Doenças mais comuns do hamster

· maio 21, 2018

As doenças mais comuns do hamster podem desequilibrar o organismo e afetar a saúde de seu pequeno companheiro. Ser capaz de reconhecer e prevenir essas enfermidades é muito importante para manter o animal saudável e a casa livre de problemas.

Diarreia: um sintoma frequente e preocupante

A diarreia não é uma patologia propriamente dita, mas é o sintoma mais frequente das doenças mais comuns do hamster. Ela representa um grande perigo para a saúde do animalzinho, pois pode causar uma desidratação severa em pouco tempo.

As principais causas de diarreia nesses pequenos roedores são:

  • Mudanças repentinas na dieta.
  • Higiene deficiente da gaiola e acessórios.
  • Uso de medicamentos veterinários, principalmente antibióticos.
Filhote de hamster

Se o seu hamster apresentar um quadro de diarreia, leve-o ao veterinário o mais rápido possível. Além disso, também é recomendado reforçar a sua hidratação e a limpeza do ambiente.

Doenças mais comuns do hamster

Em seu habitat natural, dificilmente os roedores ficam doentes, pois seu corpo é muito resistente e sua inteligência permite que se mantenham seguros e sobrevivam aos predadores.

Entretanto, ao serem domesticados, acabam expostos a diversos perigos graças às mudanças de ambiente e de alimentação. Por isso, é nossa responsabilidade oferecer as condições ideais para o seu desenvolvimento.

A seguir, veremos as doenças mais comuns do hamster, suas principais características e causas. Confira!

1 – Abcessos

O abcesso consiste em um nódulo palpável que se forma abaixo da pele do animal. Ele é causado pelo acúmulo de pus devido a uma infecção.

Normalmente, o processo infeccioso é ocasionado por uma ferida acidental ou uma mordida de outro hamster. A ferida pode evoluir para um abcesso quando não é devidamente desinfetada e cicatrizada.

Muitas vezes, os abcessos podem se formar perto das bochechas do roedor, fazendo com que fiquem inchadas. É muito importante ficar atento a estes pequenos inchaços, evitando complicações futuras caso venham a se romper.

Se o abcesso já tiver se desenvolvido, a única forma de tratamento consiste em sua extração e posterior recuperação. É bom lembrar que o veterinário é o único profissional capacitado a realizar o tratamento adequado.

2 – “Cauda molhada”

A “cauda molhada” é uma das doenças mais comuns do hamster a apresenta alta taxa de mortalidade. Pode afetar animais de todas as idades, mas é mais frequente em filhotes, especialmente após o desmame. É neste momento que os pequenos mamíferos experimentam a mudança mais radical em sua dieta.

Como próprio nome da enfermidade sugere, o animal infectado apresenta a cauda permanentemente molhada por causa da diarreia constante. Por isso, corre risco de sofrer de desidratação e até morrer rapidamente. Este desequilíbrio de seu organismo tem como causa mais frequente as mudanças bruscas de alimentação ou uma dieta desequilibrada.

3 – Gripe e resfriados

A gripe e os resfriados costumam afetar os hamsters de maneira bastante similar aos humanos. Por isso, os sintomas são parecidos: febre, espirros, prostração, secreção nasal etc. Mais uma vez, é importante ressaltar que é indispensável procurar um veterinário ao notar os primeiros sintomas em seu bicho de estimação.

Infelizmente, o pequeno organismo desse roedor fica extremamente vulnerável quando é infectado pelo vírus Influenza. Consequentemente, a maioria dos hamsters desenvolvem uma pneumonia derivada da gripe e, nestes casos, a taxa de mortalidade é elevada.

Os surtos de gripe e resfriados são mais comuns durante o inverno, sendo fundamental reforçar a prevenção para a chegada dos dias mais frios. É por isso que é recomendado prestar atenção especial ao clima de casa e à localização da gaiola.

hamster correndo na roda
Fonte: Ko1

4 – Diabetes

A diabetes é outra das doenças mais comuns do hamster, e apresenta sintomas similares aos dos humanos. Cabe destacar que a espécie Anão Russo Campbell é especialmente vulnerável a desenvolver essa patologia.

Essa doença se caracteriza pela deficiência na produção de insulina pelo pâncreas. Quando o organismo secreta uma quantidade pequena dessa substância, fica incapaz de controlar os níveis de glicose no sangue. Assim, uma grande quantidade de glicose deixa de ser transformada em energia, ficando “presa”.

Dessa forma, o roedor entra em uma espécie de “estado de inanição”, pois a glicose não alcança a corrente sanguínea. Isso explica por que um hamster diabético é capaz de consumir grandes quantidades de comida e perder peso rapidamente, mesmo parecendo estar sempre faminto. Na verdade, apresenta diabetes.

5 – Tumores

Os hamsters podem desenvolver tumores em diversas partes do corpo, especialmente os mais idosos. Os tumores se apresentam como nódulos sólidos embaixo da pele do roedor, razão pela qual é importante estar atento a qualquer mudança física em seu mascote para reconhecer a presença de um tumor.

Como sempre, é essencial consultar imediatamente um veterinário para evitar que o tumor avance e verificar a possibilidade de retirá-lo. A prevenção correta contra as doenças mais comuns do hamster implica em realizar visitas periódicas a um especialista e desparasitar o animal adequadamente.