O que há por trás do crescente abandono de animais na Espanha?

· novembro 8, 2018

Especialistas estimam que muitos dos animais que são recolhidos em abrigos estão perdidos, não foram abandonados. É essencial que a população tome consciência da importância de ter seus pets identificados por microchip. No entanto, o que está por trás do crescente abandono de animais na Espanha?

Todos os anos, centenas de milhares de animais em todo o mundo ficam desabrigados.

Nós nos aprofundamos nas causas do crescente abandono de animais na Espanha. Esse é um fenômeno que, apesar de ter diminuído na última década, está novamente crescendo.

As estatísticas não mentem: o abandono de animais na Espanha tem crescido

Foi feito um estudo, realizado pela Fundação Affinity, sobre o abandono, perda e adoção de animais na Espanha em 2017.

Nesse ano, 138.307 animais foram resgatados, dos quais 104.834 eram cães e 33.473 eram gatos.

Dados do Instituto Nacional de Estatística de 2017 mostram que o abandono ou perda afeta 1,7% dos 6,1 milhões de cães que vivem na Espanha.

Além disso, essas causas também afetam 1% dos 3,6 milhões de gatos também vivem na península.

Cachorro sendo atendido em um abrigo

Os dados de 2008 mostraram o maior número de abandono de animais registrados, com um total de 156.858. No entanto, em 2016 o número foi reduzido para 137.782, o menor até o momento.

Em 2017, porém, o abandono de animais de estimação aumentou ligeiramente, pois 138.307 cães e gatos foram resgatados em abrigos e canis.

A verdadeira situação por trás das estatísticas

Os profissionais estimam que grande parte dos animais que chegam aos abrigos não correspondem realmente ao abandono, mas a perdas.

Dessa forma, a melhor estratégia para reduzir o número de cães e gatos nas ruas é a localização dos pets através da implantação de um microchip.

Na Espanha, 85% dos cães 34% dos gatos possuem um microchip de identificação. O recurso ajuda aos donos a localizar seus animais de estimação.

Por isso, os números infelizmente são alarmantes, mas ainda há um longo caminho a ser percorrido.

Filhote de gato com olhos de cores diferentes

A porcentagem de gatos devolvidos aos seus proprietários é geralmente muito menor do que a de cães, devido principalmente à falta do microchip.

Além disso, os felinos tendem a ser nascidos e criados nas ruas, sem terem passado pelos cuidados e protocolos padrões.

O abandono de animais de estimação realmente aumenta no verão?

As estatísticas revelam que é no segundo trimestre do ano quando ocorrem mais abandonos de animais. Os gatos têm o pior número nesse período: aproximadamente 43,5%.

Se dermos uma olhada nos dados, podemos verificar que há abandonos ao longo de todo ano.

Infelizmente, não há uma época em que essa tendência diminua. Dessa forma, a crença popular de que os animais de estimação são frequentemente abandonados ​​pouco antes das férias de verão é uma mera crença.

Quanto aos motivos que levam os donos a abandonar seus animais, as ninhadas indesejadas ocupam o primeiro lugar, principalmente no caso dos gatos.

Uma castração feita rapidamente e o cuidado responsável são muitas vezes a solução para esse problema.