Febre aftosa no gado

· julho 17, 2018
Essa doença afeta principalmente os animais de fazenda, mas também é possível que ataque algumas espécies selvagens. É transmitida pela respiração ou a água contaminada.

A febre aftosa é causada por um vírus conhecido como Aphthovirus, que causa uma doença muito contagiosa no gado bovino e suíno, mas também pode afetar ovelhas, cabras, antílopes, girafas ou elefantes.

A causa desta doença não foi descoberta até o fim do século 19, mas sabe-se que ela já existe há 500 anos. Naquela época, um monge veneziano descreveu os sintomas deste mal nas vacas do monastério. No entanto, a doença alcançou repercussão internacional após expandir-se após a Segunda Guerra Mundial, mesmo tendo sido erradicada em muitos países.

Atualmente, a febre aftosa é endêmica em muitos países asiáticos e africanos, enquanto que a maioria dos países da América, Europa e Austrália estão livres da doença. Mesmo assim, podem aparecer focos devido ao comércio com outros países.

Como a febre aftosa é transmitida

O vírus causador da doença pode estar presente em grande quantidade nas excreções e secreções dos animais afetados do rebanho, e pode ser eliminado no leite e no fluido seminal. Até os animais recuperados ou vacinados podem atuar como portadores, por isso, provavelmente talvez seja necessária a quarentena.

O vírus pode infectar outros animais a partir da respiração ou consumo de água ou comida contaminada com as secreções dos infectados. As aftas causadas por essa doenças contém uma grande quantidade de vírus. É importante ressaltar que essa doença não é uma zoonose, ou seja, não afeta o ser humano.

A febre aftosa tem uma grande importância porque existe um grande risco de sua propagação com a chegada de novos animais, a existência de instalações ou materiais contaminados e inclusive o papel dos produtos de origem animal ou as roupas no contágio.

porquinho

A febre aftosa é causada por um vírus conhecido como Aphthovirus, que causa uma doença muito contagiosa no gado bovino e suíno, mas também pode afetar ovelhas, cabras, antílopes, girafas ou elefantes.

Quais os sintomas da febre aftosa

Ainda que a gravidade dos sintomas dependa da variedade do vírus e de outros fatores, como a espécie e idade do animal, existe uma série de sintomas típicos: aqueles que dão nome à doença. Os principais são a febre e a presença de aftas ou bolhas em todos os elementos da cavidade bucal, nariz, tetas ou entre os dedos.

elefoa com seu filhote

Podem-se produzir dores ao caminhar e infecções após o rompimento das bolhas. Os animais também apresentam debilidade e podem salivar muito, além de perder o apetite e peso.

As bolhas geralmente somem em uma semana, no entanto, a doença pode ter consequências para o coração dos animais e para seu crescimento.

Diagnóstico e prevenção da febre aftosa

Como sempre lembramos, o diagnóstico é de inteira responsabilidade do veterinário, que deverá identificar os sintomas da doença, como bolhas e aftas, e fazer testes complementares para chegar a uma conclusão.

É importante que, diante de qualquer suspeita da doença, alerte-se as autoridades competentes para poder realizar um controle. Isso evitará que outras fazendas sejam afetadas. As recomendações que as instituições europeias passam são as seguintes:

  • Controlar a chegada de novos animais na fazenda.
  • Controlar o acesso de pessoas à exploração do gado.
  • Manter a higiene de veículos e instalações.
  • Eliminação eficaz de resíduos.
  • Visitar regulares do veterinário.

Seguindo essas indicações, é muito difícil que essa doença afete nossos animais, já que, como falamos, a doença está erradicada na maioria do continente europeu.