Música para animais

· maio 10, 2018
Estudos comprovam que as músicas clássicas têm um efeito positivo sobre bichos de estimação, diminuindo seu estresse. Existem letras compostas especificamente para cada espécie que são ainda mais eficazes.

Embora pareça incrível, muitas espécies de animais têm afinidade com a música e já fizeram, inclusive, música específica para eles. Seja por mera curiosidade ou para melhorar seu bem-estar, a música para nossos amigos peludos já é uma realidade.

De acordo com alguns pesquisadores, como o psicólogo Charles Snowdon, a música para animais deve ser feita de acordo com a espécie, pois não se pode esperar que um gato escute uma canção de Jazz da mesma forma que uma pessoa e esperar que ele goste.

Ainda assim, chegou-se à conclusão de que a música clássica ajuda nossos bichos de estimação a diminuir o estresse. Parece interessante o fato de que cada vez mais existem projetos voltados à composição de músicas para animais, e essas canções se mostram ainda mais eficazes que as clássicas.

Música para gatos

O Music for Cats, por exemplo, é um projeto de David Teie que pretende criar composições que agradem os felinos. Isso porque a vocalização dos gatos tem variações de tom que nada têm a ver com as de um cantor humano.

gato dormindo

Tomando como base essa premissa, foi criada uma mistura de sons de gatos mamando ou ronronando, para, em seguida, criar repetições similares às que são utilizadas em obras musicais. Tradicionalmente, pensava-se que a música clássica relaxava os animais e esses pesquisadores queriam comprovar que a música para animais específica para cada espécie seria mais eficaz.

O que fizeram foi comprovar o que acontecia se deixassem os gatos ouvindo música composta para eles diante dos efeitos da música clássica: os gatos respondem de forma mais positiva à música para animais do que à música composta para humanos, mesmo sendo a música de um Mozart. Os gatos apresentavam a tendência de interagir com os alto-falantes, roçando-se neles e vocalizando de forma mais relaxada.

Música para macacos

Os experimentos que Teie elaborou com gatos já haviam sido comprovados em outras espécies: criou-se um tipo de música para uma espécie de macaco-titi, na verdade, o saguim-cabeça-de-algodão. Descobriram que esses macacos ficavam confusos diante da música humana, enquanto que apresentavam uma resposta muito diferente diante de uma música feita para eles.

Nesse caso, a música para macacos foi composta com suas vocalizações agudas, que são muito mais altas em escala do que as de qualquer canção humana. Por isso, diante de sons de agitação, mostraram respostas na forma de ansiedade, enquanto que diante da música composta com vocalizações mais calmas, se mostraram tranquilos e começaram a comer tranquilamente.

Música para animais ou para humanos?

A meio caminho entre a música para animais e para humanos, a pesquisadora Laurel Braitman promoveu seu projeto Music for Animals, traduzido em português como Música para Animais.

Laurel quis testar a exposição de outras espécies animais à música composta por humanos, especialmente, aquelas que se encontram em cativeiro. Por isso, Laurel selecionou grupos de diversos estilos, e os levou para santuários de primatas e de outras espécies animais.

O efeito é muito curioso e é possível assistir a diversos vídeos na internet, como o do grupo de lobos que mostra que talvez a arte humana tenha algo de animal. De forma incrível, os lobos começam a uivar diante da música, cujos cantos parecem reminiscências do uivo ancestral dos lobos.

Sem dúvida, observou-se que diversas espécies, como as cacatuas, possuem um senso de ritmo muito interessante, e, inclusive, parecem realizar percussão na natureza. No entanto, ainda sabemos pouco dos gostos musicais de outros animais, e parece que esse poderia ser um campo de estudo para a melhoria do bem-estar animal.

Todos nós podemos tentar melhorar um a vida dos nossos animais com um pouco de música, mas com cuidado: podemos encontrar um gênero musical que mais assuste nossos bichinhos do que os deixe relaxados.