A ascaridíase em cães e gatos

· maio 31, 2018
Os parasitas da ascaridíase em cães e gatos podem ser mais perigosos do que você pensa. Podem chegar até a causar a morte de seu companheiro.

A ascaridíase afeta 40% da população canina. Prestar atenção neste problema a tempo evita maiores complicações de saúde para o animal.

Como na maioria das doenças, é preciso ter mais cuidado com o filhotes, que são mais delicados. É por isso que a ascaridíase mal tratada pode causar a morte deles.

Para ser feito o diagnóstico, é preciso uma análise das fezes do animal. É primordial levá-lo ao veterinário sob suspeita de qualquer anomalia. Mais uma vez, insistimos que, quanto antes, melhor.

O mesmo se aplica às pessoas sob suspeita de infecção. A atenção sanitária deve ser imediata, para evitar assim a propagação da infecção.

O que é a ascaridíase em cães e gatos

Em primeiro lugar, vale ressaltar que a ascaridíase é gerada por dois parasitas: toxocara e toxoascaris leonina, que vivem no intestino delgado do animal.

cães e gatos

Fonte: 紫流

Acontece que os ovos deste parasita são eliminados nas fezes dos cães ou gatos. No entanto, devido aos agentes externos, esses ovos amadurecem e se transformam em larvas.

Os cães geralmente se contaminam quando acabam ingerindo o material fecal infectado. Seja por um erro, ou de forma involuntária, ao sujar as patas.

Uma vez dentro do corpo do animal, as larvas viajam até o fígado pela corrente sanguínea e depois passam pelos pulmões. Após isso, chegam à traqueia, seguem pelo esôfago e acabam no estômago. Finalmente, instalam-se no intestino, onde ficam maduras até se tornarem vermes adultos. 

Quais são os sintomas da ascaridíase

A ascaridíase é uma doença comum em zonas rurais, ou onde há predomínio de áreas de terra. Isso porque, entre outras coisas, são os lugares preferidos dos cães e gatos para defecar.

Então, as crianças com idade entre dois e cinco anos são mais propensas a se contaminar. A infecção acontece pela ingestão do material fecal contido na terra.

Assim como nos cães, a larva viaja pela corrente sanguínea da pessoa e afeta seus órgãos. Durante a primeira fase da doença, não há sintomas evidentes. À medida que a larva avança, o quadro clínico mostra-se de acordo com os órgãos afetados.

Na verdade, os sintomas nas pessoas contaminadas são muito parecidos com os que os animais sofrem. Ou seja; tosse, diarreia, distensão abdominal e transtornos de crescimento.

Como prevenir o contágio por ascaridíase em cães e gatos

No caso dos animais de estimação, é essencial respeitar as desparasitações periódicas. Também é muito importante nos lembrar de limpar o animal após cada passeio.

Outra forma de prevenção é controlar o contato com outros animais, sobretudo os que não têm donos. Para isso, é fundamental a utilização de coleira.

cão e gato no veterinário

Também é preciso evitar o passeio dos cães dentro das áreas em que as crianças brincam. As precauções com os pequenos da casa devem ser enormes. Por exemplo, é importante lavar bem as mãos depois de ter contato com um cão.

A ascaridíase em filhotes

  • O maior problema das larvas da ascaridíase é que podem atravessar a placenta de uma cachorra grávida. Assim, infectam o feto diretamente, antes de nascer.
  • Uma vez dentro do organismo do filhote, realizam o mesmo caminho do que no corpo de um animal adulto.
  • O risco de morte é maior nos pequenos, porque seu sistema imunológico ainda não está completamente desenvolvido.
  • Também há uma forma de contágio nos filhotes através do leite materno. As larvas viajam pelas glândulas mamárias e passam ao filhote pelas tetas.
  • Tanto antes como depois do parto, é importante tomar medidas preventivas para cuidar da mãe e de seus filhos. Manter o espaço do parto limpo diminui os riscos de infecção.

Fonte da imagem principal: DORIS META F