Existem insetos marinhos? Saiba, aqui!

março 14, 2019
Os insetos aquáticos compreendem entre 3% e 5% do total de insetos do planeta, mas em geral vivem em água doce.

Nos últimos anos, a ciência foi surpreendida pela descoberta inesperada de vários insetos marinhos. No entanto, quase todas as espécies identificadas habitam parcialmente ou totalmente em água doce.

Portanto, ainda há uma questão sobre se os insetos marinhos existem ou não, adaptados a águas com alta salinidade. A seguir, saberemos um pouco mais sobre os insetos marinhos e lhe diremos se eles existem em nosso planeta.

Como são os insetos marinhos?

São chamados insetos marinhos todas aquelas espécies de insetos que se desenvolvem total ou parcialmente em ecossistemas aquáticos.

Ou seja, eles vivem ao longo de suas vidas ou em alguns estágios específicos de seu ciclo de vida em diferentes tipos de corpos de água.

Atualmente, estima-se que os insetos marinhos conhecidos representem de 3 a 5% de todas as espécies de insetos que habitam o planeta.

Apesar da pequena porcentagem relativa, os cientistas já conseguiram reconhecer mais de 10 ordens que compreendem numerosas espécies de insetos marinhos.

Embora tenham uma diversidade morfológica e de habitats importante, todos os insetos marinhos foram gerados a partir de ancestrais terrestres.

Graças a algumas evoluções adaptativas em sua anatomia e fisiologia, essas espécies conseguiram adaptar seus organismos aos ecossistemas aquáticos.

Muitas espécies de insetos marinhos podem viver suas vidas debaixo d’água. No entanto, uma parte das espécies conhecidas desenvolve seu estágio larval em ecossistemas aquáticos.

Alguns deles representam um sério alarme para a saúde pública, como os mosquitos.

Como os insetos conseguiram sobreviver na água?

Como mencionamos, insetos marinhos evoluíram a partir de ancestrais terrestres, que não estavam preparados para sobreviver na água.

Portanto, viver em ecossistemas aquáticos exigiu mudanças profundas nos níveis anatômico, fisiológico e comportamental.

fundo do mar

A mudança mais fundamental ocorreu em seu sistema respiratório, já que os insetos terrestres estão preparados para obter oxigênio do ar.

Mas viver na água, logicamente, requer a capacidade de capturar oxigênio e oxigenar suas células em um ambiente aquático.

Atualmente, são conhecidos os insetos marinhos que conseguem capturar o oxigênio dissolvido na água.

Essas espécies desenvolveram brânquias traqueais, que dão origem a uma espécie de ramificação com várias traqueias.

No entanto, existem também espécies que precisam ir à superfície para absorver o oxigênio diretamente do ar. 

Talvez estas possam ser as espécies mais primitivas, uma vez que ainda não são capazes de viver completamente submersas e dependem do ambiente terrestre para respirar.

Em ambos os casos, é comum observar a presença de uma estrutura composta por várias espinhas hidrófugas. 

Esses espinhos estão localizados ao redor dos espiráculos, que são pequenos orifícios externos conhecidos como “respiradouros”. Juntos, eles dão origem a um sistema respiratório que age como uma guelra.

Existem insetos marinhos ou não?

Agora sabemos como é possível que os insetos se adaptem a viver em ambientes aquáticos. Mas ainda temos que responder se há insetos marinhos em nosso planeta ou não.

A grande maioria dos insetos aquáticos vive apenas em corpos de água doce. No entanto, existem algumas famílias que conseguiram se adaptar às águas com alta salinidade.

mosca alcalina

Um exemplo é a espécie Ephydra hians, que vive em águas com concentrações muito altas de sais do Mar Morto. 

Popularmente, é conhecida como ‘mosca alcalina’ e pode ser considerada a prova viva de que existem insetos marinhos.

Por que não há mais insetos no mar?

Como sabemos, os insetos podem se reproduzir com muita facilidade e demonstrar uma incrível capacidade de adaptação a diferentes ecossistemas. Desta forma, é lógico que nos perguntemos por que há tão poucos insetos no mar.

Infelizmente, ainda não há consenso para explicar esse fenômeno. Mas muitos cientistas sugerem que isso ocorre porque os mares são um ambiente muito inóspito para insetos.

Considerando a grande variedade de animais adaptados à vida marinha, os insetos teriam uma enorme quantidade de predadores. 

Além disso, eles precisam lutar pelo território com outras espécies que foram previamente adaptadas a esse ambiente, o que seria uma clara desvantagem.

Também deve-se ter em mente que respirar em água salgada requer uma enorme adaptação evolutiva do sistema respiratório. 

Se nós olharmos para a complexidade do organismo de peixes e crustáceos marinhos, nós entenderemos que a adaptação dos seres terrestres à vida marinha exige mudanças profundas na sua anatomia e fisiologia.

Estima-se que estas seriam as principais razões pelas quais a grande maioria dos insetos marinhos habita a água doce e, portanto, há poucos insetos marinhos conhecidos em nosso planeta.