Por que os cães farejam entre si?

Como sabemos, o olfato é o sentido mais desenvolvido nos cães. Quando vemos que os cães farejam entre si, o que fazem é receber um montão de informações sobre o outro animal. Sabem desde o que o outro come até seu gênero ou seu estado emocional.

Os cães farejam entre si para receberem mensagens químicas

Seria uma espécie de fonte de informação através da química. Esse seria um dos muitos exemplos de comunicação química no reino animal.

Quando os cães farejam entre si, ativam um sistema olfativo auxiliar, chamado órgão de Jacobson ou órgão vomeronasal. Esse órgão tem muita capacidade de comunicação química. Seus próprios nervos se comunicam diretamente com o cérebro.

De onde sai a informação

caes-apaixonados

Os cães farejam entre si e recebem muita informação. De onde ela vem? A cada lado do ânus de nossos animais de estimação existem bolsas chamadas de sacos anais, que excretam as substâncias químicas que os bichinhos utilizam para obter informações.

A principal responsável pela transmissão de todos esses dados quando os cães farejam entre si é a glândula sudorípara apócrina. Além dela, a glândula sebácea desempenha um papel importante nesse processo.

Além disso, acontece que, quando um cão vai crescendo, as glândulas anais podem causar problemas. Muitas vezes, o material fecal entra nessas glândulas e pode acabar sendo incômodo e até doloroso para o bichinho. Se observarmos que o animal arrasta o ânus pelo chão ou que tenta olhar muito para ele, é a hora de procurar o veterinário para que ele faça uma limpeza nessas glândulas.

É preciso saber que nossos cães farejam as secreções do saco anal de outros da espécie dele, e obtêm, por meio disso, dados certeiros. Mas também devemos levar em consideração que a genética, a dieta e o sistema imunológico produzem mudanças químicas que fazem com que o odor se modifique.

O momento do passeio e a convivência social

Quando levamos o nosso cão para passear e ele se encontra com outro, dá início ao ritual: uma aproximação com medo, movimento do rabo ou atitude de alerta e, em seguida, farejam os traseiros entre si. Para os que nunca tiveram um bichinho, esse comportamento beira a depravação e a esquisitice.

Esse comportamento, que acontece quando os cães farejam entre si, é natural e cotidiano. Não devemos reprimir nosso animal de estimação por causa disso, mas também vamos tratar de entender por que acontece.

Ainda que isso nos cause incômodo, é bom que deixemos que nosso animal de estimação fareje por alguns segundos outros cães, para que possa desenvolver sua comunicação química à vontade.

O olfato e a memória

A partir do momento que nascem cegos e surdos, os filhotes já usam seu olfato, entre outras coisas, para encontrar as tetas da mãe, cheirando-as para poderem se alimentar.

Quando já estão crescidos e se tornam adultos, os cães têm entre 150 e 300 milhões de células receptoras de odores. Se o compararmos com as 5 milhões de células que, nós, humanos temos, veremos a diferença no aspecto olfativo.

Por tudo isso, os cães são empregados como cães de regate, para detecção de explosivos, para rastreamento de drogas, ou, inclusive, para a detecção de doenças em humanos.

Além disso, o sentido do olfato tem uma função muito importante para a reprodução dos cachorros. Dessa forma, quando as fêmeas estão no cio, as glândulas delas exalam determinados feromônios para que os machos saibam que estão receptivas ao acasalamento.

A memória olfativa

Além de ter o sentido do olfato tão desenvolvido, os cães também têm uma memória olfativa muito eficaz. Eles são capazes de se lembrar do odor de outros bichinhos, mesmo quando há anos não se veem.

Para termos uma ideia da distância que o olfato deles alcança, no caso dos cães, pode chegar aos 150 cm², enquanto que a área dos humanos é de 5 cm². Como vemos, nossos animais de estimação sempre utilizarão os odores para reconhecer e se lembrar de nós e de outros animais.

A sociabilidade de cada cão

dois-caes-amigos

A facilidade dessa troca de informações vai depender do grau de sociabilidade de um cão, pois é ele quem permite ou não que o outro cão o fareje, e até que ponto. Os cães mais sociáveis levantam o rabo para facilitar essa apresentação, enquanto que os menos sociáveis manterão seu rabo abaixado, para deixar as apresentações para outra hora.

Alguns cachorros que nascem sem rabo ou que mutilados não conseguem se comunicar nem ser apresentados. Em alguns desses casos, surgem brigas e desencontros entre eles.

Recomendados para você