Os nutrientes necessários para cães idosos

· fevereiro 2, 2018

O envelhecimento é um processo que, por ser natural, também chega para os nossos melhores amigos. Não somos capazes de parar o tempo, mas podemos oferecer uma melhor qualidade de vida para o nosso pet durante sua velhice e, para isso, é fundamental proporcionar-lhe uma alimentação rica nos nutrientes e vitaminas necessários para cães idosos.

A seguir, resumimos os pilares para garantir a nutrição equilibrada de um cão sênior:

Alimentação do cão idoso: mais proteínas, menos carboidratos

Os cães vivem sua ‘terceira idade’ entre os 7 e os 12 anos, ainda que isso possa variar dependendo da raça e do porte do animal. Durante esta etapa, reduz-se consideravelmente sua atividade física e eles começam a perder massa muscular, e isso requer mudanças em sua dieta diária.

É necessário diminuir a ingestão de carboidratos; esse nutriente é a principal fonte de energia para o organismo e deve estar presente em sua dieta, mas em menor quantidade.

Cachorro idoso comendo

As quantidades devem ser reduzidas e adequadas para evitar o aumento de peso. O sobrepeso tende a facilitar o aparecimento de muitas doenças, como a hipertensão e a diabetes, torna mais agudas as dores e acelera a degeneração de patologias musculoesqueléticas, como a artrite e a displasia de quadril.

Por outro lado, seu dieta deve ser reforçada por proteínas de alta qualidade. As proteínas são alguns dos nutrientes necessários para cães idosos, pois elas ajudam a compensar a perda natural de massa muscular. Como são fáceis de digerir e se quebram em pequenas moléculas, permitem também um melhor aproveitamento nutricional.

Nutrientes necessários para cães idosos: a vitamina C

Quando envelhecemos, as células de nosso corpo sofrem um processo de oxidação. As consequências são múltiplas e notadas principalmente na diminuição do desempenho das atividades cerebrais. Os cães experimentam um processo orgânico muito similar: a intensa oxidação implica na morte dos neurônios, o que conduz o animal a um quadro de demência.

A demência nos cães manifesta-se por uma perda progressiva das funções cognitivas e sensoriais. A visão e a audição são os sentidos que mais facilmente são afetados, enquanto o olfato costuma mostrar mais resistência ao processo degenerativo.

Com o avanço dos anos, o animal começa a perder suas habilidades cognitivas. Isso traz consigo a incapacidade de reconhecer comandos e muitas dificuldades relativas à localização espaço-temporal.

Neste panorama, a vitamina C também surge como um dos nutrientes necessários para cães idosos. Este poderoso antioxidante natural é capaz de desacelerar o envelhecimento celular, o que retarda o desgaste cerebral.

Graças a ela podemos combater e controlar os sintomas de demência senil. Além disso, para potencializar a ação da vitamina C, também se recomenda a administração de determinadas substâncias, como a fosfatidilserina.

As gorduras na dieta de um cão idoso

As gorduras constituem uma reserva energética e participam da produção de diversos hormônios importantes para os cães. Por isso, elas devem estar presentes de forma controlada na alimentação de um cão idoso. No entanto, assim como ocorre na alimentação humana, também existem gorduras boas e gorduras más na dieta canina.

As gorduras saturadas ou ‘trans’ podem favorecer o aumento de peso e acelerar o processo de demência. Já o contrário ocorre com as gorduras insaturadas, como o ômega-3 e o ômega-6, que são protetores cardiovasculares e possuem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes.

Vale destacar que sempre é importante estar atento ao peso do animal, já que alguns cães podem vir a ter uma magreza extrema quando atingem uma idade avançada; são casos mais raros que requerem uma alta ingestão de gorduras benéficas e insaturadas.

Alimentos balanceados para cães idosos

A alimentação equilibrada para um cão senil deve ser baseada em alimentos balanceados específicos para a ‘terceira idade canina’. Estas rações possuem as proporções adequadas dos nutrientes necessários para cães idosos.

Por isso, é importante estar atento principalmente à qualidade da proteína utilizada. Muitos alimentos agregam muita proteína vegetal –grãos como milho e soja– em sua fórmula, o que prejudica a digestão.

Se o animal tem dificuldade para mastigar, o ideal é oferecer o alimento em forma de um purê consistente. Para prepará-lo, basta juntar água ou caldo de frango quente sobre a porção de alimento e deixar repousar. Quando a papinha estiver à temperatura ambiente, é só misturar bem e servir.

Por último, também se pode juntar patês e ração úmida para complementar a dieta e facilitar a mastigação.

Husky Siberiano bebendo água

Hidratação de um cão idoso

Um cão idoso costuma diminuir naturalmente a frequência com que toma água, mas é importante lembrar que a água também é um dos fatores essenciais à vida.

Portanto, não se deve descuidar nem da alimentação e nem da hidratação, por isso, é importante deixar água fresca e limpa à sua disposição, sempre. Se um cão demonstra dificuldades ou falta de interesse em tomar água, novamente é possível recorrer à papinha. Mas nesse caso se recomenda oferecer uma papinha mais líquida.