5 animais poligâmicos

janeiro 30, 2019
Essas espécies são caracterizadas por copularem com mais de um parceiro ao mesmo tempo. Embora seja verdade que é mais comum as fêmeas "compartilharem" um mesmo macho, às vezes o oposto também pode acontecer.

Nós, seres humanos, baseamos nossas relações pessoais em moralidade, costumes ou religião. Isso não acontece com outros seres vivos. É por isso que existem animais poligâmicos, que têm mais de um parceiro por vez. Conheça alguns deles no artigo a seguir.

Animais poligâmicos

A poligamia é um hábito pelo qual um indivíduo tem vários parceiros ao mesmo tempo. Na maioria dos casos, é um macho com um “harém” de fêmeas, embora às vezes o oposto também ocorra. 

Preste atenção a esses animais poligâmicos:

  1. Demônio-da-Tasmânia

Ele ficou famoso por um desenho animado da Warner Bros., mas este animal endêmico da ilha da Tasmânia (imagem que abre este artigo) existe e seus hábitos reprodutivos são curiosos.

Primeiro, os machos lutam uns com os outros pelas fêmeas e, uma vez que “ganham”, devem vigiar suas parceiras para evitar a “infidelidade feminina”.

Isso ocorre porque as fêmeas podem ovular três vezes na mesma estação e acasalar com vários machos nesse período.

Após uma gestação de três semanas, dá à luz vários filhotes rosados ​​e pelados, dos quais apenas quatro sobrevivem (um para cada mamilo da fêmea).

  1. Gnu

É um grande antílope nativo da África que parece uma ‘mistura’ de touro e cervo. Caracteriza-se por uma crina longa e desregrada, bem como barbas do pescoço ao peito e pernas de vários centímetros, que terminam em cascos.

Gnu africano

O gnu é herbívoro, migra em grupos de até um milhão de exemplares em busca de pastos novos e é bastante selvagem.

Durante esse tempo, o cio também começa: um macho ‘reúne’ várias fêmeas – as mais resistentes e saudáveis ​​- com as quais acasala; também as defende de outros machos.

  1. Rhea

Embora a maioria das aves seja monogâmica, e muitas delas continuem com o mesmo par durante toda a vida, a Rhea é uma das exceções.

Esta ave também não pode voar e apresenta um dimorfismo sexual pouco pronunciado (os machos se parecem com as fêmeas).

Rhea

Semelhante ao avestruz, a Rhea forma grupos de até 50 indivíduos durante o inverno e o outono. No entanto, em tempos de calor, elas se dividem em grupos menores, com machos dominantes. Estes lutam entre si para disputar as “melhores” fêmeas.

Um dos hábitos mais curiosos sobre a reprodução dos Rheas é que, uma vez que o macho acasala com todas as suas fêmeas, ele é responsável pela incubação dos ovos e pelos filhotes quando os ovos eclodem, além de criá-los e alimentá-los.

  1. Formiga

Este inseto não apenas faz parte do grupo de animais poligâmicos, mas também daqueles que praticam a endogamia (acasalam com membros da mesma família). Neste caso, é a fêmea que tem vários machos à sua disposição: eles são os famosos zangões.

Formigas

A formiga rainha é encarregada de acasalar com muitos machos (seus filhos) e dar à luz milhares de ovos.

Além disso, ela é quem decide quanto de seus filhotes serão fêmeas inférteis e guerreiras, ou machos dedicados à reprodução.

  1. Gorila

Esses grandes primatas que habitam a África são um exemplo claro de poligamia entre animais. Uma vez que se tornam sexualmente ativos – por volta dos 12 anos de idade – os machos apresentam uma marca prateada nas costas. 

Este sinal de força e dominação lhes dá ‘permissão’ para lutar com outros e obter um harém de fêmeas.

Gorila

Um grupo de gorilas pode ser formado por um macho dominante, quatro ou cinco fêmeas com as quais ele copula, e o resto é formado por jovens.

Quando os jovens passam pela puberdade, eles devem deixar o grupo e começar sua própria família.