Animais transgênicos: definição e características

· março 22, 2019
Animais transgênicos são aqueles que receberam partes do DNA de outros animais.

A clonagem de animais é um dos avanços mais controversos da ciência no último século. No entanto, a possibilidade de criar animais transgênicos a partir da clonagem vem desempenhando um papel fundamental na medicina atual.

O tratamento de muitas doenças avançou consideravelmente graças à transgenia. Entretanto, muitas pessoas não sabem disso.

A seguir, explicaremos melhor o que é a clonagem, como os animais transgênicos são criados e quais são as vantagens e desvantagens dessa técnica.

O que é transgênese e como os animais transgênicos são criados?

A transgenia ou clonagem é um procedimento que consiste na transferência de informação genética de um organismo para outro. Portanto, se falamos de animais transgênicos, estamos tratando da transferência de DNA.

Em geral, não se transfere o código ou material genético integral de um indivíduo para outros. Na verdade, antes de realizar o procedimento, os cientistas se encarregam de selecionar, extrair e isolar certos genes.

Nesse sentido, os animais criados por transgenia são considerados organismos ou seres transgênicos. Ou seja, os animais transgênicos podem ser definidos como todos aqueles que apresentam alguma característica geneticamente modificada.

Animais que podem ser clonados

Todos os animais podem ser clonados?

Em teoria, todo ser vivo que tenha um código genético pode ser clonado. Consequentemente, todos os animais, incluindo os humanos, poderiam, teoricamente, serem clonados.

Até o momento, diferentes espécies foram utilizadas para a realização de transgênese em laboratório.

Entre eles, pequenos insetos, parasitas, peixes, pássaros, répteis e até mamíferos, como cabras, macacos, porcos, ovelhas, ratos, coelhos, etc.

No entanto, os ratos são os animais mais comumente usados ​​em experimentos de transgênese. Afinal, o tamanho pequeno, fácil manuseio e boa adaptabilidade à vida em cativeiro justificam a preferência por esse animal.

A ovelha Dolly e clonagem no centro das atenções

Provavelmente, a ovelha Dolly foi o animal transgênico mais famoso da nossa história. Dolly foi clonada no ano de 1996.

Além disso, foi o primeiro animal clonado a partir da transferência do material genético do núcleo de células adultas.

Apesar da popularidade do seu caso, Dolly não foi o primeiro animal a ser clonado na história da ciência. Na verdade, a rã foi a primeira espécie submetida a um processo de transgenia, na década de 50.

Animais transgênicos: ovelhas

O nascimento de Dolly gerou muitos debates e popularizou a clonagem em todo o mundo. Atualmente, ainda, este é um assunto muito controverso, que desperta divergências mesmo entre os cientistas.

Vantagens e desvantagens da criação de animais transgênicos

Quando falamos de um tema tão controverso quanto a transgenia e os animais transgênicos, é essencial avaliar as vantagens e desvantagens, assim como os possíveis riscos.

Dessa forma, podemos manter uma perspectiva mais racional e equilibrada sobre um tema de grande relevância.

Vantagens da transgenia

  • Existem diferentes pesquisas e experimentos desenvolvidos para possibilitar e melhorar a transgenia. Esses estudos permitiram ampliar significativamente o conhecimento sobre a configuração genética de muitas espécies.
  • Ao conhecer melhor o genoma, é possível avançar no desenvolvimento de novos tratamentos para muitas doenças que afetam animais e seres humanos, como o câncer.
  • A produção de medicamentos também foi beneficiada pelos estudos com animais transgênicos. Muitos medicamentos modernos foram produzidos graças ao avanço da manipulação genética.
  • A transgenia pode revolucionar o atual sistema de transplantes de órgãos e tecidos. Esse é um processo difícil, pois os pacientes ficam em longas filas à espera de uma doação. A transgenia também pode facilitar a criação de células-tronco para terapias celulares regenerativas.
  • Técnicas de clonagem também podem viabilizar a criação de bancos genéticos. Isso impediria que muitos seres vivos desaparecessem dos ecossistemas devido ao impacto das atividades humanas.

Desvantagens e riscos da manipulação genética

Animais transgênicos podem ser mais vulneráveis ​​a reações alérgicas, entre outros problemas, devido a certas proteínas que não constavam na informação genética original.

Ainda não é possível prever com precisão o local exato que o novo gene ocupará no genoma do organismo transgênico.

Portanto, nem sempre é possível prever o resultado final da transmissão de genes de um indivíduo para outro.

As populações de animais transgênicos devem ser estritamente controladas, de modo a não ameaçar as espécies nativas de cada ecossistema.

O uso de seres vivos nos experimentos cria uma discussão ética. Afinal, os limites da ciência e da ação humana sobre outras formas de vida e da natureza precisam ser estabelecidos.