5 raças de cães grandes

julho 5, 2019
Seu tamanho pode ser imponente, mas eles são excelentes companheiros. Hoje falaremos sobre algumas raças de cães grandes que, normalmente, têm uma personalidade calma e pacífica.

No mundo animal, ser grande geralmente implica impor sua presença. No caso de cães grandes, isso costuma ser verdade, embora muitas dessas raças sejam animais fiéis e equilibrados. Você quer conhecer alguns deles?

Dogue alemão, um gigante entre os cães grandes

Essa raça, também conhecida como cão dinamarquês – na foto que abre este artigo – tem sua origem na Alemanha. Acredita-se que, em suas origens, não fosse tão dócil e sociável, mas que as sucessivas cruzas tenham aperfeiçoando o seu caráter.

Atualmente, é um animal de companhia ideal e é conhecido como “o gigante dócil” ou o “gigante gentil”.

Se falamos de cães grandes, o Dogue Alemão, sem dúvida, se destaca: ele possui entre 80 e 100 centímetros de altura, e tem um peso que varia entre 50 e 100 quilos.

Dependendo do caso, alguns espécimes chegaram a atingir uma altura superior a dois metros quando estão em pé ou sobre as duas pernas.

Como já comentamos antes, seu tamanho impressionante esconde uma personalidade gentil e dócil. Ele não costuma ser agressivo com outros cães e, se for criado desde filhote, é um companheiro fantástico para toda a família.

Terra Nova

A origem dessa raça vem da Terra Nova, no Canadá. Os habitantes dessa região os usavam como cães de trabalho, ajudando na pesca. Mais tarde, suas habilidades de natação foram descobertas, e ele é atualmente uma das raças favoritas em tarefas de resgate na água. 

Terra Nova

Sem dúvida, essa raça ganhou sua reputação entre os cães de grande porte: os machos podem chegar a até 90 centímetros e ter um peso aproximado de 60 quilos.

O pelo do Terra Nova é resistente à água e sua coloração varia. O pelo preto é o mais comum, no entanto. Assim como a raça anterior, esses animais têm uma personalidade calma e leal.

O Mastim napolitano, um ícone dos cães grandes

Esta é uma daquelas raças que se destacam inconfundivelmente pela sua aparência. Este animal é descendente do enorme mastim tibetano, e há inúmeros registros históricos que os mencionam como cães de guerra ou de combate.

A região da Campânia foi uma das áreas de reprodução mais ativa desta raça.

O Mastim napolitano, um ícone dos cães grandes

Com uma altura variando entre 60 e 70 centímetros e um peso de cerca de 85 quilos, em média, o Mastim Napolitano se destaca pela grande quantidade de pele que cobre seu corpo. Este recurso é acentuado na cabeça, onde há diversas pregas cutâneas.

Esta raça tem merecido a sua reputação como um cão de guarda, mas se você treiná-lo e educá-lo adequadamente, pode ser um companheiro fiel e equilibrado.

São Bernardo

Temos que viajar para os Alpes suíços e o norte da Itália para encontrar a origem desta raça. Suas façanhas como cão de resgate em áreas montanhosas são bem conhecidas, embora também sejam excelentes pastores de gado.

Cães grandes: São Bernardo

O São Bernardo tem uma altura que varia entre 65 e 75 centímetros – as fêmeas são um pouco menores – e pesa até 80 quilos. Seu caráter calmo e pacífico contrasta com sua aparência, sem dúvida.

Eles são animais fortes e musculosos, mas mansos. É claro que precisam de grandes espaços para viver. Existem duas variedades, dependendo do comprimento do seu pelo.

Lébrel irlandês

Se falarmos de estatura, o Lébrel irlandês pode competir pelo título de campeão. Esta raça vem da Irlanda, e sua origem remonta ao lebrél que os celtas usavam para caçar. 

Lébrel irlandês

Sua altura é impressionante – até 100 centímetros desde a cernelha – e pesa entre 45 e 55 quilos. Apesar destes dados, o lébrel irlandês é esguio e tem um revestimento forte e muito duro.

Mais uma vez, enfatizamos que a aparência desta raça esconde uma personalidade extremamente dócil: ele é equilibrado e se dá muito bem com as crianças da casa.

Urfer, S. R., Gaillard, C., & Steiger, A. (2007). Lifespan and disease predispositions in the Irish Wolfhound: a review. Veterinary quarterly29(3), 102-111.