Peixes-boi da Flórida em reabilitação

Em 2019, estimava-se que o número de peixes-boi que existiam na Flórida era de cerca de 5.733. No entanto, devido à alta taxa de mortalidade que a espécie experimentou nos últimos anos, teme-se que a população corra o risco de desaparecer.
Peixes-boi da Flórida em reabilitação
Cesar Paul Gonzalez Gonzalez

Escrito e verificado por o biólogo Cesar Paul Gonzalez Gonzalez.

Última atualização: 20 março, 2023

Os peixes-boi são mamíferos marinhos de corpo largo e tubiforme que medem entre 3 e 5 metros de comprimento, pesando mais de 300 quilos. Apesar do tamanho, eles têm um comportamento calmo e pacífico, uma vez que não existem muitos predadores que possam enfrentá-los na natureza. No entanto, a contaminação dos corpos d’água e a destruição de seu habitat tornaram-se uma séria ameaça para eles.

Diversas populações dessa espécie enfrentam situações deploráveis causadas pelas mãos do ser humano, que já as levou até mesmo à fome. Por esta razão, alguns grupos e fundações iniciaram projetos de resgate de vida selvagem para salvar suas vidas. Um exemplo disso é a Flórida, onde 79 peixes-boi foram colocados em reabilitação para que tivessem sua saúde estabilizada. Conheça a história deles a seguir.

Um problema que começou anos atrás

É comum que corpos d’água como rios, lagos ou lagoas sejam usados pelo ser humano para descarregar águas residuais de cidades ou vilas vizinhas. Como você pode imaginar, isso não afeta apenas a aparência da área, mas também afeta os parâmetros físico-químicos da água e diminui sua qualidade. Consequentemente, a saúde de todos os animais e a vegetação que dela dependem sofrem consequências.

Vários lagos e rios da Flórida sofrem com isso, incluindo o rio Banana, o rio Indian e a lagoa Mosquito, coletivamente conhecidos como Indian River Lagoon. De fato, a contaminação desses locais contribuiu para a morte de muitos peixes-boi de 1982 até hoje, mas não diretamente. Mesmo assim, isso colocou organizações como a Environmental Protection Agency em alerta.

Somente nos registros de mortalidade mais atuais, estima-se que, desde 2015, pelo menos 500 espécimes de peixe-boi tenham morrido na Flórida a cada ano. Destas mortes, pouco mais de 10% se devem a causas naturais, enquanto o restante está relacionado a atividades humanas, como pesca, choques com barcos, poluição, etc.

colônia de peixe-boi

A morte de mais de 1.100 peixes-boi

Apesar de várias organizações terem começado a trabalhar quase imediatamente na proteção da espécie, os esforços e apoios só atingiram seu máximo depois de 2021. Neste ano, ocorreu um dos eventos mais infelizes em relação aos peixes-boi, pois mais de 1.100 espécimes foram encontrados mortos boiando em rios e lagoas na Flórida.

Ao contrário do que se possa pensar, os peixes-boi não são tão suscetíveis aos efeitos dos contaminantes da água. Além disso, eles sobrevivem em ambientes com água de baixa qualidade, como a Indian River Lagoon. O problema é que a espécie depende de plantas e ervas marinhas para se alimentar, que não têm a mesma resistência e podem desaparecer do meio ambiente.

O peixe-boi é um animal herbívoro que precisa consumir no mínimo 10% do seu peso corporal diariamente. Portanto, quando a vegetação é escassa devido à poluição, é fácil que os espécimes sofram uma desnutrição severa que leva à fome e à morte.

Esta foi a principal razão pela qual mais de 1.100 peixes-boi mortos apareceram repentinamente à deriva na Flórida. Eles nada mais eram do que espécimes que morreram de desnutrição exagerada porque não tinham comida suficiente em seu habitat para sobreviver.

Peixes-boi da Flórida em reabilitação

Após esse evento assustador, organizações focadas na conservação do peixe-boi desenvolveram estratégias para resolver a falta de seu alimento. O primeiro foi o programa experimental de alimentação com alface, que consistiu na colocação desta hortaliça em pontos estratégicos para complementar a dieta dos peixes-boi. Enquanto o segundo consistiu no resgate e na reabilitação de vários espécimes na área.

Embora o programa de alimentação tenha reduzido significativamente a mortalidade do peixe-boi na Flórida, não foi possível atender a todos os indivíduos vulneráveis ao mesmo tempo. É por isso que diferentes organizações formaram The Manatee Rescue & Rehabilitation Partnership. O referido grupo se concentra em resgatar, reabilitar e reintroduzir vários espécimes na Flórida para reduzir o número de mortes.

Desde o início deste ano, mais de 79 peixes-boi estão sendo reabilitados em locais como SeaWorld, zoológicos e parques estaduais. Nesses espaços, eles receberão alimentação e cuidados adequados para recuperar o peso e melhorar a saúde. Depois disso, será escolhida uma área favorável onde eles possam ser reintroduzidos e garantir que não passem pela mesma situação novamente.

mamíferos marinhos

Estratégias temporárias do problema real

Tanto a reabilitação quanto o programa de alimentação experimental são apenas medidas paliativas para reduzir as mortes de peixes-boi na Flórida. Isso porque as ações de correção da qualidade da água nos locais mais afetados não surtem efeito imediato. Ou seja, as populações da espécie sofrerão escassez de alimentos por um tempo, apesar de as condições de seus habitats melhorarem.

Claro, as autoridades locais estão focadas em compensar os danos aos rios e lagos habitados por peixes-boi. No entanto, ainda há um longo caminho a percorrer para tirá-los do perigo que enfrentam. Enquanto isso, lembre-se de cuidar do consumo de água e evitar jogar lixo em rios, lagos, mares ou lagoas. Embora isso não os ajude diretamente, tenha certeza de que beneficiará a natureza ao seu redor.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.



Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.