Gatos persa, pura aristocracia turca

Ninguém pode negar que se trata de uma das raças de felino mais extravagantes que existem. Com a sua abundante pelagem e rosto achatado, os gatos persa são relacionados à aristocracia e descendentes do Gato Angorá Turco. Saiba mais sobre eles neste artigo.

A história dos gatos persa

Não se sabe com exatidão quando esses belos gatos de pelo longo apareceram pela primeira vez. Acredita-se que os seus ancestrais foram animais domésticos, já que, entre as raças selvagens, nenhuma conta com uma pelagem similar. O gene responsável por essa característica provém da hibridação com o Gato de Pallas. 

Os primeiros antepassados dos gatos persa (pelo menos documentados) foram importados da cidade de Jorasão (atual Irã) até a Itália por Pietro della Valle, em 1620. Nessa época, também foram levados exemplares de Angorá (atual Ankara, a capita da Turquia). Os primeiros tinham a cor cinza e, os segundos, brancos.

Na Turquia, foram realizados os primeiros cruzamentos e, posteriormente, alguns gatos foram levados até a França, sendo depois levados para a Inglaterra. Os persas são uma raça de felinos relacionados à aristocracia e à nobreza por causa da sua delicadeza, sua elegância e seu porte. 

Características físicas dos gatos persa

Um dos atributos destacados desse animal de estimação é o seu tamanho: de mediano a grande. A sua cabeça é bem redonda e maciça, apresenta maçãs proeminentes, focinho curto, olhos grandes (um pouco separados) e com uma coloração brilhante, já o nariz é chato. As orelhas dos gatos persa são pequenas, em formato de “V” invertido.

Quanto à sua complexão física, podemos destacar a sua musculatura e robustez. O seu pelo é abundante, longo, sedoso e espesso. O rabo é peludo e redondo ao extremo. Quanto às suas cores, são muito variadas. Podemos encontrar exemplares de um só tom (preto, branco, chocolate, vermelho, creme, lilás ou azul), bicolores e até mesmo podem ter três cores.

Comportamento e personalidade dos gatos persa

Eles são conhecidos pelo apelido de “tigres do sofá”, já que possuem um temperamento tranquilo e, além disso, adoram passar muitas horas dormindo ou descansando. É um animal preguiçoso por natureza, mas também são sossegados, carinhosos, afáveis e se dão bem com as pessoas e com outros animais.

O temperamento do gato persa o torna um animal de estimação perfeito para uma família, já que provém de raças domésticas, e não costuma ter esse “instinto selvagem” típico dos felinos. Eles adoram ter a companhia de seus donos e os seguem por todos os lados.

Não gostam muito de fazer atividade física, nem de caçar. Preferem ficar perto de uma fonte de calor e gostam de ser admirados pelos seus proprietários. É um gato que gosta de permanecer dentro de casa e isso também se deve ao seu passado de luxo e de nenhuma privação. 

Cuidados com os gatos persa

A criação desse animal é um pouco difícil. Para começar, devemos saber que a sua gestação dura um pouco mais de dois meses e que não têm muitos filhotes (geralmente são três). Em muitos casos, requerem cesárea para reduzir os riscos da fêmea (cujo problema principal é o quadril estreito). Os gatinhos devem permanecer ao lado da sua mãe durante três meses.

Já que seu pelo precisa de alguns cuidados especiais, não é uma raça indicada para pessoas que não têm muito tempo livre no dia a dia. É preciso escová-lo todos os dias para evitar que formem nós ou bolas de pelo.

Esse gato tem propensão a lacrimejar em excesso (devido ao formato do seu rosto). Por isso, é importante limpar bem os sulcos internos dos seus olhos, se queremos evitar infecções.

Quanto às doenças típicas dos gatos persa, destacamos a doença renal policística. Ela tem origem genética e hereditária. Afeta os rins e pode ocasionar falência renal. Outro problema habitual dessa raça é o atrofiamento progressivo das retinas (ele pode ficar cego na fase adulta). Eles têm uma expectativa de vida entre 15 a 20 anos.

A alimentação de um gato persa deve ser controlada e equilibrada. Apesar de ser um animal de tamanho grande, pode sofrer de obesidade (já que não pratica atividade física). Existe uma ração especial com grãos grandes para essa raça. No inverno, deve-se aumentar a quantidade de gordura, para manter a sua pelagem saudável.