Uveíte felina: causas, sintomas e tratamento

Uveíte felina: causas, sintomas e tratamento

Última atualização: 06 Junho, 2018

A uveíte felina geralmente está associada a processos e doenças virais que podem ter consequências fatais. Alguns exemplos são a formação de cataratas, glaucoma, desprendimento da retina e cegueira.

Um dos elementos anatômicos mais admiráveis nos felinos são os olhos, por sua forma e cor hipnotizantes. Nós, como donos responsáveis, devemos assegurar que eles recebam o cuidado necessário. Um dos problemas que mais afetam a visão de gatos domésticos é a uveíte felina. A seguir, explicaremos do que se trata.

O que é a uveíte felina?

A uveíte felina é um problema oftalmológico que afeta gatos e outros animais da família dos felinos. Está associada, principalmente, a doenças virais e fatais de alta prevalência, como a leucemia.

Do mesmo modo, essa doença da úvea pode estar relacionada a traumatismos ou contusões. Assim, um gato que tenha sofrido um acidente ou brigado pode sofrer de uveíte sem ter qualquer doença.

Causas da uveíte felina

A úvea, ou trato uveal, é o tecido vascular do olho. Trata-se de uma espécie de barreira que protege o fluido intraocular.

Olhos de gato

Por ser um tecido vascular, é natural que doenças virais e afins causem alterações em sua estrutura. Essas alterações podem levar a rupturas e inflamações.

Sintomas e diagnóstico da uveíte felina

O dono de um felino pode perceber de forma relativamente fácil os principais sintomas dessa doença. É importante recorrer imediatamente ao veterinário caso algum desses sintomas seja observado:

  • O gato mostra desconforto diante da luz
  • Dor ou lacrimejo
  • Diminuição da visão
  • Surgimento de manchas de forma aquosa
  • Presença de pus na área lacrimal ou dentro das pálpebras
  • Mudanças na cor nos olhos
Uveíte em gatos

Como sempre, o especialista determinará se o problema é por conta de uma uveíte ou alguma outra complicação oftalmológica, como uma conjuntivite.

Tratamento da uveíte felina

Uma vez que o especialista tenha diagnosticado a doença, prescreverá um tratamento que geralmente tem dois componentes: o específico e o paliativo.

O específico se encarregará de acabar com a origem do problema, podendo ser um medicamento à base de corticoides. Por sua vez, o paliativo, por meio de anti-inflamatórios, irá diminuir os efeitos secundários da doença, como a dor e o inchaço.

Esse tratamento é fundamental para evitar sequelas frequentes da inflamação intraocular, como a formação de cataratas, glaucoma, desprendimento da retina e cegueira.

Do mesmo modo, é importante lembrar que a resposta aos medicamentos dependerá em grande parte do tipo de uveíte, assim como da fase de desenvolvimento em que a doença foi detectada.

Por último, a uveíte felina associada a um traumatismo é mais fácil de tratar, assim como as que são detectadas de forma prematura. Devemos estar sempre atentos ao nosso gato para preservar sua saúde. Em suma, isso é o que todo dono quer e deve fazer.