Tumores de pele em gatos

· setembro 10, 2018
A observação contínua da pele dos felinos é a chave para sua detecção e tratamento precoces. Um tumor não significa que o gatinho esteja condenado à morte, porque os avanços na medicina veterinária garantem-lhe um bom nível de cura e bem-estar.

O melanoma é o tipo de câncer de pele mais conhecido e preocupante no contexto da Medicina Veterinária. Existem vários tipos de tumores de pele em gatos que podem afetar nossos bichanos. Então, hoje, apresentaremos os tipos mais frequentes de tumores de pele entre gatos domésticos, suas possíveis causas e tratamentos.

Tipos de tumores de pele em gatos

  • Carcinoma basocelular

O carcinoma basocelular é o tipo mais comum de câncer de pele entre os felinos. À medida em que crescem, esses tumores formam pequenos nódulos sob a pele do animal.Geralmente, essas massas anômalas se concentram no peito, nas costas e no topo da cabeça dos gatos.

Portanto, é altamente recomendável verificar periodicamente todo o corpo do gatinho, e atenção especial deve ser dada às regiões mencionadas. Além disso, devemos imediatamente levá-lo ao veterinário se sentirmos ou observarmos qualquer crescimento incomum em sua pele.

Em geral, o veterinário fará uma pequena extração e encaminhará a amostra para realizar a biópsia. Dependendo do progresso do carcinoma e do estado de saúde do animal, tratamentos oncológicos ou intervenção cirúrgica podem ser aplicados. Felizmente, carcinomas basocelulares com metástases são raros.

Atualmente, estima-se que os gatos siameses orientais e as raças felinas de pelos longos apresentem maior predisposição ao carcinoma basocelular. No entanto, qualquer gato, seja sem raça definida (vira-lata) ou de uma raça, pode desenvolver tumores de pele.

Gato alemão de pelos longos

  • Carcinoma de células escamosas

Os tumores de células escamosas cutâneas formam úlceras planas, duras e acinzentadas, semelhantes a uma couve-flor. Em geral, essas formações estão concentradas nas regiões que contêm orifícios, como boca, orelhas e nariz. Além disso, também podem aparecer em áreas do corpo expostas a irritações frequentes, como ao redor dos olhos, por exemplo.

Este tipo de carcinoma progride de forma rápida e agressiva, portanto requer diagnóstico precoce e atenção imediata. Por isso, lembramos novamente a importância de estar atento, neste caso a qualquer alteração na pele do seu gatinho.

Junto com o exposto acima, é crucial evitar que o gato se exponha excessivamente à radiação solar, pois esta é a principal causa do carcinoma de células escamosas.

  • Melanoma

O melanoma é o câncer de pele mais conhecido e perigoso em gatos, mas felizmente também é o menos frequente. Esses tumores de pele podem se desenvolver em todas as regiões do corpo, até mesmo dentro da boca. Em geral, causam a expansão de áreas pigmentadas, que também podem sangrar ou inchar.

Os carcinomas são muito agressivos e precisam ser diagnosticados rapidamente para permitir, assim, um prognóstico mais favorável. Normalmente, o tratamento consiste em eliminar a região pigmentada para evitar que o melanoma se espalhe.

Cada gato, independentemente da sua raça, tamanho ou sexo, pode desenvolver melanomas. No entanto, felinos mais velhos, e aqueles com orelhas e cabeças brancas, estão mais vulneráveis ​​a esse tipo de câncer.

Câncer de pele e gatos

  • Mastocinoma

Os tumores de mastócitos aparecem sob a forma de pequenos nódulos, que raramente excedem uma polegada. Eles são mais frequentes em gatos com neoplasias nas patas traseiras, no escroto ou no abdômen.

Existe um risco moderado de metástase e a possibilidade de se expandir rapidamente para outros órgãos do corpo. Em casos mais graves, eles podem afetar o baço do animal, o que causa inchaço, dor intensa e vômitos. Portanto, eles devem ser diagnosticados precocemente para permitir um tratamento eficiente.

Causas de tumores de pele em gatos

Tumores benignos ou malignos em gatos podem ter diferentes causas. Em geral, associamos o câncer de pele à exposição excessiva à luz solar. De fato, essa é uma das principais causas da maioria dos tumores de pele, embora existam outros fatores de risco e a predisposição genética também desempenha um papel decisivo.

Estas são as principais causas associadas a neoplasmas e tumores de pele em gatos:

  • Exposição a substâncias químicas ou agentes carcinogênicos.
  • Infecções virais, como FIV e leucemia.
  • Tumores e neoplasias em outros órgãos ou regiões do corpo.
  • Obesidade e doenças associadas (diabetes, por exemplo).

Tratamento de tumores de pele em gatos

É importante desmistificar a palavra ‘câncer’. Embora nenhum dono queira receber um diagnóstico negativo para seu gatinho, devemos entender que um tumor não é uma sentença de morte. Felizmente, o avanço da medicina veterinária permitiu melhores previsões e uma qualidade de vida digna para os gatos afetados por tumores de pele.

Em relação aos tumores malignos, o tratamento dependerá fundamentalmente da evolução do quadro de saúde de cada animal. Em geral, tratamentos oncológicos são aplicados, como radioterapia, quimioterapia e crioterapia. Felizmente, os tumores benignos geralmente não requerem tratamento ou podem ser removidos com cirurgias.