Como a interação das crianças com os cães deve ser

junho 17, 2018
Os adultos devem supervisionar a interação das crianças com os cães. Nesse sentido, eles devem dar um exemplo de como tratar os cães com respeito e gentileza. Caso contrário, acidentes que poderiam ser evitados podem acontecer.

As estatísticas dos ataques

Os números são claros: a maioria das mordidas de cães em seres humanos ocorre em crianças. Além disso, essas mordidas são mais comuns em relação aos meninos do que em relação às meninas. Os especialistas têm uma leitura clara. Essas situações ocorrem porque as crianças ainda não sabem como tratar os cães com respeito.

Portanto, é muito importante que os pais saibam como deve ser a interação das crianças com os cães. Se a criança conhecer as regras básicas de respeito e segurança com cães, isso pode ser evitado. Assim, ela não incomodará o animal até que ele sinta que precisa se defender. Por meio de algumas regras básicas, a criança pode ser ensinada a respeitar o animal. Assim, o cão não sentirá medo, desconforto ou que está sendo ameaçado.

Estatísticas de ataques de cães

Interação das crianças com os cães: regras básicas

É muito importante estabelecer regras básicas para a interação das crianças com os cãesEssas regras devem aplicar-se a cães desconhecidos. Entretanto, também devem ser observadas em relação aos cães da família.

1. O cão não pode ser perturbado quando dorme ou come

Os cães sofrem da mesma forma que nós quando nos acordam. Nunca devemos acordar um cachorro que está dormindo, sejam cães filhotes ou adultos. Cães também podem ter mau humor e podem se sentir mal por serem acordados.

Embora, em geral, o cão não tenha problemas em relação a comida. É preciso se lembrar de algumas coisas. Remover alimentos do prato ou colocar a mão na tigela pode ser uma ação muito violenta para o cão. Se o cão entender que sua comida está em perigo, ele pode tentar defendê-la.

2. Não puxe as orelhas, a cauda ou os bigodes

Para as crianças, pode ser uma brincadeira explorar o corpo dos cães, mas para os animais não é. Nesse sentido, você deve ensinar seu filho que ele nem sempre pode satisfazer a sua curiosidade. Portanto, não deve puxar o rabo ou olhar dentro dos ouvidos de seu companheiro canino. Afinal, isso pode incomodar ou causar dor no animal.

3. Se o cão quiser ir, deixe-o ir

Este é um passo que os adultos também devem seguir. Quando um cão não quer ficar mais do nosso lado, devemos respeitar sua decisão. Um cão pode se sentir sobrecarregado quando há muitas pessoas em casa. Isso ocorre quando estamos prestando muita atenção neles ou quando há pessoas estranhas em casa. Outra causa de desconforto é o barulho causado quando há pessoas em casa.

Relação entre crianças e caães

Não importa as razões: se o cão quer se afastar para relaxar, devemos deixá-lo. Especialmente se estivermos tocando nele, acariciando-o ou abraçando-oSe nós o segurarmos contra a vontade, eles podem ficar nervosos e agirem sem pensar.

4. Não entre na área de descanso

Relacionado ao ponto anterior, seria benéfico criar uma área de descanso para o cão. Nesse lugar, ele nunca deverá ser perturbado. Essa área de descanso deve ter pelo menos a cama e algum espaço ao redor. Tudo dependerá do tamanho da nossa casa.

Nesse lugar, nunca devemos entrar ou incomodar o cão. Afinal, é o refúgio do nosso animal de estimação. As crianças nunca devem deitar na cama do animal ou brincarem enquanto ele dorme. Nesse lugar, o cão sabe que não devemos perturba-lo. Assim, eles podem usá-lo para fugirem quando se sentirem desconfortáveis.

5. Não brinque de irritar o cão

Esta regra é clara: fazer um cão se sentir mal não é uma brincadeira. Os brinquedos  não podem ser retirados à força. Além disso, não se deve oferecer comida ao animal e não dar depois. Tampouco, devem ser tirados objetos de sua boca. Além disso, evite dar longas séries de ordens sem oferecer qualquer recompensa ao animal.

Para as crianças podem parecer brincadeiras, mas para o cachorro são ataques da nossa parte. Embora eles possam ter mais paciência com as crianças. Lembre-se que também podem ficar sobrecarregados ou super-excitados. Assim, podem ter uma reação ruim.

6. Não castigue, nem bata

As punições não são uma ferramenta eficaz na educação de um cão. A criança nunca deve negar algo a um cão, puni-lo ou corrigi-lo. A educação, as diretrizes e os padrões devem ser estabelecidos pelos adultos para que as crianças nunca imponham nada ao cão.

Crianças e animais de estimação

Claro, deve ser completamente proibido bater ou machucar o cachorro. Inclusive, se as crianças e cães estiverem brincando. Mesmo que a criança acredite estar agindo de uma maneira gentil. É preciso lembrar que para o cachorro é uma situação violenta e que eles podem machucá-la.

Supervisão e exemplo

Em todos os casos, a interação das crianças com os cães deve ser supervisionada. As crianças, especialmente as mais novas, ainda não controlam bem a força ou o corpo. Por isso é essencial que sempre haja adultos presentes.

É claro que o melhor exemplo que uma criança pode ter de como tratar cães são os adultos ao redor. Se você quiser que seus filhos interajam com segurança com os cães, mostre como fazer com o seu exemplo. Trate com respeito o seu animal e ensine a criança a agir suavemente e a não perturbá-lo.

Essas precauções devem sempre ser levadas em conta, mesmo com cães domésticos. Embora possam sempre tolerar bem as crianças, é possível que estejam em um dia ruim. Os animais podem ficar nervosos ou algo pode perturbá-los e eles acabarem reagindo mal. Se um cão morde uma criança, a responsabilidade é dos adultos que não impediram essa situação.