Benefícios do colostro para cães e gatos

abril 24, 2020
É fundamental que cães e gatos consumam o colostro logo após o nascimento para que ele possa cumprir a sua missão: a defesa imunológica do recém-nascido.

As fases da amamentação e do seu posterior desmame são muito críticas em termos nutricionais. Sem dúvida, elas marcarão o desenvolvimento futuro do animal. Esta primeira fase sempre começa com o colostro para cães e gatos.

Esta substância só pode ser gerada pela mãe e não há um substituto sintético. No entanto, a posterior alimentação à base de leite materno pode ser substituída ou limitada em certos casos, como, por exemplo, quando a mãe vem a falecer, a ninhada é muito numerosa ou se a mãe não produz leite suficiente.

Seja como for, é fundamental que cães e gatos consumam o colostro. Disso dependerá a sua sobrevivência e estado de saúde a curto e médio prazo.

O que é o colostro?

O colostro é a primeira secreção láctea produzida pelas fêmeas de mamíferos logo após o parto. É composto principalmente por globulinas. Essas moléculas são proteínas grandes encontradas em uma concentração duas vezes maior do que no leite materno produzido posteriormente. Portanto, o colostro tem duas vezes mais proteína do que o leite.

Mesmo assim, o mais importante do colostro para cães e gatos é a sua elevada proporção de imunoglobulinas, que são os anticorpos. O colostro representa entre 90 e 95% da imunidade passiva que os filhotes receberão. A porcentagem restante é recebida enquanto eles ainda estão na placenta.

Tudo isso significa que, antes de iniciar o plano de vacinação, a única proteção que os filhotes de cachorros e gatos possuem contra patógenos virais e bacterianos é o colostro que eles consumiram após o nascimento.

Benefícios do colostro para cães e gatos

Diferenças entre o colostro de cães e gatos

O colostro de cães e gatos é diferente de uma espécie para a outra, assim como é diferente entre as outras espécies de mamíferos. No entanto, existem semelhanças entre o colostro dos primatas, ou dentro do grupo dos ungulados.

Posteriormente, com relação ao leite maduro, também existem diferenças, especialmente se compararmos o leite de gatos ou cães com o de vacas. O leite dessas últimas é mais baixo em proteínas e gorduras e mais alto em açúcares. Portanto, ele não é bom para os filhotes de cães e gatos.

Se estivermos diante da situação de precisar usar uma mamadeira para alimentar um gato ou cachorro, devemos usar uma fórmula apta para animais. Ela é muito mais parecida com o leite de suas mães. Não devemos nos esquecer de que estamos falando do leite maduro, nunca do colostro, já que ele não tem substituto.

A tabela a seguir mostra a quantidade dos principais nutrientes por 100 gramas de colostro ou de leite maduro em cães e gatos. Ela foi extraída do artigo de Langer (2009):

Colostro (100 g) Proteína (g) Gordura (g) Açúcares (g)
Cachorro 13,8 7,8 2,7
Gato 4,0 3,4 3,6
Leite maduro (100 g) Proteína (g) Gordura (g) Açúcares (g)
Cachorro 8,0 9,0 3,0
Gato 5,5 4,8 4,0
Gato filhote tomando mamadeira

Propriedades do colostro para cães e gatos

Conforme dissemos, o colostro é o primeiro alimento que cães e gatos devem consumir, da mesma forma que os outros mamíferosEsta substância só será produzida até 12 ou 16 horas após o parto. Portanto, o tempo que os filhotes têm para consumi-lo é muito limitado.

O colostro para cães e gatos tem uma maior concentração de proteínas e gorduras do que de açúcares. Isso faz com que o animal consiga um bom suprimento de energia assim que nasce. A diferença de nutrientes entre uma espécie e outra depende da taxa de crescimento dos filhotes.

Por outro lado, o colostro é cheio de proteínas imunitárias que serão a proteção do animal até o momento da vacinação. O fato de o animal consumir o colostro assim que nasce é fundamental, pois, mais tarde, o seu sistema digestivo estará mais maduro e degradará essas proteínas. Portanto, elas não teriam um valor imunológico.

Essas proteínas imunológicas ou imunoglobulinas permanecem na corrente sanguínea do filhote até a 16ª semana de vida. Esta é a razão pela qual o plano de vacinação de cães e gatos deve terminar antes da 16ª semana. Caso contrário, o animal ficaria desprotegido.

  • Day, M. J. (2007). Immune system development in the dog and cat. Journal of comparative pathology, 137, S10-S15.
  • Langer, P. (2009). Differences in the composition of colostrum and milk in eutherians reflect differences in immunoglobulin transfer. Journal of Mammalogy, 90(2), 332-339.
  • Sánchez, C. G. LECHE MATERNIZADA PARA CACHORROS LACTANTES.