Minipress para gatos: dosagem e efeitos colaterais

O Minipress é um medicamento prescrito para tratar em gatos problemas urinários de origem idiopática. Se você quiser saber melhor como esse medicamento funciona, confira aqui.
Minipress para gatos: dosagem e efeitos colaterais

Última atualização: 10 dezembro, 2021

Os problemas urinários em gatos são uma das causas mais frequentes de visitas ao veterinário. A maioria dessas condições causa muita dor no animal e é necessário medicá-lo para controlar os sinais e sintomas decorrentes. O Minipress para gatos é um medicamento indicado para desobstruir a uretra em caso de inflamação.

No entanto, o processo farmacológico que esse composto realiza é um pouco mais complexo do que parece. Se você quiser saber como o medicamento funciona de uma forma mais específica, aqui estão todas as informações necessárias.

O que é o Minipress para gatos?

O Minipress é um medicamento cuja função é relaxar a musculatura lisa e prevenir espasmos musculares. Sua substância ativa é o cloridrato de prazosina, um antagonista alfa-adrenérgico dos receptores alfa 1. Ou seja, essa substância anula o efeito vasoconstritor da norepinefrina, evitando que o músculo se contraia espasmodicamente (o que causa dor no animal).

Os bloqueadores seletivos dos receptores adrenérgicos alfa 1 também reduzem a pressão arterial precisamente por causa da dilatação venosa e arterial que provocam.

Um gato tomando um comprimido.

Usos do Minipress em gatos

Em gatos, o Minipress é prescrito em tratamentos para problemas urinários. Ao relaxar os músculos da uretra e prevenir os espasmos, facilita a evacuação da urina e alivia a dor. Portanto, é comum o veterinário prescrever esse medicamento quando o felino sofre de cistite idiopática.

Essa condição, embora seja denominada idiopática pela impossibilidade de determinar sua etiologia, está frequentemente associada ao estresse felino. Quando um gato passa por um período de alta ansiedade (mudança de casa, novos animais em casa, obras na rua e muito mais), a parede da uretra pode aumentar de tamanho e ficar anormal, causando dor.

Essa dor e esse estresse se retroalimentam: o gato fica estressado, sente dor, o desconforto aumenta sua ansiedade e assim por diante. Além disso, como resultado da inflamação, a uretra pode ficar obstruída com sedimentos urinários. Os sintomas mais característicos dessa doença são os seguintes:

  • Distúrbios comportamentais: a dor pode fazer o gato ficar mais arisco, até mesmo agressivo, ou se esconda para não ser visto. É muito provável que ele evite o contato.
  • Hematúria (sangue na urina).
  • Dor ao urinar.
  • Dificuldade ao usar a caixa de areia.

Se a cistite causar obstrução na uretra do felino, estaremos diante de uma emergência veterinária. Portanto, o animal deve ser levado com urgência ao hospital.

O Minipress para gatos também é frequentemente administrado após o cateterismo urinário. Após essa intervenção, o risco de obstrução da uretra aumenta, por isso o uso desse medicamento é recomendado para evitar que a recuperação seja malsucedida.

Dosagem do Minipress para gatos

Em geral, o veterinário irá prescrever uma dose de acordo com o peso do felino a cada 12 ou 8 horas, dependendo da gravidade do caso. O tratamento dura cerca de 3 dias, e o medicamento é administrado por via oral.

É muito importante que você cumpra rigorosamente as diretrizes que seu veterinário estabelecer para que esse medicamento seja eficaz. Acima de tudo, não interrompa o tratamento precocemente, mesmo que o gato pareça recuperado, pois isso pode causar uma recaída. Pense que os gatos tendem a esconder seus sintomas, então eles podem ser piores do que parecem.

Efeitos colaterais do Minipress em gatos

Embora o Minipress usado em gatos não reporte efeitos colaterais graves, alguns sintomas foram descritos e podem preocupar o tutor. Os mais comuns são os seguintes:

  • Redução da tensão.
  • Certo efeito sedativo.
  • Hipersalivação.
  • Apatia.
  • Falta de coordenação.
  • Diarreia.

Os efeitos derivados costumam ser leves e não é necessário interromper o tratamento, mas não hesite em notificar seu veterinário de confiança se esses sintomas aparecerem. É sempre melhor prevenir do que remediar.

Por outro lado, se você acidentalmente der ao gato mais doses do que as prescritas ou se tiver esquecido alguma, você também pode procurar o profissional para saber como continuar o tratamento.

Contraindicações do medicamento

O efeito vasodilatador e relaxante do Minipress para gatos pode ser prejudicial em cães com algumas doenças prévias. Portanto, sua diretriz não recomenda o uso em gatos que sofrem de qualquer uma das seguintes doenças:

  • Doenças do coração.
  • Gatos com insuficiência renal.
  • Gatas grávidas ou que estiverem amamentando.
  • Animais que apresentaram reação alérgica ao princípio ativo do Minipress.
  • Gatos que estão tomando medicamentos que interagem com o Minipress, como insulina ou clorpropamida.
Um gato consumindo comprimidos.

Medicação, mas sempre com orientação veterinária

As informações contidas neste artigo são apenas para fins informativos. Você nunca deve medicar seu animal sem a prescrição prévia de um veterinário, pois isso pode desencadear um efeito adverso ou agravar o problema.

Como o estresse em gatos desencadeia muitos problemas psicossomáticos (como cistite idiopática), uma das melhores maneiras de evitar sustos e visitas ao veterinário é a prevenção. Se o seu felino tende a desenvolver problemas de ansiedade, leve-o ao veterinário para uma avaliação de rotina de vez em quando.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • PROSPECTO MINIPRES 1 mg COMPRIMIDOS. (s. f.). Agencia Española de Medicamentos y Productos Sanitarios. Recuperado 8 de noviembre de 2021, de https://cima.aemps.es/cima/dochtml/p/55064/Prospecto_55064.html
  • Palmero, M. L., & Felino, G. C. C. (2010). Cistitis en gatos: Actualización en el diagnóstico y tratamiento del FLUTD. Gattos Centro Medico Felino, 1-6.
  • Altamirano, J. H., Cacharrón, J. L., Hernandez, G., & Altamirano, V. (s. f.). ANTAGONISTAS DE LOS RECEPTORES ALFA ADRENÉRGICOS. Sociedad Argentina de Hipertensión Arterial. Recuperado 8 de noviembre de 2021, de https://www.saha.org.ar/pdf/libro/Cap.114.pdf

Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.