Vitaminas e minerais sintéticos nas rações para cães

outubro 31, 2019
Muitas das rações elaboradas para os cães contêm vitaminas e minerais sintéticos em sua composição. Essas dietas são boas para os nossos animais de estimação?

O que você sabe sobre a presença de vitaminas e minerais sintéticos nas rações para cães? É importante ter um certo conhecimento sobre este assunto para poder proporcionar a melhor alimentação ao seu fiel amigo de quatro patas.

As rações comercializadas para cães passam por rigorosos testes químicos e biológicos, todos eles para determinar que elas não possam causar toxicidade devido ao excesso de certos nutrientes. Além disso, elas devem ser palatáveis, ou seja, os cães devem gostar delas.

É importante que elas passem por controles que verifiquem que a concentração dos diferentes níveis de nutrientes esteja dentro dos limites estabelecidos pela lei. Também é necessário que outras experiências sejam realizadas para determinar se os cães preferem uma ou outra ração.

Podemos entender o que há na ração dos nossos cães ao verificar os rótulos contendo as informações nutricionais das mesmas. Esses componentes costumam variar de acordo com a idade do cão a que se destinam, o seu nível de atividade física e o seu estado de saúde.

Quais são os nutrientes essenciais contidos nas rações para cães?

Cada espécie possui diferentes requisitos nutricionais. Isso pode ser visto claramente se compararmos a alimentação de um cão com a de um periquito, por exemplo.

No entanto, talvez seja mais complicado identificar as distinções se estivermos comparando a alimentação de um gato e a de um cachorro. Ainda assim, esses animais têm requisitos diferentes. Por exemplo, a adição de um aminoácido chamado taurina é essencial para os gatos.

Os nutrientes essenciais contidos nas rações que não podem faltar na alimentação de um cachorro são:

  • Proteínas, cujos aminoácidos são: arginina, histidina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, metionina + cistina, fenilalanina, fenilalanina + tirosina, treonina, triptofano e valina.
  • Gorduras de origem animal que incluam os ácidos graxos essenciais: ácido linoleico (ômega-6), ácido araquidônico (ômega-6) e ácido alfa-linolênico (ômega-3).
  • Minerais: cálcio, fósforo, potássio, sódio, cloreto e magnésio.
  • Oligoelementos: cobre, iodo, ferro, manganês, selênio e zinco.
  • Vitaminas: Vitamina A, vitamina D, vitamina E, tiamina, riboflavina, ácido pantotênico, vitamina B6 (piridoxina), vitamina B12, niacina, ácido fólico, biotina, colina, vitamina K.
Proteínas, gorduras e carboidratos

De onde vêm as vitaminas e os minerais sintéticos contidos nas rações para cães?

As vitaminas e minerais estão incluídos na matriz dos alimentos. Isso significa que essas substâncias são encontradas na estrutura natural dos alimentos frescos.

Se os alimentos naturais são processados ​​por meio de procedimentos mecânicos, químicos ou físicos, como geralmente acontece com as rações, essas substâncias costumam ser degradadas.

Em uma dieta baseada em alimentos “de verdade” ou pouco processados, tais como a dieta BARF para cães, os nutrientes essenciais permanecem inalterados. Essa é uma dieta mais saudável e completa, desde que todos os alimentos necessários sejam fornecidos.

Por exemplo, uma dieta natural para cães não pode ser baseada apenas na carne; eles também devem consumir vísceras, ossos e alguns alimentos de origem vegetal.

Nas rações para cães, algumas dessas vitaminas e minerais permanecem inalterados, mas na maioria dos casos eles são perdidos. Também pode acontecer que o produto natural com o qual a ração foi fabricada não seja de boa qualidade, de forma que a ração se torna ainda pior.

Para cobrir essas deficiências, os minerais e vitaminas são sintetizados e adicionados posteriormente, até que os níveis exigidos de acordo com as leis sejam alcançados.

Vitaminas e minerais sintéticos

Vitaminas e minerais sintéticos são prejudiciais?

Desde que os diferentes níveis dessas substâncias adicionadas sejam controlados por meio de análises laboratoriais, os minerais e vitaminas sintéticos não prejudicam a saúde do animal.

Todas as substâncias adicionadas à ração animal são previamente testadas em modelos animais, em condições de laboratório.

No entanto, existem substâncias, tais como aditivos, conservantes e corantes, que são adicionadas por diferentes razões às rações e que, em determinadas quantidades, poderiam ser prejudiciais.

Finalmente, já houve casos de intoxicação devido ao excesso de vitamina D em rações comercializadas em muitos países do mundo, que foram rapidamente eliminadas do mercado.

Nesse caso, os testes não detectaram o excesso dessa vitamina, o que causou problemas de saúde em muitos animais de estimação.

FEDIAF Federación Europea de Fabricantes de Alimentos para Mascotas. (2018). Guías Nutricionales para alimentos completos y complementarios para perros y gatos.

Ortega, V. (2004). Estudio Comparativo en el uso de colorantes naturales y sintéticos en alimentos, desde el punto de vista funcional y toxicológico. Valdivia, Chile.

Stockman, J., Fascetti, A. J., Kass, P. H., & Larsen, J. A. (2013). Evaluation of recipes of home-prepared maintenance diets for dogs. Journal of the American Veterinary Medical Association, 242(11), 1500-1505.