Seu cachorro balança a cabeça com frequência?

Se um cachorro balança a cabeça com frequência, pode ser devido a vários fatores, de características particulares a qualquer outra condição ou doença. Quando são observadas situações que fogem da normalidade, é hora de buscar a opinião do veterinário.

Movimentos suaves e harmoniosos: Normal

É normal quando um cachorro balança a cabeça com frequência, inclusive com um pouco de força, quando seus donos falam com eles. Esse gesto indica que eles estão prestando atenção ao que é dito.

Cachorro com a cabeça inclinada

Algumas raças podem virar o rosto de um lado para outro (com algumas pausas, não são ações contínuas) entre as frases. Essa pode ser a maneira de dizerem que não entenderam nada do que está sendo dito.

Em outros casos, pode ser o contrário: eles identificaram as palavras com gestos e respondem.

Não há nada de anormal nisso. Os donos muitas vezes acabam “derretidos” pela doçura demonstrada pelos seus animais de estimação.

Movimentos frenéticos: você tem que prestar atenção

Se um cachorro balança a cabeça de forma violenta, é necessário fazer uma avaliação. Além disso, se a condição é acompanhada por outros sintomas, como coçar as orelhas com as patas, os cuidados são ainda mais urgentes.

As razões pelas quais um cachorro balança a cabeça são muitas. Em quase todos os casos, o problema está localizado nas orelhas ou ouvidos. Muitas vezes, é necessário o cuidado consultar um veterinário com urgência.

Possíveis causas

Orelhas molhadas após um banho

Não é estranho que os cães se balancem com força depois de um banho, tentando tirar a água de seus corpos. O mesmo acontece com a cabeça.

Para evitar que a água entre nos canais auditivos, você pode colocar tampões de algodão neles. De qualquer maneira, os donos devem sempre lembrar de secar a região da melhor forma possível.

Quando o cão vai à praia, essa é uma situação ainda mais comum.

Um objeto estranho dentro de uma orelha

Não precisa ser muito grande. Basta um pequeno objeto para gerar a sensação de desconforto que leva o cão a sacudir a cabeça.

É preciso ser especialmente cuidadoso quando há crianças em casa e cães muito tolerantes com elas. Existem cães tão dóceis, que deixam as crianças inserirem pequenos objetos ou alimentos dentro das orelhas deles.

Carrapatos

Essas pragas irritantes muitas vezes escolhem os canais auditivos dos cães para se instalar. Sugadores de sangue insaciáveis, além de poderem gerar muita dor, os carrapatos podem transmitir aos animais de estimação doenças potencialmente mortais.

Seborreia

O ressecamento extremo no interior dos ouvidos pode causar coceira em níveis desesperadores nos cães.

A seborreia pode gerar, de forma semelhante, o efeito oposto: excesso de sebo.

As raças cocker spaniel, labrador, golden retriever, pastor alemão e dobermann são as mais afetadas.

Hematomas

Se um cachorro balança muito a cabeça, isso pode se tornar a própria causa do problema. Os golpes violentos das orelhas contra o crânio deixam alguns vasos sanguíneos danificados no interior do ouvido. Isso vai gerar hematomas, que por sua vez produzem novos problemas, causando mais sacudidas de cabeça. Esse ciclo vicioso deve ser interrompido imediatamente assim que for detectado.

Vasculite cutânea

A ação de carrapatos também pode causar essa doença na pele. Em alguns casos, afeta orelhas e o interior dos ouvidos.

Os vasos sanguíneos do pavilhão auricular se inflamam e aparecem feridas e crostas nas bordas exteriores, gerando muita dor.

Apesar de todas as raças serem suscetíveis a essa doença, o salsicha, os collies e o pastor alemão, entre outros, sofrem maior risco.

Seu cachorro balança a cabeça? Investigue se é otite

A agitação violenta da cabeça em cães é um sintoma clássico de otite. Essa infecção do aparelho auditivo deve ser tratada com extremo cuidado. Efeitos negativos sobre o tímpano podem se tornar irreversíveis. Em alguns casos, a infecção pode se espalhar para o cérebro, colocando em risco a vida do animal.

Pastor alemão com a cabeça inclinada

Algumas raças são mais propensas a desenvolverem essa doença, por conta da sua própria constituição física.

Cães com orelhas longas e caídas, que impedem a circulação adequada de oxigênio: basset hounds, beagles, cocker spaniel, bloodhound e poodles, são normalmente afetados por essa doença.

Cães com muito pelo

Além de impedir a passagem livre de ar para as orelhas, isso também os torna propensos a produzirem cera em excesso. Nessa categoria, estão: são bernardo, border collie, maltês, entre outros.

Recomendados para você