Amizade com gatos: o que a ciência diz?

· setembro 16, 2018
O passo fundamental para se tornar amigo de gatos é adotar um felino de acordo com sua personalidade, que é mais parecida com a do proprietário.

Alguns gatos têm uma reputação de serem mal-humorados e não se dar bem com os humanos. Embora aqueles que vivem com gatos saibam que eles podem ser muito carinhosos, os cientistas estudaram qual é a melhor maneira de fazer amizade com nossos amigos ronronadores.

Amizade com gatos de acordo com a ciência

Nos últimos anos, muitos estudos científicos sobre o comportamento animal foram feitos. Eles foram criados a partir de experimentos para medir sua inteligência, sua capacidade de resolver problemas e até estatísticas sobre a melhor forma de interagir com eles.

Destes últimos estudos, queremos destacar aqueles que são orientados para fazer amizade com gatos. Nós compilamos uma série de conclusões científicas sobre qual é a melhor maneira de abordar um gato ou como facilitar sua vida em casa.

Como muitas vezes acontece com esse tipo de conclusão, alguns conselhos já podemos imaginar. No entanto, em alguns deles cientistas chegaram a respostas inesperadas e surpreendentes.

  1. Deixe-os tomar a iniciativa

Dois estudos suíços chegaram à mesma conclusão: se você quer fazer amizade com gatos, deixe-os decidir abordá-lo e tocá-lo. Portanto, se você acaricia um gato antes que ele lhe dê permissão, começará aquele relacionamento com o pé errado.

acariciar gatos

Um dos estudos foi feito com 50 gatos diferentes: o animal se aproximava antes e tendia a fugir menos se o humano sentasse e esperasse que o gato tivesse a iniciativa de se aproximar. O outro estudo mostrou que o gato ficou mais tempo e brincou mais com essa pessoa quando a apresentação foi feita dessa maneira.

  1. Se a apresentação não estiver indo bem, dê espaço

Os gatos têm uma linguagem corporal muito ampla, com a qual transmitem muitas coisas. No entanto, poucas pessoas dão atenção aos sinais que os gatos dão para mostrar que estão desconfortáveis ​​ou irritados: agitar suas caudas ou achatar suas orelhas, por exemplo.

Verificou-se que, se um gato é respeitado ao exibir esses sinais, e é permitido a ele fugir ou paramos de tocá-lo, é mais provável que ele volte logo e da próxima vez leve mais tempo para ter essa mesma reação.

brincar com gatos

Os gatos são animais amorosos, mas independentes. Muito contato físico geralmente os subjuga: mas se eles descobrem que paramos de tocá-los quando eles pedem, eles se tornam mais propensos a querer aquelas carícias que previamente rejeitavam.

  1. Brinque com ele

Um estudo com gatos domésticos e adotados, de 2017, mostrou que os gatos preferem brincar com humanos à comida. Além disso, os gatos preferiam brincar com humanos se houvesse um brinquedo envolvido, embora o tipo de brinquedo dependesse das preferências de cada gato.

Gatos são predadores e animais sociais: brincar faz parte de seus instintos naturais. Se você brincar com seu gato e lhe der a oportunidade de perseguir e caçar pequenos brinquedos, seu relacionamento com ele será fortalecido e seu comportamento em geral melhorará.

  1. Adote um gato de acordo com sua personalidade

Quanto às adoções, vários estudos estatísticos foram feitos: um que entrevistou adotantes de gatos adultos descobriu que as pessoas atribuem personalidades diferentes aos gatos de acordo com a cor de seus pelos, quando, na verdade, a aparência física do felino não tem nenhuma influência sobre seu jeito de ser.

Outro estudo investigou a vida de adotantes de gatos adultos: a satisfação com o comportamento e a relação com o animal foi consideravelmente melhor nos casos em que o humano conheceu a personalidade do gato antes de adotá-lo.

Dentro dos abrigos e associações protetoras, está claro: para uma adoção ser um sucesso deve-se levar em conta a personalidade do animal e do humano. Se você tiver dúvidas, a melhor opção é receber o gato por um tempo para conhecê-lo melhor. Tal como acontece com as pessoas, para fazer amizade com gatos, é necessário prestar atenção à sua personalidade.

  1. Não deixe-o ir passear

Além disso, um estudo realizado na Itália mostrou que os gatos que não têm acesso ao lado de fora, e que vivem em casa o dia todo, são mais carinhosos e dóceis com os humanos que os que podem sair para um passeio durante toda a noite ou durante o dia.

Uma das causas é atribuída ao fato de que os gatos que saíam preferiam ter atividade durante a noite e dormir durante o dia, em vez de interagir com a família. Por outro lado, os gatos que ficaram em casa dormiram durante a noite e brincaram com a família durante o dia.

Nas últimas décadas, muitos estudos diferentes sobre o comportamento dos animais foram feitos. Estes são apenas alguns exemplos que nos ajudam a fazer amizade com gatos e a compreendê-los melhor: brinque com o seu gato, deixe-o decidir quando começar e terminar as brincadeiras e, acima de tudo, adote o seu gato de acordo com a sua personalidade e não de acordo com a sua aparência física.