Gastrite em cães

janeiro 15, 2020
A gastrite em cães pode resultar de outras doenças, de parasitas intestinais, da ingestão de substâncias e de alimentos tóxicos ou estragados, bem como de corpos estranhos não digeríveis.

A gastrite é caracterizada como um processo inflamatório da mucosa gástrica, que pode ser aguda ou crônica. Os seres humanos não são os únicos que podem ser afetados por ela; a gastrite é uma das doenças gastrointestinais mais comuns em cães.

A seguir, falaremos mais sobre os sintomas, possíveis causas e tratamento da gastrite em cães.

Possíveis causas da gastrite em cães

Como mencionamos, a gastrite em cães pode ser aguda ou crônica. A gastrite aguda manifesta-se repentinamente e tem uma duração curta. Os casos de gastrite crônica se desenvolvem progressivamente e a sua manifestação é persistente.

Causas da gastrite aguda em cães

Os casos agudos de gastrite em cães costumam ser associados ao consumo de substâncias ou alimentos tóxicos, alimentos em mau estado ou fezes de outros cães.

No entanto, também podem ser desencadeados pela ingestão de corpos estranhos e não digeríveis, como plásticos, brinquedos, utensílios domésticos, roupas ou tecidos, etc.

Além disso, a gastrite aguda pode estar relacionada a uma infestação de parasitas intestinais. Eventualmente, manifesta-se como consequência de doenças subjacentes, principalmente aquelas que afetam o fígado ou os rins.

Causas da gastrite crônica em cães

Quase sempre, a gastrite crônica em cães deriva de casos agudos que não foram adequadamente tratados. Nesse caso, observa-se que o processo inflamatório avança e causa danos a longo prazo à flora intestinal e à mucosa gástrica.

No entanto, casos crônicos também podem aparecer como consequência de outras doenças subjacentes, como a cinomose, câncer, parvovírus, infecções bacterianas ou virais.

Cachorro doente

As alergias alimentares também podem levar a um caso crônico de gastrite em cães, principalmente se elas não forem tratadas rápida e corretamente.

Por outro lado, a exposição permanente ou frequente a certos produtos químicos, medicamentos, pesticidas ou alimentos tóxicos pode danificar seriamente a mucosa gástrica dos cães.

Fatores de risco

A alimentação e o estilo de vida são fundamentais quando falamos da gastrite em cães. Por um lado, a nutrição saudável e a rotina equilibrada são aspectos fundamentais para prevenir distúrbios gastrointestinais.

No entanto, uma dieta e rotina desequilibradas se tornam fatores de risco importantes para o desenvolvimento de inúmeras patologias.

Portanto, cães de rua, que geralmente se alimentam de resíduos ou alimentos em mau estado e consomem água pouco saudável, representam a população mais vulnerável a várias doenças, incluindo a gastrite.

Mas os cães que têm casa e família também podem sofrer as consequências de uma dieta inadequada. Para evitar isso, é essencial que seus donos ofereçam uma dieta equilibrada de boa qualidade, além de não oferecer e impedir o acesso a alimentos perigosos.

Sintomas da gastrite em cães

Os primeiros sinais físicos associados à gastrite em cães são dores abdominais e vômitos. A intensidade da dor abdominal geralmente varia de acordo com a evolução da inflamação e o estado de saúde do animal.

Nos casos agudos, o vômito costuma surgir subitamente, enquanto na gastrite crônica, ele se torna persistente e grave. Nos dois casos, é possível observar a presença de bile e sangue coagulado ou fresco no vômito do cão.

Sintomas da gastrite em cães

Além disso, a gastrite em cães pode ser acompanhada pelos seguintes sintomas:

  • Perda de apetite e peso.
  • Diarreia.
  • Salivação excessiva.
  • Desidratação.
  • Sangue nas fezes.
  • Fraqueza, cansaço ou letargia.
  • Membranas mucosas amareladas (em casos de gastrite devido à ingestão de substâncias tóxicas).
  • Membranas mucosas pálidas (quando há perda de sangue ou anemia associada à perda de apetite).

Tratamento 

Ao observar os sintomas mencionados acima, será essencial levar seu cão rapidamente à clínica veterinária. Se o diagnóstico de gastrite for confirmado, o veterinário recomendará o tratamento mais adequado após considerar o estado de saúde do paciente e a evolução do processo inflamatório.

Normalmente, no início do tratamento, recomenda-se remover a comida do cão por um determinado período (de 12 a 48 horas). Em seguida, o veterinário prescreverá uma dieta apropriada, que será essencial para aliviar o processo inflamatório e impedir que os sintomas prejudiquem a saúde do animal novamente.

Analgésicos específicos também podem ser administrados para aliviar a dor abdominal e melhorar a qualidade de vida do cão. Se o cão tiver ingerido um corpo estranho, a cirurgia costuma ser necessária para realizar a remoção com segurança.

No caso de uma doença subjacente ser diagnosticada, o tratamento pode incluir medicamentos e práticas médicas necessárias para controlar ou erradicar os seus sintomas.

Por esse motivo, o diagnóstico e o tratamento da gastrite em cães requerem atenção veterinária. Somente um profissional treinado pode verificar a causa do processo inflamatório e administrar um tratamento adequado para restaurar a boa saúde do cão.