O que é a fitoterapia veterinária?

dezembro 30, 2017

Durante décadas, o ser humano utilizou as plantas como remédio para tratar doenças, uma atividade que ficou conhecida como fitoterapia. A fitoterapia veterinária é justamente colocar em prática o tratamento de doenças nos animais com medicações à base de plantas.

As ervas são famosas pelos seus incontáveis benefícios para a saúde. E desde a Pré-História, descobrimos nelas o poder que tinham para curar seus ferimentos, assim como nos valemos de suas propriedades para o tratamento de doenças comuns.

Até mesmo os animais, seguindo seus instintos, fazem uso das plantas para conseguir efeitos sobre o seu corpo. Um caso comum e simples, que, com certeza, você já pôde observar, se você dispõe de uma casa com jardim, é que os cães comem um pouco de grama para limpar seu intestino.

Mesmo que ainda não seja comum, a medicina veterinária está se abrindo ao uso da fitoterapia, sobretudo no caso de animais, cuja forma de nutrição se dá mediante alimentação natural.

A área dos especialistas em mundo animal utiliza a Fitoterapia para tratar doenças. Em alguns casos, ela é aplicada no tratamento de feridas simples, mas também está começando a ser usada para doenças mais complexas, substituindo os remédios convencionais.

Não se pode ignorar que os especialistas nessa área definem a fitoterapia veterinária como uma medicina natural que serve para tudo.

Origem da fitoterapia veterinária

Na cultura oriental, sobretudo, o uso de ervas curativas é muito comum, diferentemente da cultura ocidental, que tem maior propensão a realizar tratamentos médicos invasivos.

cão no veterinário recebendo injeção

Consciente dos seus benefícios, o ser humano estudou as plantas durante anos, por isso, alguns princípios ativos da medicina ocidental vêm das ervas. Esse é o caso do ácido salicílico, princípio ativo da aspirina (proveniente do salgueiro), da atropina e da escopolamina (que derivam da Beladona), assim como da silimarina (obtida do cardo mariano).

Outro fator-chave descoberto pelos pesquisadores é que a planta inteira tem diferentes propriedades curativas. E seus benefícios não se concentram unicamente nas suas folhas ou ramos, isso porque algumas raízes também podem ser aproveitadas.

Da mesma forma, na medicina homeopática é comum o aproveitamento da planta inteira. Por exemplo: a aloe vera (babosa) é usada como cicatrizante, enquanto que a raiz da popular unha-de-gato ajuda nos processos anti-inflamatórios.

Cabe mencionar que a fitoterapia veterinária é uma prática relativamente nova. O trabalho duro começou através da conscientização sobre o poder das plantas, dos benefícios que proporcionam ao corpo do animal.

Quais são as vantagens da fitoterapia veterinária

1. Acaba sendo menos invasiva. Quando utilizamos a fitoterapia veterinária, o corpo do animal não se expõe a tantos componentes químicos, o que diminui a toxicidade do tratamento.

Além disso, minimizam-se os efeitos colaterais causados pelos medicamentos ou tratamentos, porque são descartados os riscos medicamentosos.

2. Oferece várias formas de ministrar o remédio. A erva pode ser ministrada ao animal de diversas formas: infusões, xaropes e maceração são as mais comuns.

Dependendo do animal e seu estado, o especialista é capaz de encontrar a forma mais adequada. O medicamento pode ser ministrado também na forma de inalações ou tinturas.

3. Manejo das doses. A Fitoterapia Veterinária permite dosificar o medicamento de acordo com as características do animal, mas também revisa a quantidade de vezes que o animal precisa tomar o medicamento conforme vá avançando seu tratamento.

Outro benefício é que, por se tratar de ervas, elas podem ser combinadas para serem alcançados os melhores efeitos. Pode-se conseguir isso sem que haja algum risco de overdose ou intoxicação, o que não acontece com esses medicamentos.

É preciso pontuar que, muitas vezes, a combinação de medicamentos pode trazer efeitos colaterais irreversíveis para o corpo.

4. Baixo custo e alta disponibilidade. A fitoterapia veterinária acaba sendo mais econômica e, além disso, é possível ter acesso a ela de forma instantânea, sem ter que passar pelo protocolo médico.

Nesse sentido, também não se pode esquecer que, para haver um bom uso, é importante conhecer as propriedades de cada erva, assim como seus benefícios.

dona alimentando animal

Da mesma forma, é recomendável se informar sobre a aplicação mais eficaz da planta. Algumas ervas são melhor aproveitadas se tiverem sido desidratadas anteriormente, enquanto que, no caso de outras, é preferível que estejam frescas.

Em todo lugar existem diferentes plantas com benefícios medicinais comuns. Assim, conhecer a semelhança entre as espécies ajuda a encontrar mais opções para tratamentos medicinais.

Para melhores resultados, os especialistas na área sugerem que os animais se alimentem de comida natural. Isso significa substituir a comida processada pelo alimento preparado em casa.

Para concluir, é preciso deixar claro que os benefícios de ambas as práticas em conjunto favorecem o rendimento físico e emocional do animal. Além disso, seus efeitos são percebidos de forma imediata.