Regulamentos europeus para viajar com animais

fevereiro 6, 2019

Os regulamentos europeus para viagens não são tão rigorosos, mas é preciso conhecê-los. Eles garantem o bem-estar tanto do animal, quanto dos passageiros. Além disso, buscam prevenir doenças contagiosas.

Ao viajar com seu animal de estimação na Europa, há uma série de documentos que você deve ter em mãos para passar pela alfândega sem problemas.

“Espaço Schengen” para viajar com seu animal de estimação

Uma das principais vantagens de se viver na União Europeia (UE) é que seus cidadãos podem viajar para outros países europeus com facilidade.

Dessa forma, com o Espaço Schengen, que inclui 26 países, é necessário apenas um passaporte para viajar tranquilamente.

No caso dos animais, esse tipo de espaço além das fronteiras também se aplica. Ou seja, não há guaritas ou barreiras para os animais atravessarem.

Entretanto, ainda assim, como acontece com os humanos, há uma série de documentos que qualquer dono deve ter em mãos ao viajar pela comunidade.

Como viajar com seu pet para um país que não pertence à União Europeia?

Em algumas partes do mundo, viajar com seu animal de estimação exige uma série de visitas ao veterinário e certificados que atestam, entre outras coisas, a saúde do animal.

A documentação e requisitos necessários para viajar com um cão pela Europa é a seguinte:

Microchip

  • Embora muitos proprietários já optem por implantar um microchip em seu cão, mesmo sem ser para viajar, deve-se notar que esse dispositivo é necessário ao viajar para a UE. O único requisito que os microchips devem cumprir é que eles possam ser lidos por scanners comuns.

Vacinação e saúde

  • A vacina contra raiva também é necessária. Na Europa, ainda existem animais contaminados com a doença, que é letal se não for tratada a tempo. Portanto, o animal de estimação deve ter sido vacinado pelo menos 21 dias antes de chegar à Europa. Também é importante ter em mente que o microchip do animal deve ser implantado antes da vacina. Além disso, essa vacina não pode ser administrada em animais com menos de 12 semanas de idade. Portanto, uma das exceções apresentadas pela documentação dos filhotes mais jovens é que eles não precisam ser vacinados.
  • Depois de ter vacinado seu animal de estimação contra a raiva, o próximo passo é analisar seu sangue para verificar se os níveis de anticorpos são altos o suficiente.
  • Lembre-se que esse teste deve ser realizado pelo menos 30 dias após o animal ter sido vacinado. Além disso, é preciso que esse período seja três meses antes dele chegar à Europa. Como você pode ver, os regulamentos europeus requerem um certo nível de preparação e planejamento.
  • Além de todos esses testes, você deve ter um certificado de saúde assinado por um veterinário, certificando que seu animal de estimação não possui doenças contagiosas. Também é preciso comprovar que ele é vacinado contra a raiva e está pronto para a viagem. Para viajar com seu animal de estimação, esse documento é essencial.

Tempo de estadia

  • Se a estadia durar mais de quatro meses, é necessário um passaporte válido para animais de estimação. Esse documento chama-se Passaporte para Animais de Companhia e é definido pelo Regulamento de Execução (UE) n.º 577/2013 da Comissão. O documento também é necessário para europeus que desejam viajar dentro da UE. O documento será emitido por um veterinário autorizado.
  • Para os cães que vão viajar para Malta, Irlanda, Finlândia ou Reino Unido, a vacina contra o parasita Echinococcus multilocularis é necessária. O tratamento será administrado por um veterinário entre 24 e 120 horas (5 dias) antes de chegar ao país europeu em questão.

Como comentamos, com as documentações necessárias, os regulamentos europeus para viajar com animais de estimação acabam não sendo tão rígidos.