Por que os gatos são tão flexíveis?

fevereiro 27, 2020
A grande quantidade de receptores sensoriais contribui para a eficácia dos movimentos dos gatos.

A maioria dos felinos se destaca pela sua capacidade de escalar e explorar todos os tipos de lugares. Os gatos domésticos são tão flexíveis e ágeis que podem praticamente alcançar qualquer lugar sem encontrar nenhuma limitação física.

Os gatos são curiosos por natureza, por isso tendem a investigar todas as brechas e recantos do lugar onde vivem. Essas necessidades instintivas são favorecidas pela sua morfologia esbelta e dotada de inúmeras capacidades sensoriais.

Os gatos são muito ágeis e flexíveis por causa da sua anatomia

A coluna dos felinos é composta por cerca de 50 vértebras. O número pode variar dependendo do comprimento do rabo. Esse é um número relevante de ossos, se levarmos em conta o pequeno tamanho dos gatos. Esta anatomia contribui para a mobilidade do animal e para a coordenação das diferentes partes do seu corpo.

Ao contrário dos seres humanos, que têm um ângulo de rotação de 90 graus, os gatos são tão ágeis e flexíveis que podem alcançar amplitudes de movimento de até 180 graus. Essa capacidade se deve à presença de discos de amortecimento elásticos intercalados entre as vértebras.

Gato pulando no jardim

A estrutura das patas também é um fator determinante no deslocamento dos felinos. Além de serem capazes de girar, elas são equipadas com poderosos amortecedores capazes de reduzir o impacto contra as superfícies.

Os felinos têm a capacidade de estender suas garras proeminentes. Eles fazem isso quando percebem um perigo, quando encontram uma possível presa ou durante uma escalada.

Também vale a pena destacar a mobilidade silenciosa e, ao mesmo tempo, veloz desses animais. Os gatos são digitígrados, ou seja, se movem apenas com o apoio dos dedos.

Quanto aos seus membros anteriores, se destaca a presença de uma clavícula flutuante, de modo que as patas dianteiras são unidas aos ombros apenas pelo aparato muscular. Essa peculiaridade estrutural, juntamente com o arranjo especial de suas omoplatas, proporciona uma maior flexibilidade aos gatos. Isso facilita a mobilidade, independentemente das dificuldades do ambiente.

Grande variedade de capacidades sensoriais

Além da sua anatomia, os gatos são tão ágeis e flexíveis porque coordenam seus movimentos com a percepção de muitos estímulos.

Um dos exemplos mais óbvios são suas patas. Além da estrutura anatômica característica, os membros desses mamíferos contribuem para a regulação da temperatura corporal e a detecção de vibrações do solo. Essa segunda capacidade facilita, portanto, a percepção do animal para entrar em estado de alerta.

As patas de um gato

A pelagem do gato, além de contribuir para a regulação térmica, também é um importante receptor sensorial para dor e movimento. Essa funcionalidade dupla é, ao mesmo tempo, complementada pelos bigodes, que são capazes de orientar o animal no espaço.

Além disso, os gatos têm uma visão altamente desenvolvida para a noite, crucial para desviarem de obstáculos e se moverem com destreza no escuro. As orelhas, os lábios superiores e o nariz também têm importantes sensores especiais para o movimento, detecção de presas ou fuga diante de perigos potenciais.

Finalmente, quando se trata da percepção do corpo em relação à superfície, o papel do ouvido interno altamente desenvolvido é essencial. Entre outras funções, essa estrutura atua no chamado “reflexo de correção”, que corrige a postura do animal em quedas a uma grande distância do solo.

Os gatos são tão ágeis e flexíveis que podem até sofrer uma desvantagem na hora da convivência doméstica. Por isso, os donos devem estar cientes da capacidade de movimentação de seus animais de estimação. Assim, eles poderão proteger os ambientes suscetíveis ao instinto curioso do animal.

  • Catonsville cat clinic. What makes cats so flexible? (2018). Recuperado de https://www.catonsvillecatclinic.com/holmes-corner/makes-cats-flexible/
  • Cole, L. (2018). Canidae. The Secret Behind a Cat’s Flexibility. Recuperado de https://www.canidae.com/blog/2018/11/the-secret-behind-a-cats-flexibility/
  • Montgomery, J.H. (S.f). HowStuffWorks. How Cats Work. Recuperado de https://animals.howstuffworks.com/pets/cat2.htm