As migrações em massa mais incríveis

· março 18, 2019
As migrações em massa são uma jornada incrivelmente longa e desafiadora, e têm o objetivo de facilitar a sobrevivência.

Há um fenômeno na natureza cuja espetacularidade se destaca acima de tudo: as migrações em massa. Cruzar oceanos ou atravessar continentes inteiros em busca de um clima ou alimento melhor é, sem dúvida, algo admirável.

Nesse artigo vamos descobrir algumas das migrações massivas mais surpreendentes; desde o animal que pode viajar mais quilômetros ou a migração com o maior número de exemplares já vistos.

Os pássaros, esses grandes viajantes

Nós estamos, sem dúvida, diante dos animais que fazem as mais incríveis migrações, tanto no quesito dificuldade quanto em termos de distância.

Aves migratórias

Um exemplo disso é a andorinha do Ártico (Sterna paradisaea), que lidera o ranking da mais longa migração registrada. Essa pequena ave não ultrapassa 100 gramas de peso e é capaz de viajar até 71 mil quilômetros.

Em seu trajeto, essas aves viajam da Antártida, passando pela África e várias regiões da América do Sul, para chegar ao Ártico. Essa longa migração leva dias, durante os quais a andorinha faz paradas para se alimentar.

Ao falar de migrações em massa surpreendentes, o fuselo (Limosa lapponica) também merece uma menção. Essas aves são capazes de viajar grandes distâncias sem parar em momento nenhum.

Um espécime registrado desta espécie viajou 11,5 mil quilômetros sem parar, do Alasca à Nova Zelândia. Estes dados representam, até hoje, o mais longo voo sem escalas já registrado.

Migrações em massa de animais marinhos

Ao falar de migrações marinhas, o prêmio vai para a sardinha (Sardinops sagax). Estamos diante de uma migração que envolve a maior mobilização de animais do planeta, empatada com a que é realizada pelos gnus (Connochaetes sp.) na África.

Migração de cardumes

Durante sua jornada de mais de 1,5 mil quilômetros, esse gigantesco cardume de peixes atinge mais de 10 quilômetros de extensão e entre 30 e 60 metros de profundidade. Os cardumes são tão grandes podem ser vistos de aeronaves ou barcos.

A magnitude deste maciço agrupamento de sardinhas atrai inúmeros predadores. Isso provoca um fenômeno que, na biologia, é conhecido como frenesi de alimentação.

Também se destaca a migração da baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae). Esses animais ostentam o recorde dentre as mais longas migrações dos mamíferos.

Viajando do polo sul para a Costa Rica e fazendo a viagem de volta, elas chegam a percorrer cerca de 17 mil quilômetros.

E o que dizer sobre os insetos?

Nessa categoria, a rainha é a borboleta-monarca (Danaus plexippus). A cada verão, esses insetos viajam uma distância de quase 5.000 quilômetros do México para chegar às florestas canadenses.

Migração das borboletas-monarca

Alguns espécimes são até capazes de realizar migrações transatlânticas, de modo que podem ser observados em algumas áreas da Grã-Bretanha e da Espanha.

As libélulas são insetos migratórios que percorrem as mais longas distâncias. Em particular, a libélula laranja (Pantala flavescens) é capaz de voos transoceânicos.

Aproveitando as correntes de ar e os ventos de furacões, esses animais podem viajar até 14 mil quilômetros.

Por fim, destacamos que há muitos outros fenômenos migratórios que não foram citados aqui. No entanto, eles são igualmente surpreendentes, e nós encorajamos você a pesquisar sobre eles por conta própria.

  • Buden, D. W. (2010). Pantala flavescens (Insecta: Odonata) rides west winds into ngulu atoll, micronesia: Evidence of seasonality and wind-assisted dispersal. Pacific Science64(1), 141-143.