Existem animais que não dormem?

19 Dezembro, 2020
O sono é um ato comum para todos os animais, mas muitos deles não podem se permitir períodos de descanso de mais de alguns minutos de forma intermitente.

Dormir tem uma razão além do descanso. Nos animais, o sono aciona uma série de mecanismos reparadores, necessários para o bom funcionamento do organismo. Além disso, durante o sono, também ocorrem processos neurológicos importantes para uma boa atividade cerebral e a consolidação da memória e da aprendizagem.

Por mais surpreendente que possa parecer, não existem animais que não dormem, mas existe uma grande variabilidade no tempo de descanso das diferentes espécies. Enquanto há animais que podem dormir mais de 20 horas por dia – tais como os coalas – outros precisam de apenas alguns minutos de sono reparador.

Por que precisamos dormir?

Dormir é um processo vital para os animais, já que a falta de sono pode ter consequências negativas para os diferentes sistemas do corpo. Até mesmo as abelhas podem apresentar um comportamento anormal e errático quando privadas de descanso.

Enquanto dormimos, o cérebro não apenas descansa de todos os estímulos presentes no meio. Esse órgão também “trabalha” durante a noite, pois consolida o que foi aprendido nas horas de vigília e fixa a memória do indivíduo.

Existem animais que não dormem?

Na natureza, existem animais que dormem durante poucas horas ou até mesmo por alguns minutos e que são capazes de sobreviver dessa forma ao longo do seu ciclo de vida. As características do seu ambiente ou o seu modo de vida determinam o sono desses animais. A seguir, vamos mostrar alguns exemplos.

As girafas só dormem duas horas por dia

Esses grandes herbívoros precisam de apenas duas a quatro horas por dia para ter um sono completo, mas não dormem continuamente, pois o período de descanso mais longo geralmente não excede duas horas.

As girafas dormem em intervalos curtos de cerca de dez minutos e a maior parte desse tempo costuma ser de um sono leve durante o qual permanecem em pé. Quando estão na fase de sono profundo, descansam a cabeça sobre o corpo, mas isso representa apenas uma pequena fração do repouso total.

Quais são as razões para esse descanso tão curto? As girafas ficam muito mais vulneráveis ​​quando estão deitadas, pois os segundos que levariam para se levantar com a chegada de um predador são fundamentais para fugir e poder se defender.

Esse comportamento de presa também está presente em outros animais, tais como elefantes, cavalos ou ovelhas.

Outra teoria que tenta explicar esse descanso peculiar é a forma de alimentação. As girafas – assim como outros ruminantes – passam a maior parte do dia se alimentando. Cochilos curtos e espaçados – em vez de várias horas seguidas de sono – podem ser mais bem combinados como uma atividade paralela à alimentação e ruminação.

animais que não dormem

Aves e golfinhos podem dormir com metade do cérebro acordado

A ciência sempre se perguntou como era possível que os animais que vivem a maior parte da sua vida no ar ou na água pudessem dormir. A resposta para essa pergunta é encontrada no sono uni-hemisférico.

As aves e os mamíferos aquáticos se adaptaram a esse tipo de estratégia. Um exemplo disso são os golfinhos, que dormem com um dos hemisférios do cérebro acordado. Existe uma alternância entre os dois hemisférios, o que permite que esses animais descansem totalmente enquanto respiram e nadam – ou voam – ao mesmo tempo.

Ao dormir com apenas um dos hemisférios do cérebro, o outro permanece consciente o suficiente para que o animal suba à superfície em busca de oxigênio. Somado a essa peculiaridade está o fato de dormir com apenas um olho aberto, do lado oposto do hemisfério acordado.

Os insetos dormem?

Os insetos também dormem e existem diferenças na distribuição do sono em cada grupo. Por exemplo, as incansáveis ​​formigas descansam durante um período de cerca de quatro horas por dia, divididas em cerca de 250 cochilos de aproximadamente um minuto.

Esse tipo de descanso é praticado pelas formigas operárias, coletoras e soldados, porém, a formiga-rainha tem um sono mais prolongado. Sem dúvida, o descanso também é uma questão de privilégio no reino animal.

E os peixes? São animais que não dormem?

Os peixes não precisam subir para a superfície para respirar da mesma forma que os mamíferos aquáticos, mas, durante o sono, eles também ficam mais vulneráveis ​​aos predadores. Assim como acontece com outros animais, os peixes também têm diferentes hábitos, pois existem espécies diurnas, noturnas ou crepusculares.

Para descansar, a maioria dos peixes procura um lugar escondido para se refugiar, para de nadar e diminui a sua atividade metabólica, algo mais parecido com um descanso do que com o sono em si.

Em resumo, eles fazem algo parecido com os outros animais, mas a diferença é que não dormem profundamente – não apresentam a fase REM – ou, pelo menos, isso era o que acreditávamos até agora.

Estudos recentes documentaram o sono REM pela primeira vez no peixe-zebra, um animal modelo em estudos genéticos. De fato, esses peixes, com os quais compartilhamos grande parte do genoma, têm padrões de sono muito semelhantes aos dos humanos.

animais que não dormem

Conforme foi visto nessas linhas, não existem animais que não dormem, se entendermos esse descanso como qualquer parada em que a atividade metabólica individual diminui. Ainda assim, o número de adaptações e técnicas relacionadas ao sono no mundo animal é, no mínimo, surpreendente.

  • Cassill, Deby & Brown, Skye & Swick, Devon & Yanev, George. (2009). Polyphasic Wake/Sleep Episodes in the Fire Ant, Solenopsis Invicta. Journal of Insect Behavior. 22. 313-323. 10.1007/s10905-009-9173-4.
  • Jerome M. Siegel. Do all animals sleep?, Trends in Neurosciences, Volume 31, Issue  (2008), Pages 208-213.
  • Yuske Sekiguchi, Kazutoshi Arai, Shiro Kohshima. Sleep behaviour: sleep in continuously active dolphins. Nature (2006).
  • Shaw, Ethan. “How Do Giraffes Sleep?” sciencing.com, 2020.
  • Leung, L.C., Wang, G.X., Madelaine, R. et al. Neural signatures of sleep in zebrafish. Nature 571,198–204 (2019).