Doenças de gatos idosos

À medida que vão envelhecendo, a saúde dos animais de estimação (assim como a das pessoas) começa a se degradar. É fundamental então estar preparado para atender e cuidar de nosso melhor amigo como se deve. Por isso, no seguinte artigo contaremos a você quais são as principais doenças de gatos idosos.

Quais são as doenças mais comuns em gatos idosos?

Em idade avançada, os gatos estão mais propensos a sofrer de certas doenças que raramente aparecem em filhotes ou em felinos jovens. A estas, devemos somar as mudanças em seu comportamento e a falta de energia generalizada. Se arme de paciência e lhe ofereça todo o seu amor, para que ele se sinta reconfortado, caso sofra de alguma das seguintes doenças de gatos idosos:

  1. Artrite

É a mais comum e se trata de uma inflamação nas articulações que causa fortes dores. Além disso, o gato não poderá realizar certas atividades, tais como: saltar, subir em árvores e inclusive caminhar, devido à rigidez de suas patas ou quadril. É provável que o felino fique um pouco irritável e agressivo quando sentir dor.

Gato cinza

Se seu animal de estimação sofre de artrite, é importantíssimo que você o leve ao veterinário para que ele o examine e prescreva uma medicação específica para reduzir a dor. A artrite é mais frequente nos cotovelos e no quadril. Se ele sofre de sobrepeso, esta condição pode ser agravada.

  1. Problemas dentais

É outra das doenças de gatos idosos que merece uma consulta com um especialista. Ainda que as mudanças periodontais comecem a partir dos dois anos, elas se acentuam quando o felino passa dos 8 ou 9 anos de idade. Eles não costumam demonstrar dor até que o problema esteja muito agudo.

As infecções nas gengivas e na boca do gatinho podem causar outras complicações, como abscessos na raiz dos dentes, infecções nasais, fratura de queixo, etc. Uma boa maneira de nos darmos conta de que o nosso bichano sofre de uma doença dental é através do hálito. A limpeza oral do animal é importantíssima em qualquer etapa de sua vida, para prevenir este tipo de problema.

  1. Obesidade

O sedentarismo dos gatos adultos se transforma, em muitos casos, em sobrepeso. Especialmente aqueles que foram esterilizados e têm mais chances de sofrer de obesidade (sejam fêmeas ou machos), porque comem mais e são menos ativos. Ofereça-lhe uma ração adequada segundo sua idade e o nível de atividade que ele realiza. Leve-o ao veterinário, porque há opções de rações com poucas calorias e gorduras.

  1. Perda da audição

É outra das doenças de gatos idosos mais comuns. Pouco a pouco, ele irá ouvindo menos do que antes, e isso se nota em seu comportamento. Por exemplo, você não conseguirá acordá-lo tão facilmente, ele irá ignorar certos sons que antes o faziam entrar em movimento (por exemplo, abrir uma lata de comida) ou nem sequer olhar para você quando o chamar. Ele deverá ir ao veterinário para descartar infecções ou doenças graves que estejam interferindo em sua audição.

É importante que você o ensine a identificar seus gestos, além disso, os brinquedos não precisarão fazer algum tipo de som. Melhor serem luminosos, porque assim ele poderá interagir com eles.

  1. Problemas intestinais e urinários

É muito comum que, a partir de certa idade, os gatos defequem e urinem em qualquer lugar, e não mais na caixa de areia, como faziam anteriormente. Esta mudança de comportamento pode ser devido a vários fatores, como por exemplo uma infecção ou uma doença urinária ou intestinal. Os gatos adultos estão mais propensos de vir a sofrer de algumas destas doenças:

Gato laranja

  • Colite
  • Doença inflamatória intestinal
  • Insuficiência renal ou hepática
  • Doença dos sacos anais
  1. Perda de visão

É outra das doenças de gatos idosos mais habituais. Com o tempo, seus sentidos vão diminuindo. Pode apresentar cataratas, as quais aparecem como uma espécie de “teia” ou uma película cinza azulada sobre as pupilas. Não se esqueça de que, para os gatos, a visão é importantíssima, porque ela os permite caminhar em ambientes escuros. No entanto, eles têm outros sentidos desenvolvidos, como o olfato e a audição. Se seu gatinho ficou cego, mantenha os corredores da casa livres, tire objetos do chão e não mude os móveis de lugar. Dessa forma, ele poderá se orientar sem inconvenientes.

Fonte da imagem principal: Dmitriy Fomin.

Recomendados para você