Você conhece todas as raças de Mastim?

· março 21, 2018

De grande porte, protetores e originários da Ásia e da Europa, as raças de Mastim pertencem ao grupo de cães molossos de montanha e têm ajudado ao homem desde épocas remotas. Neste artigo contaremos a você quais são algumas das raças de Mastim mais conhecidas, caso você queria adotar um cão imponente, bondoso e carinhoso.

Diferentes raças de Mastim

Dentre as raças de Mastim, cães de montanha ou guardiães de rebanhos, podemos destacar os seguintes:

Mastim com filhotes

  1. Mastim da Caxemira

Também chamado de Bakharwal, é um cão de trabalho originário da Índia, mais precisamente da região de Pir Panjal, nos Himalaias da Caxemira. Durante séculos foi criado por tribos nômades como guardião de rebanhos e protetor de terras. Está relacionado ao Dogo do Tibet e a outras raças do centro da Ásia. É musculoso, forte, com cabeça grande e pelagem densa, de cores preta ou bronze.

  1. Mastim Italiano

O Pastor de Maremano é outro dos expoentes das raças de Mastim. Como seu nome indica, provém da Itália e durante séculos foi utilizado como protetor de rebanhos de ovelhas, contra os lobos. Continua sendo usado na região de Abruzzo e é similar ao cão de Montanha dos Pireneus: de grande porte, lanudo, com forma similar à de um urso branco, pode pesar até 45 kg.

  1. Mastim Afegão

Há séculos ele é utilizado para proteger os rebanhos das tribos afegãs, turcas e tibetanas. Pode ser perigoso com estranhos e seu corpo age como uma arma difícil de vencer. Tem fortes mandíbulas e músculos poderosos. Dizem que uma de suas qualidades é o fato de poder matar uma pessoa. Tem pelagem tigrada, cauda enrolada e grande altura.

  1. Mastim do Pireneus

Outra das raças de Mastim que teve sua origem na Europa, mais precisamente na região dos Pireneus aragoneses. É um molosso do tipo montanha e desde sua origem acompanha os rebanhos de ovelhas e as protege dos ataques de ursos, lobos e ladrões.

Após a Guerra Civil espanhola quase se extinguiu, porque era muito caro de manter, devido ao seu grande tamanho. Graças aos trabalhos de recuperação da raça nos anos 70, atualmente há cada vez mais exemplares. O Mastim dos Pireneus é muito inteligente, nobre e guardião. Seu manto é branco com manchas pretas ou marrons.

  1. Mastim napolitano

Esta raça descende do Mastim Tibetano, um cão muito popular na antiga Roma, é da família de molossos e do tipo Dogo. Trata-se de um cão maciço, pesado e de grande tamanho. Não é agressivo e nem morde sem razão. É muito inteligente, nobre e decidido. Ideal para cuidar de uma propriedade e da família. Deve comer aproximadamente 1 kg de comida por dia.

  1. Mastim Espanhol

Também conhecido como Mastim Leonês, é outra das raças de Mastim que se originou, como o nome indica, na Espanha, e que era utilizado como guardião em zonas rurais. Os primeiros exemplares surgiram para o pastoreio de gado. Com o final da Guerra Civil, sobraram poucos expoentes do Leonês. Depois, pouco a pouco foram os recuperando. É um cão de grande porte, potente, musculoso, inteligente, com pelagem espessa e grossa, de temperamento equilibrado e com um interessante instinto guardião.

  1. Mastim americano

Uma das poucas raças de Mastim que teve sua origem nos Estados Unidos. Este molosso foi criado a partir do cruzamento do Mastim inglês com o Cão pastor de Anatólia. Ainda que seja de tamanho grande (os machos chegam a medir 90 cm em cruz e pesar 90 kg) pode se encaixar bem na vida em um apartamento, desde que ele possa se exercitar diariamente.

  1. Mastim tibetano

O Dogo do Tibet é originário desta região da China e, no princípio, era utilizado como cão de pastoreio das tribos nômades do Himalaia. Além disso, é o guardião tradicional dos monastérios budistas. Recebeu este nome de Aristóteles e de Marco Polo. Trata-se de uma das raças mais antigas do mundo.

Filhotes de Mastim

  1. Mastim inglês

A última das raças de Mastim desta lista corresponde a um cão de vários séculos de idade, da região da Bretanha. Ainda que quase tenha sido extinto no final da Segunda Guerra Mundial, a importação de vários exemplares para o Canadá e para os Estados Unidos permitiram que ele continuasse existindo. É valente, afetuoso, protetor, leal e zeloso com seus donos.