Prevenir o frio nos cães: cuidados e conselhos

dezembro 24, 2017

O frio é capaz de causar dificuldades respiratórias que podem evoluir para patologias severas. Além disso, as doenças nas articulações e ósseas costumam se agravar no inverno. Por isso, prevenir o frio nos cães é essencial para que o seu animal de estimação se prepare bem para a chegada da estação mais fria do ano. 

Como saber se o seu cão está sentindo frio?

O ideal é prevenir o frio nos cães o quanto antes possível, evitando, assim, que o seu organismo sofra algum dano.

Geralmente, o cão demonstra que está sentindo frio quando treme. Mas é importante ficar atento a outros sintomas de frio que o seu animal de estimação está indicando:

cão olhando para a câmera

  • Diminuição do ritmo respiratório (normalmente o cão para de ofegar).
  • Lentidão ou cansaço.
  • Prostração ou sono excessivo.
  • Pele ou mucosas secas (o bichinho pode apresentar cortes ou rachaduras).

Doenças caninas associadas ao frio

Prevenir o frio em cães é a forma mais eficiente de evitar doenças associadas a esse clima. 

A seguir, veremos os principais processos patológicos associados ou agravados pelo frio que podem afetar os nossos animais de estimação.

Resfriados

Os cães também têm resfriado e os sintomas são bem parecidos com os nossos. Nariz frio e úmido, olhos avermelhados, febre, congestão nasal, cansaço e espirros.

Traqueobronquite Infecciosa (também conhecida como “tosse dos canis” e “tosse canina”)

Essa doença é causada por um vírus com grande capacidade de mutação. O período de contágio começa no outono e se mantém até o final do inverno. Por isso, é importante começar a prevenir o frio nos cães logo no final do verão.

Não se trata de uma doença grave, mas o tratamento costuma ser difícil e pode ser muito incômoda para o animal. Por isso, se o seu cão apresentar tosse, febre, vômitos ou congestão, é preciso recorrer imediatamente ao veterinário.

A evolução desses quadros patológicos pode levar a doenças respiratórias mais severas. A bronquite, a faringite, a laringite e a pneumonia podem começar com um simples resfriado.

Doenças nas articulações e/ou ósseas

As doenças nas articulações costumam se manifestar com mais severidade durante o inverno. Principalmente, quando o inverno vem acompanhado de umidade.

Os cães de maior porte ou que apresentam doenças com displasia da bacia ou do cotovelo são os mais vulneráveis. Sendo assim, eles precisam de uma proteção reforçada.

Quais raças se adaptam melhor e quais precisam mais de cuidados durante os períodos de frio?

Muitas pessoas acham que os cães com pelo longo e abundante não sentem frio. Isso é um mito. Todos os cães sentem frio e calor. O que varia de acordo com o porte, raça e pelagem é a resistência.

O Husky Siberiano, o Shar Pei, o Samoiedo, o Mamute do Alasca e o Chow Chow são os exemplos mais conhecidos. Esses cães costumam ter uma notável resistência ao ar livre e ao frio. Mas isso não significa que não precisamos tomar cuidado com a sua saúde durante o inverno.

Os cães de pequeno porte e com pelagem escassa costumam ser muito vulneráveis aos climas frios. O seu corpo é mais frágil e não está preparado para sobreviver à intempérie, podendo adoecer com mais facilidade.

As raças de cães que precisam de mais cuidados durante as temporadas de frio são: o Yorkshire, o Pinscher, o Buldogue Francês, o Boston Terrier, o Pug, o Chihuahua, o Bull Terrier Miniatura e o Cão de Crista Chinês.

Prevenir o frio nos cães: conselhos práticos e efetivos

1. Adaptar o ambiente

Em países com invernos severos, é fundamental manter a casa com a temperatura adequada. O ideal é que a temperatura se mantenha entre os 19ºC e 25ºC.

O espaço em que o seu animal de estimação dormir e descansar deve contar com uma manta grossa, limpa e seca.

2. Roupas e acessórios para prevenir o frio nos cães

Existem suéteres, capas e casacos impermeáveis para todos os tamanhos e idades de cachorros.

dona com cão na coleira

3.Passeios à luz do sol são mais bonitos

O frio não deve impedir os exercícios com o nosso melhor amigo. Na verdade, a atividade física ajuda a regular a temperatura corporal e é muito bem-vinda no inverno. Mas o ideal é realizar os passeios durante a manhã, quando há mais incidência de luz solar.

4. Casinha virada para o exterior

Muitos animais de estimação dormem no lado de fora da casa. É importante construir ou comprar uma casinha para o seu melhor amigo, pois é importante que ele não durma ao ar livre durante o inverno.

5. Cremes hidratantes

As orelhas e as patas dos cães são muito sensíveis ao frio e podem ficar secas e rachadas. Os cremes hidratantes específicos para cães ajudam a prevenir e a tratar esses problemas dermatológicos. Não se deve usar cosméticos humanos nos animais.

6. Massagens e compressa quente

Os filhotes e cães idosos podem apresentar, frequentemente, rigidez em seus músculos, devido ao frio. Recomenda-se massagear a área afetada com muito cuidado e aplicar uma compressa quente por 15 minutos.

Para prevenir o frio em cães, é preciso respeitar a sua carteira de vacinação e desparasitação. Caso contrário, o seu sistema imunológico pode ficar debilitado e se tornar mais vulnerável a todo tipo de doenças.