietas diárias.

Além de possuir uma carne mais magra que a de outros animais, o peito de peru possui pouco sódio, menos calorias e gorduras e contém mais proteínas, cálcio e vitaminas do que o peito de frango.

Em comparação com outras carnes vermelhas, a de peru apresenta uma da menores quantidades de colesterol.

A qualidade dos cortes extraídos varia de acordo com os alimentos utilizados na criação. Uma boa criação de peru doméstico é o que garantirá uma nutrição saudável para o consumo humano, além de sucesso comercial.

A criação de peru doméstico

Embora seja uma ave, o peru não é capaz de voar porque suas asas são muito grandes. Pode chegar a medir até um metro de altura e o peso varia entre 4 e 20 quilos.

perus domésticos

Durante os primeiros meses de vida, os filhotes de peru passam os dias protegidos, sob a asa da mãe. Em um ambiente natural, a criação de peru doméstico faz com que, desde o nascimento, ele se alimente sozinho.

O menu diário dessas aves inclui insetos, grãos, folhas e pedras, frutas, bolotas e outras espécies silvestres. Elas também se alimentam de minhocas, caracóis, larvas de insetos, sementes, farelo de trigo, legumes e cereais.

Como criar muitos perus

No caso de criadouros com uma grande quantidade de perus, costumam ser utilizadas formas de criação diferentes das mencionadas.

Algumas das técnicas de criação mais conhecidas nos grandes criadouros incluem manter o peru em uma incubadora com fundo coberto em papel. Sobre ele, a comida é colocada desde os primeiros dias de nascimento.

O interior desse viveiro deve contar com lâmpadas de 120 ou 250 watts em seu interior. Isso garante que o ambiente apresente uma temperatura de 34 ºC nas primeiras semanas de vida da ave.

perus domésticos

Passado esse tempo, pode ser incorporada na dieta um alimentador para peru. Tanto o recipiente do alimento como o de água devem conter comida suficiente para 25 aves.

É importante que sejam colocados longe do calor das lâmpadas e, ao mesmo tempo, ao alcance dos perus.

Durante as primeiras semanas de criação do peru doméstico, recomenda-se que sua dieta contenha 30% de proteína na ração, além de incluir milho e aveia por 14 semanas.

Depois de 80 dias vida, é possível adicionar batatas e cereais à alimentação, bem como deixar a ave livre para comer grama.

Não é recomendado criar o peru com alimentos comerciais, já que pode diminuir consideravelmente a qualidade da carne.

Também evite que cresçam em excesso, porque o tamanho anormal é sinal de alimentação artificial. Os consumidores sabem que, quanto mais natural for o alimento do peru, melhor será a carne.

Reprodução do peru doméstico

A fêmea é capaz de se reproduzir depois de completar três anos de vida. Entretanto, só pode fazer isso na primavera. Durante essa época, porá entre oito e quinze ovos, chocando-os durante 28 dias.

Para conservar o bem-estar do peru e garantir uma carne de qualidade, é necessário ter alguns cuidados. Por exemplo, isolar as aves doentes para diminuir o risco de contágio e transmissão de doenças.

Criação do peru doméstico

Outro ponto importante são as medidas preventivas que ajudam a reduzir o nível de canibalismo.

Por um lado, o peru doméstico precisa de espaço suficiente para se afastar das outras aves, sair para pastar, além de se proteger da luz e do calor.

Uma vez que tenha crescido o suficiente, mas ainda seja jovem, é importante cortar a ponta do bico para evitar brigas, o que pode resultar na morte de um dos machos do grupo.