Cão surdo: dicas para interagir com esses animais

· julho 15, 2018
Acabar com a falácia que os cães surdos são mais agressivos ou menos inteligentes que os ouvintes é vital. É necessário evitar novos abandonos causados pelo preconceito e falta de informação.

Atualmente, estima-se que até 89 raças de cães correm o risco de nascerem com surdez congênitaAs estatísticas jogam contra os dálmatas, principalmente. Afinal, até 30% dos filhotes dos dálmatas podem nascer surdos. Vamos aprender mais sobre como lidar com um cão que não consegue ouvir.

Muitos decidem, por medo ou ignorância, abandonar o animal quando descobrem sua deficiência.  No entanto, um cão surdo pode levar uma vida praticamente normal e se desenvolver da mesma maneira que outros animais. Este guia irá ajudá-lo a interagir com seu cão surdo e perceber que é um animal como os outros.

Treinar um cão surdo é possível

A princípio, dar ordens a um cão que não pode ouvir parece uma tarefa impossível. Especialmente, se considerarmos que mesmo os cães ouvintes podem decidir ignorar os chamados do dono. A chave para esse processo é o uso de sinais, mas para isso temos que fazer o animal entender o que queremos.

  • Nos primeiros estágios do treinamento, o principal é aprender a chamar a atenção do nosso cão. No caso de um cão surdo, temos que recorrer a chamados não sonoros. Podemos conseguir isso com coleiras vibratórias, que funcionam com um controle remoto. Podemos fazer com que o animal associe essa vibração a um chamado. Assim, podemos pressionar o botão até ele virar a cabeça e incentivá-lo com pequenos prêmios. Uma caneta de laser também pode nos ajudar.
  • Depois de conseguir captar a atenção do seu cão, você pode mostrar sinais que ele associe a uma certa ordem. Entre os mais básicos, temos aqueles que ensinam a voltar para ao nosso lado ou parar quando o cachorro está fazendo algo que não gostamos. Tenha em mente que um animal surdo será mais dependente de seu dono, especialmente em ambientes desconhecidos.
  • Alguns cães podem entender certas palavras na língua de sinais. Isso pode ser especialmente útil quando se trata chamá-los para sair para uma caminhada. Além disso, ele também poderá saber se você está feliz ou com raiva ou ser quer que ele fique em um determinado lugar da casa.
  • Ao longo do processo, os reforços positivos permitirão que o cão associe as ordens com algo agradável. Assim, ele não as esquecerá facilmente. Lembre-se de ter por perto pequenos prêmios que irão estimular o animal.
Adestramento de cães

Dicas úteis para manter seu cão seguro

Um dos principais perigos enfrentados por um cão surdo no seu dia a dia é a incapacidade de ouvir um carro ou outros cães. Portanto, é essencial mantê-lo amarrado com uma coleira em espaços urbanos ou perto de estrada. Além disso, é preciso segurá-lo na presença de cães que possam ser agressivos.

Para saber onde seu animal de estimação em todos os momentos, podemos recorrer a alguns artifício. Ou seja, podemos usar um sino ou indicar visivelmente na coleira que o cão é surdo. Obviamente, não se esqueça de informar o endereço do proprietário na coleira também. Afinal, no caso do cão se perder, alguém pode levá-lo de volta para casa.

À noite, uma vez que é mais difícil para o cão ver os nossos sinais, podemos sempre recorrer a apontadores laser ou lanternas. Podemos usar padrões que ensinem o cão a retornar ou que simplesmente ajude o animal a identificar seu dono à distância.

Exercício para filhotes

O mito de que cães surdos são mais agressivos

Qualquer animal reagirá com surpresa e até mesmo violência se uma pessoa desconhecida se aproximar e o tocar sem aviso. No caso de cães surdos, qualquer tipo de abordagem que eles não tenham visto pode ser ameaçadora.

Portanto, é essencial que o proprietário ensine o cão desde cedo a não identificar essas carícias como riscos ou ameaças. Podemos começar tocando a cabeça ou a coluna por trás e tranquilizá-lo mais tarde. Além disso, sempre use recompensas e reforços positivos que o ensinem a associar o contato humano a uma sensação agradável.

Acabar com a falácia que os cães surdos são mais agressivos ou menos inteligentes do que os ouvintes é vital. Assim, é possível evitar novos abandonos motivados por preconceitos e ideias preconcebidas.