Maus-tratos contra animais: formas de lutar contra isso

Os maus-tratos contra os animais são uma realidade que infelizmente segue preocupando. Mesmo que tenha havido avanços através da conscientização sobre o tema, ainda há um longo caminho para que sejam respeitados os direitos de nossos amigos. Seja falando de animais de estimação ou dos silvestres, os maus-tratos contra os animais são uma realidade muito presente na sociedade.

Conheça as diferentes formas de crueldade com animais

Não há desculpa para maus-tratos, seja com um cão doméstico ou um golfinho de aquário. Nenhum animal pode perder seus direitos de viver de forma digna, saudável e sem crueldades.

Desde a falta do cumprimento da legislação, negligência, até o sadismo, os maus-tratos podem se apresentar de vários formas. A seguir, conheça as diferentes formas de crueldade com animais.

Elefante chorando

Fonte: www.stopalmaltratoanimal.com

  • Abandono: O abandono de animais não tem desculpa. Sempre existem alternativas, é preciso apenas buscá-las. Antes de escolher o abandono, é melhor pôr o animal para adoção ou “doá-lo” a algum refúgio animal responsável.
  • Caça e/ou reprodução indiscriminada: Geralmente se dá em condições deploráveis para favorecer o contrabando e/ou as formas de comércio ilegal de diferentes espécies. Muitas vezes, a caça ou a reprodução indiscriminada é feita para o mercado das peles.
  • Exploração comercial: Entre as formas mais comuns se encontram circos e zoológicos, mas também entram nesse grupo todos os espetáculos animais, brigas (de cães, galos, etc.), atividades de caça, corrida de touros, indústria alimentícia, tração de sangue, etc.
  • Ausência total ou insuficiência de alimento e água.
  • Acorrentamento: Caso seja alegado que o acorrentamento seja para evitar que o animal machuque outro ou escape, é preciso analisar muito bem as circunstâncias, já que sempre há alternativas melhores que o acorrentamento.
  • Golpes e outros tratamentos intimidantes: Nenhum animal merece ser machucado, sob nenhuma circunstância. Eles NÃO são como os seres humanos. Obedecem seus instintos e não pensam racionalmente, portanto, não têm culpa de alguns comportamentos.
  • Torturas feitas sem motivo, por “lazer”: Inclusive, publicadas nas redes sociais e que muitas vezes acabam com a vida do animal e ficam impunes. Todas elas devem ser denunciadas o mais rápido possível.
  • Utilização em testes de laboratórios (tanto medicinais quanto cosméticos): Os animais são submetidos a diferentes procedimentos que prejudicam sua saúde e bem-estar.

Os maus-tratos contra animais têm múltiplas faces, e são várias as formas
que você pode utilizar para lutar contra eles.

Maus-tratos animais: há muitas maneiras de lutar contra isso

Com tantas feridas abertas com relação aos maus-tratos contra animais, com certeza você se pergunta por onde começar para tentar lutar contra isso. São várias as ações que podem ser feitas, inclusive de maneira simultânea. Algumas são mais gerais, outras mais específicas e concretas.

  • Prefira adotar ao invés de comprar um animal: Escolha um animal doméstico, evite as opções exóticas. Os cães e gatos estão acostumados há séculos a viver com pessoas.
  • Doe tempo ou dinheiro para colaborar com entidades protetoras ou outras associações que lutem em defesa dos animais: Você pode, entre outras coisas, realizar campanhas de conscientização em seu bairro ou através das redes sociais, ajudar nos abrigos ou tornar sua casa um local de acolhida temporal.
  • Não se mostre indiferente se encontrar um animal abandonado na rua: Busque descobrir se ele está perdido ou encontre opções para conseguir uma nova família que o adote.

Ações cotidianas contra os maus-tratos animais

Além das opções concretas, você também pode fazer pequenas ações cotidianas que, ainda que pareçam trabalho de formiga, contribuem para que os animais não sejam tão maltratados pelo homem. Então:

  • Escolha produtos de beleza e higiene que contenham a legenda “Livre de crueldade” (Cruelty Free). Dessa maneira, você estará dizendo NÃO às empresas que utilizam seres inocentes para provar a eficácia de seus produtos.
  • Ao consumir produtos de origem animal, assegure-se de que eles venham de granjas locais ou pequenas. Assim, você vai cooperar para diminuir a verdadeira tortura à qual os animais são expostos na indústria alimentícia em grande escala.
  • Verifique se a roupa, o calçado ou os acessórios que você compra não foram confeccionados com, por exemplo, couro, pele ou chifre de animais.

Outras formas de ajudar

Seria incrível se você pudesse dedicar parte de seu tempo, de um jeito mais ou menos ativo, contra as diversas formas de maus-tratos. Existem muitas campanhas, tanto locais quanto globais, que você pode procurar antes de escolher. Porém, de toda maneira, não deixe de se informar, se indignar e comunicar a seus vizinhos, familiares e amigos informações sobre esses temas.

E o que mais você pode fazer?

  • Evite visitar zoológicos, circos e outros espetáculos que sejam cruéis para os animais.
  • Proteste contra a organização de espetáculos ou brigas clandestinas de cães.
  • Denuncie os maus-tratos que presenciar e os exponha pela internet. Os maus-tratos podem ocorrer em qualquer lugar: na rua, em lojas que vendem animais, vizinhos que não cuidam da maneira adequada dos peludos, etc.

Se você considerar que presenciou alguma dessas formas de maus-tratos, lhe convidamos a não ser cúmplice da situação com seu silêncio. A não-intervenção e a falta de sensibilidade também são formas de abuso.

Recomendados para você