Atrofia testicular em cães

· outubro 25, 2018
A atrofia pode afetar um ou ambos os testículos e resultar em infertilidade. O tratamento mais indicado é a castração. 

Como o próprio nome sugere, a atrofia testicular em cães é a degeneração ou malformação do sistema reprodutivo de cães machos. Este tipo de problema é relativamente frequente e ocorre mais em cães idosos.

Existe uma variedade significativa de casos. Esta patologia pode afetar um ou ambos os testículos e, na maioria dos casos, levar à infertilidade. 

Em geral, os veterinários recomendam não permitir que animais de estimação afetados por esse tipo de problema se reproduzam.

As causas que podem levar à atrofia testicular em cães são igualmente amplas: desde predisposição genética a fatores ambientais ou climatológicos, como temperaturas extremas.

Bactérias, parasitas ou vírus também podem levar a esse quadro. Há também reações adversas a algumas vacinas e uma dieta pobre em nutrientes.

Diagnóstico

Muitos dos casos de atrofia testicular em cães são notados por veterinários durante consultas regulares.

Embora, em alguns episódios, os animais afetados apresentem sinais óbvios de desconforto e dor, mas nem sempre é esse o caso.

Mesmo dependendo do tipo de envolvimento, pode acontecer que a malformação não seja detectada pela palpação.

Portanto, diante da menor suspeita de que algo não está indo bem com o sistema reprodutor do cachorro, o veterinário responsável pedirá exames mais profundos para ter certeza absoluta da situação.

Entre os testes que geralmente são realizados para detectar a atrofia testicular, está o exame do sêmen, bem como citologias, ultrassonografias e biópsias. A partir deles, o especialista irá oferecer um tratamento.

Cachorro olhando triste pela janela

Tipos de atrofia testicular em cães

Tumores, torção testicular e criptorquia (testículos que não descem do abdômen para o escroto), estão entre as causas mais frequentes desta patologia.

Tais condições devem ser detectadas precocemente e tratadas o quanto antes. Dessa forma, não irá colocar em perigo a vida do animal de estimação.

Torção testicular

Ocorre quando o cordão espermático sofre uma rotação anormal. Pode ocorrer com órgãos perfeitamente localizados no escroto do cão, como naqueles que acabaram presos na região abdominal.

Quando esses episódios ocorrem, o fluxo sanguíneo é interrompido, o que inevitavelmente resulta no colapso (infarto) do testículo.

Os principais sintomas deste quadro clínico são: febre moderada, dificuldades para caminhar e vômitos. 

Mas esses sinais de alerta não se manifestam em todas as situações. Alguns cães podem sofrer de torções parciais e até mesmo crônicas, e que só podem ser detectados por acaso.

Se os testículos estiverem reprimidos na área abdominal, um ultrassom deverá ser feito para confirmar o diagnóstico. O tratamento aplicável nestes casos é a castração.

Criptorquia

Ocorre quando os testículos não descem da área abdominal para o escroto. Eles também podem ficar alojados no canal inguinal ou na área próxima à virilha.

Filhotes com três semanas de vida completas devem ter seus órgãos dentro do saco, especialmente projetado para isso.

No entanto, alguns espécimes demoram até dois meses para concluir satisfatoriamente este processo.

Este defeito é frequentemente condicionado pela carga genética. Cães da raça yorkshire, poodles, husky e schnauzer miniatura correm maior risco de apresentar o problema.

Para evitar a disseminação da doença, além de prevenir complicações posteriores (como a torção testicular), os cães diagnosticados são castrados quase que imediatamente.

Para confirmar a anomalia, o veterinário só precisará sentir os genitais do filhote. Para estabelecer com precisão o local onde os testículos afetados estão presos, é necessário um ultrassom.

Tumores

Os testículos são, após a pele, os órgãos que apresentam maior incidência de tumores em cães machos. Nessa condição, os genes e o tipo de raça também desempenham um papel preponderante.

Estatisticamente, os mais afetados são o boxer e o pastor alemão.

Cachorro deitado no parque

As mudanças óbvias no formato do testículo, assim como um aumento de volume ou rigidez, são razões para suspeitar da presença de um tumor testicular.

Nas fêmeas, o aumento do tamanho das mamas e a redução drástica da libido são outros sintomas.

 Veterinários que se deparam com possíveis casos de atrofia testicular analisam a citologia do testículo em busca de um diagnóstico compatível. Finalmente, uma biópsia pode ser realizada.

Como tratamento para atrofia testicular, a cirurgia é geralmente usada. Trata-se de remover o tumor e os dois testículos, independentemente de apenas um ser o afetado.

A neoplasia testicular geralmente não termina em metástase. Na maioria dos casos, o animal de estimação, uma vez recuperado da operação, continuará a viver com absoluta normalidade.