Nolotil para gatos: usos e dosagem

O nolotil pode ser usado como um medicamento em gatos para aliviar certas dores, entre outros usos. Porém, o ponto mais importante é que deve ser o veterinário quem indicará o seu uso e especificará a dosagem.
Nolotil para gatos: usos e dosagem

Última atualização: 07 agosto, 2021

Muitas pessoas sabem que o nolotil é um medicamento para os humanos e seus possíveis usos contra a dor. Portanto, quando seu animal parece apresentar sintomas de desconforto, é normal considerar se sua administração pode ser boa. Saber o que é o nolotil para gatos, como ele pode funcionar e seus possíveis efeitos colaterais poderá sanar algumas dúvidas.

No entanto, o mais importante de tudo sempre será a aprovação do veterinário, pois animais de estimação não devem ser medicados sem avaliação profissional prévia, muito menos com medicamentos destinados à medicina humana se não houver indicação. Vamos ver em detalhes tudo sobre o nolotil para gatos.

O que é o nolotil para gatos?

O nolotil é um medicamento que produz efeitos analgésicos, antipiréticos, antiespasmódicos e, em menor grau, tem efeito anti-inflamatório. Faz parte do grupo das pirazolonas e tem como princípio ativo o metamizol, de magnésio ou sódio. É listado como um analgésico não opioide que é metabolizado no fígado.

É importante ressaltar que o nolotil é um medicamento formulado para humanos. Isso não significa que seu uso em animais seja proibido, mas que existem outras opções mais adequadas para eles, neste caso, desenvolvidas especificamente para felinos doentes.

Oferecer medicamentos criados para felinos garante maior segurança e eficácia. Portanto, diante da possível detecção de dor em gatos, é sempre indicado consultar um profissional para que ele decida qual é o medicamento mais adequado.

 

Os anti-histamínicos para gatos podem ajudar em muitas condições.

O nolotil é bom para gatos?

O nolotil pode funcionar como um remédio em certos processos de dor em gatos e outras patologias que serão especificadas abaixo. Porém, conforme indicado, apenas um veterinário pode determinar se sua administração é adequada ou não. Portanto, nem sempre é o melhor tratamento.

Entre as funções que o nolotil cumpre para os gatos está o alívio de certas dores agudas (não é útil para dores crônicas) de média a moderada intensidade. Infelizmente, detectar sintomas de dor em gatos nem sempre é fácil. Se o profissional assim entender, poderá prescrever esse medicamento para os seguintes quadros:

  • Dor causada por traumatismos.
  • Dor causada por neurite ou neuralgia.
  • Desconforto médio ou moderado causado pela artrite.
  • Processos febris.
  • Dores de origem oncológica.
  • Dores viscerais.
  • Distocia.

Como ressaltam os especialistas, o nolotil também é útil em pequenos animais para dores causadas por cólicas gastrointestinais e desconforto urinário ou biliar, devido às suas propriedades antiespasmódicas. Em última análise, pode servir como analgésico preventivo em protocolos pré-anestésicos.

Esse medicamento permite o uso de menos anestesia durante a cirurgia, bem como menos analgésicos após a intervenção.

Dosagem do nolotil para gatos

Agora que você já sabe o que é o nolotil para gatos e seus possíveis usos, serão apresentados os principais detalhes sobre suas doses em felinos. Novamente, é fundamental destacar que somente o veterinário é a pessoa com poderes para determiná-la. Para isso, será necessário considerar os seguintes pontos:

  • As características do felino: peso, raça, idade e sexo.
  • O histórico médico do animal.
  • O quadro clínico do gato.
  • A via de administração: pode ser subcutânea, intravenosa, intramuscular ou oral.

Assim que tudo isso for determinado, as doses corretas podem ser definidas. Por exemplo, em caso de administração por via intravenosa ou intramuscular, geralmente se recomenda cerca de 0,2 mililitros para cada 5 quilos de peso do animal, repetindo a dose 2 ou 3 vezes ao dia. Também se pode optar por apenas uma dose a cada 24 horas.

Ao considerar o uso de nolotil por via oral, o veterinário pode decidir dar o medicamento em gotas a cada 4 a 6 horas. Seja qual for o caso, o profissional deve acompanhar o tratamento, mesmo que os responsáveis administrem o medicamento em casa, o que acontece apenas se for por via oral.

Contraindicações do medicamento

Como qualquer medicamento, o nolotil para gatos também tem certas contraindicações. Algumas das circunstâncias em que esse medicamento não é recomendado são as seguintes:

  • Não pode ser administrado a felinos alérgicos ao metamizol.
  • Também não deve ser administrado se o gato tiver doença hepática, renal ou gastrointestinal crônica.
  • Não pode ser administrado se o felino estiver sendo tratado com medicamentos como fenilbutazona, clorpromazina ou barbitúricos.
  • É preciso ter muito cuidado com gatos que sofrem de problemas cardiovasculares.
  • Também é necessário ter muito cuidado com felinos idosos.
  • Não é indicado se o animal sofrer de algum tipo de alteração quantitativa ou qualitativa de seus componentes sanguíneos (discrasia sanguínea).
  • Em gatas gestantes ou lactantes, também não pode ser administrado.

Efeitos secundários

Tão importante quanto saber o que é o nolotil em gatos e para que é usado, é conhecer seus possíveis efeitos colaterais em felinos após a administração. Se o tutor tiver consciência dos possíveis sinais nesse tipo de caso, poderá agir rapidamente levando o animal ao centro veterinário se necessário.

Entre os efeitos da aplicação de nolotil para gatos por via subcutânea está a irritação da área exatamente onde a injeção foi aplicada. Por outro lado, doses excessivas do fármaco podem causar convulsões no animal.

Também deve ser observado que o metamizol de sódio aumenta as chances de hemorragia. Isso porque sua ação suprime a formação de protrombina, proteína do plasma sanguíneo que faz parte do processo de coagulação. Outros efeitos colaterais que podem ocorrer de acordo com estudos profissionais são os seguintes:

  • Náuseas.
  • Vômitos
  • Vertigem.
  • Sonolência.
  • Retenção urinária.
  • Tontura.
  • Prurido.
  • Hipotensão.
  • Depressão do sistema nervoso central, especialmente depressão respiratória.
  • Confusão.

 

É importante lembrar que, durante qualquer tratamento médico para animais de estimação, o veterinário deve acompanhar e avaliar o processo e os responsáveis devem permanecer alertas para quaisquer sintomas adversos. A administração adequada do medicamento pode salvar a vida do animal.

Pode interessar a você...
Anti-histamínicos para gatos: posologia e efeitos secundários
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Anti-histamínicos para gatos: posologia e efeitos secundários

Dar anti-histamínicos aos seus gatos sem supervisão médica é perigoso. Conheça as possíveis posologias e seus possíveis efeitos secundários.