Benefícios do comedouro elevado para cães

abril 22, 2020
Os comedouros elevados para cães estão em alta, mas eles são realmente aconselháveis para os nossos animais?

No mercado, podemos encontrar muitas tigelas diferentes para os nossos animais de estimação. Algumas são bonitas, simples, limitam a quantidade de comida e muito mais. Além disso, o material com o qual são fabricadas pode variar: vidro, madeira, metal, plástico, argila, etc. Entre tantas opções, também encontramos o comedouro elevado para cães.

Há uma grande controvérsia a respeito de qual é o melhor comedouro para cães. De qualquer forma, é o dono que escolhe a tigela que considera melhor para as necessidades de seu animal de estimação.

Sendo assim, muitos optam pelo comedouro elevado para cães. Você acha que esta é a melhor opção para alimentar o seu animal de estimação? Então, leia este artigo pois vamos compartilhar tudo que você precisa saber sobre o assunto.

Como os cães comem

Anatomicamente, todas as raças de cães e seu ancestral comum, o lobo (Canis lupus), têm a laringe e o esôfago projetados e preparados para engolir alimentos ao olhar para o chão.

Se pensarmos em um cão doméstico ou qualquer um de seus parentes selvagens, quando devoram uma presa que se encontra no chão, eles fazem isso mantendo-se em pé em suas quatro patas e com suas cabeças inclinadas.

Dessa forma, os músculos da cabeça e pescoço podem exercer força suficiente para rasgar a carne. Além disso, mantendo a cabeça nesta posição, a epiglote é bloqueada, o que impede a passagem dos alimentos para o sistema respiratório. Na verdade, quando um cão é alimentado por sonda, a cabeça deve se curvar e, assim, a sonda vai diretamente para o esôfago.

Processo digestivo do cão

O comedouro elevado para cães é recomendável?

Um comedouro elevado para cães não é necessariamente uma escolha ruim. A altura deve ser adequada para permitir que o animal coma em uma posição natural.

Se o alimentador for excessivamente alto, o cão não vai comer corretamente e pode acabar tendo diversos problemas em decorrência disso. Esses problemas incluem perda de tônus muscular do pescoço e da cabeça, problemas de deglutição, asfixia, etc.

Qual é a melhor maneira de alimentar um cão?

Antes de mais nada, a melhor maneira de alimentar um cão é a que facilita a vida do dono. Afinal, ele é o responsável por oferecer o alimento ao animal e precisa fazer isso de forma prática.

No entanto, devemos sempre pensar nas necessidades do animal. Afinal, por conta da comida e da forma como os alimentos são oferecidos, ele pode acabar tendo problemas comportamentais. Entre estes problemas estão a baixa autoestima e a falta de autocontrole.

Kong: uma opção ao comedouro elevado para cães

A hora da alimentação dos nossos animais deve ser usada para trabalhar o seu estado emocional, desenvolver o seu olfato e melhorar o vínculo. Para alcançar isso, a primeira coisa que precisamos descartar é qualquer tipo de tigela. O alimento deve ser oferecido de uma maneira que ofereça um desafio para o nosso animal de estimação resolver.

É recomendável que o cachorro faça pelo menos quarenta minutos de exercícios para o olfato por dia. Um exemplo seria empilhar copos de plástico com algum alimento ou petiscos dentro. Assim, o animal precisa usar seu nariz e patas para conseguir ter acesso à comida.

Outro método é espalhar a comida pelo jardim, terraço ou piso. O cão terá que passar algum tempo procurando o alimento e ficará mentalmente cansado. Esse é justamente o tipo de cansaço que mais esgota. Essa estratégia é a melhor para aqueles cães que saem muito animados na hora do passeio.

  • Penninck, D. G., Nyland, T. G., Fisher, P. E., & Kerr, L. Y. (1989). Ultrasonography of the normal canine gastrointestinal tract. Veterinary Radiology, 30(6), 272-276.
  • Pratschke, K. M., Fitzpatrick, E., Campion, D., McAllister, H., & Bellenger, C. R. (2004). Topography of the gastro-oesophageal junction in the dog revisited: possible clinical implications. Research in veterinary science, 76(3), 171-177.