Piometra em cães: sintomas e tratamento

dezembro 12, 2018
Essa condição é sofrida por cadelas em idade reprodutiva e pode ser fatal, daí a necessidade de tratá-la com urgência. A cirurgia pode ser menos ou mais invasiva, e a cadela pode nunca mais engravidar. 

A piometra em cães é uma doença que afeta fêmeas que atingiram a maturidade sexual. É uma infecção uterina que deve ser tratada o mais rápido possível, pois pode levar à septicemia, peritonite e insuficiência renal.

O que é a piometra em cães e o que ela pode causar

A hiperplasia endometrial cística, também chamada de piometra, é uma doença hormonal causada por um aumento anormal do hormônio progesterona.

A piometra pode afetar a fertilidade da cadela e até causar sérios defeitos orgânicos que podem ser fatais. Muitas cadelas em idade reprodutiva vêm a sofrer dessa doença em algum momento de suas vidas.

ciclo hormonal da fêmea está diretamente relacionado ao início da doença. Geralmente ocorre entre 10 e 12 semanas após a ovulação, principalmente devido a um aumento natural de progesterona.

A progesterona é um hormônio que diminui as contrações uterinas e causa uma série de mudanças no endométrio.

A piometra em cães está muitas vezes relacionada com a administração de tratamentos hormonais. 

Esses altos níveis de progesterona causam uma resposta bacteriana que resulta na infecção do endométrio.

Se você está administrando hormônios para seu cão, tenha em mente que os riscos de ele vir a desenvolver esta doença são muito altos.

Cachorro no veterinário

Sintomas e diagnóstico de piometra em cães

Em 85% dos casos, a piometra canina apresenta secreções vaginais com a presença de pus ou sangue durante o período compreendido entre a 2ª e a 8ª semana do estro.

De acordo com os sintomas físicos do animal, podemos distinguir dois tipos de piometra:

  • Piometra fechada, em que as secreções citadas não são observadas quando se apresenta um colo do útero fechado. Geralmente está acompanhada por um abdômen distendido. Esta variante é a mais perigosa para a cadela.
  • Piometra aberta, no qual secreções purulentas e sanguinolentas são observadas. Elas podem aparecer esporadicamente ou continuamente.

Os sinais clínicos mais comuns em ambos os casos são depressão, abdômen dilatado e anorexia, além de secreções vaginais e sede abundante. Sua mera presença é geralmente suficiente para diagnosticar a piometra.

No entanto, o veterinário pode realizar mais testes para confirmar o diagnóstico:

  • Uma radiografia do abdômen pode ajudar a confirmar a presença da piometra.
  • Um exame de sangue permite avaliar a contagem de leucócitos do animal e confirmar a existência de um processo infeccioso.
  • Um ultrassom permite que o veterinário detecte a presença de líquido dentro do útero, geralmente causado em resposta à infecção.
  • diabetes pode aparecer durante a piometra, portanto, uma medição dos níveis de glicose do animal poderá ajudar a detectá-la precocemente.
Veterinário analisando raio x de um cão

Tratamento e prevenção de piometra

O tratamento mais comum da piometra é geralmente a cirurgia. O procedimento mais agressivo, mas também mais eficaz, é a ovariohisterectomia, isto é, a extração do útero e dos ovários.

Este procedimento altamente invasivo sinaliza o fim da vida reprodutiva do animal, mas elimina completamente as chances de desenvolver a doença.

Outro tratamento menos invasivo é a lavagem do útero ou a aplicação de uma drenagem transcervical.

A administração de antibióticos e prostaglandinas também pode ajudar a eliminar a infecção. Essa abordagem não cirúrgica é eficaz apenas naquelas infecções de menor gravidade.

Quanto à prevenção, a esterilização parece ser o método mais seguro e eficaz, uma vez que o ciclo hormonal ligado à vida reprodutiva do cão e a produção de progesterona cessa completamente.

Temos que ter em mente que um animal sexualmente maduro e ativo está mais propenso a sofrer uma infecção, portanto, tenha em mente a esterilização, caso queira prevenir a piometra.